Estudo citogenetico de duas especies de dipteros de interesse medico-veterinario : Haematobia irritans e Muscina stabulans (Diptera, Muscidae)

Orientador: Rita Maria Pereira Avancini

Access type:openAccess
Publication Date:1994
Main Author: Parise, Patricia Pasquali
Advisor: Avancini, Rita Maria Pereira, 1956-
Document type: Master thesis
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia
Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas
Portuguese subjects:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/317904
Citation:PARISE, Patricia Pasquali. Estudo citogenetico de duas especies de dipteros de interesse medico-veterinario: Haematobia irritans e Muscina stabulans (Diptera, Muscidae). 1994. 93f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/317904>. Acesso em: 19 jul. 2018.
Portuguese abstract:Resumo: Muscina stabulans e Haematobia irritans são dípteros considerados exceções dentro da família Muscidae por apresentar um conjunto haplóide com cinco pares de cromossomos, enquanto a regra nesta família é 2n= 12, sendo um par sexual. Em nosso estudo tivemos como objetivos a descrição do cariótipo de M. stabulans e o reestudo do cariótipo de H. irritans, a localização física de NORs e de regiões de heterocromatina constitutiva em cromossomos mitóticos e meióticos nas duas espécies. Foi também estudado o comportamento do nucléolo em núcleos interfásicos de diferentes tecidos. O cariótipo de M. stabulans foi caracterizado a partir do resultado de medidas feitas em cromossomos de gânglio cerebral de larvas em estágio L3. Os pares I, lI, III e V são metacêntricos e o par IV, submetacêntrico. Foram observadas duas constrições secundárias no braço longo do cromossomo I e uma no braço curto do cromossomo lI. As características cariotípicas de H. irritans foram obtidas de metáfases provenientes de células de gânglio cerebral de larvas L3. Os pares I, II e V são metacêntricos e os demais, submetacêntricos. Para o estudo das regiões organizadoras nucleolares foi utilizada a técnica de impregnação pelo íon prata para marcação de NORs. Obteve-se como resultado, quase sempre, uma grande inespecificidade do método para cromossomos mitóticos de ambas as espécies, pois foram observadas marcações centroméricas, teloméricas e algumas vezes, intercalares. Já para cromossomos meióticos, o método mostrou-se mais específico sendo possível a detecção de uma nítida marcação intercalar no cromossomo III de H. irritans. Através do método de bandamento C foi possível localizar as regiões de heterocromatina constitutiva. Nos preparados de gânglio cerebral de M. stabulans foram observadas marcações centroméricas em todos os cromossomos e uma forte marcação no braço curto do cromossomo 11, que parece estar relacionada com a região de constrição secundária. Nos cromossomos de H. irritans não foi possível observar marcações centroméricas; apenas foi detectada uma marcação intercalar no par 11. Foram observados núcleos interfásicos com um ou dois nucléolos em células de gânglio cerebral, testículo e de tecido embrionário. Os nucléolos de núcleos interfásicos de testículos de M. stabulans são múltiplos ou únicos, podendo ser resultado de fragmentação ou associação ao longo do desenvolvimento celular. Todos os resultados foram discutidos com os existentes na literatura para dípteros e outros insetos. A análise do padrão de banda C e de NORs nos cromossomos mitóticos e meióticos das duas espécies estudadas, ao lado do número e morfologia cromossômicos contribuem com dados para os estudos citotaxonômicos do grupo e para o entendimento da diminuição do número de cromossomos de 12 para 10 em certas espécies
English abstract:Abstract: The flies Muscina stabulans and Haematobia irritans are exceptions among Muscidae since both present one less pair of chromosomes and thus do not follow the mIe 2n=12. The objectives of this study were:describing the karyotype of M. stabulans, re-analyzing the karyotype of H. irritans and locating NORs and constitutive heterochromatic regions in mitotic and meiotic chromosomes of both species. The nucleolus was also examined by comparing its number and morphQlogy in different tissues. To characterize the M. stabulans karyotype, chromosomes from L3 larval brain preparations were measured. Pairs I, 11, 111 e V are metacentric and pair IV is submetacentric. The long arm of chromosome I presents two secundary constrictions and the short arm of chromosome n presents one constriction. The description of the karyotype of H. irritans was performed using the same methods. Chromosomes I, 11 and Vare metacentric and the other two are submetacentric. The nucleolar organizer regions were studied through silve r staining. As a result, the method has very often shown to be unspecific for mitotic chromosomes in both species, since detection of centromeric, telomeric and sometimes intersticial was possible. As for meiotic chromosomes, the method was more specific, allowing clear detection of one dense black dot in chromosome 111 of H. irritans. C-banding allowed the identification of constitutive heterochromatin regions. In M. stabulans brain preparations the centromeric regions of all chromosomes and one region of the short arm of the chromosome 11, which seems to be related to the secundary constriction, were all C-band positive. In H. irritans chromosomes, however, centromeric regions could not be distinguished as C-band positive. Only one intercalary band was seen in pair 11. Cells possessing one or two nucleoli were observed in testes, brain and embryonic tissues. Nucleoli in testes of M. stabulans are seen either as multiple or single units, which could be the results of either fission or aggregation throughout the development of these cells. The results obtained were compared to those available for Diptera and other insects. The C-band and NO R patterns obtained for both mitotic and meiotic chromosomes of the two flies as well as the number and morphology of their chromosomes contribute to the cytotaxonomic studies of Muscidae and add up to data that can help to understand the reduction of chromosomes from 12 to 10 in certain species