Esquistossomose mansônica. I - evolução do quadro patológico: análise parasitológica, hematológica e histopatológica

Com o objetivo de acompanhar a evolução da infecção bissexual primária de camundongos por S. mansoni, foram infectados camundongos Swiss com 100 cercárias da linhagem mineira (BH) de Schistosoma mansoni. A evolução da infecção foi acompanhada por um período de 8 semanas. Foi verificada uma relação e...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:1981
Main Author: Atta, Ajax Mercês
Other Authors: Magalhães, Luiz Augusto, Alcântara, Francisco Gomes de, Pareja, Gilda
Document type: Article
Language:por
Published: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Portuguese subjects:
Online Access:http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101981000100008
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101981000100008
http://www.repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/16621
http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/16621
Citation:Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v. 15, n. 1, p. 72-92, 1981.
Portuguese abstract:Com o objetivo de acompanhar a evolução da infecção bissexual primária de camundongos por S. mansoni, foram infectados camundongos Swiss com 100 cercárias da linhagem mineira (BH) de Schistosoma mansoni. A evolução da infecção foi acompanhada por um período de 8 semanas. Foi verificada uma relação entre o número de granulomas hepáticos e o número de vermes totais. O ganho de peso corporal, o peso do baço e a percentagem do peso do fígado em relação ao peso corporal foram diferentes quando comparados os animais infectados e controles. O quadro leucocitário dos camundongos infectados apresentou alterações no número de leucócitos totais, neutrófilos e linfócitos. Os exames histológicos do baço e do fígado revelaram alterações nestes órgãos de acordo com a fase da infecção.
English abstract:In order to accompany the evolution of primary bisexual inifection of mice by Schistosoma mansoni, Swiss mice were infected with 100 cercariae of the Belo Horizonte strain of Schistosoma mansoni, and the infection's evolution was followed for eight weeks. A relationship between the number of hepatic granulomas and the number of worms was verified. Body weight gain, spleen, and the percentage of the liver weight in relation to body weight were different when compared to infected and control animals. White blood cells in the infected mice presented alterations in the total number of leukocytes, neutrophils, and lymphocytes. The histologic analyses of the spleen and liver revealed alterations in these organs; these alterations varied according to the stage of infection.