Educação do corpo e vida ao ar livre : natureza e educação fisica em São Paulo (1930-1945)

Orientador: Carmen Lucia Soares

Access type:openAccess
Publication Date:2009
Main Author: Dalben, André, 1984-
Advisor: Soares, Carmen Lúcia, 1956-
Referee: Rocha, Heloísa Helena Pimenta, Amaral, Silvia Cristina Franco
Document type: Master thesis
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação Física
Program: Programa de Pós-Graduação em Educação Física
Portuguese subjects:
English subjects:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/274792
Citation:DALBEN, André. Educação do corpo e vida ao ar livre: natureza e educação fisica em São Paulo (1930-1945). 2009. 170 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Fisica, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/274792>. Acesso em: 13 ago. 2018.
Portuguese abstract:Resumo: A pesquisa procurou compreender e discutir os diferentes imaginários médicos, do início do século XX, em relação à natureza brasileira, assim como, as distinções feitas entre o ambiente urbano e o rural. A partir, principalmente, das relações emersas entre os movimentos sanitarista, higienista, eugenista e a Educação Física, observou-se a consolidação, no Brasil, de um imaginário que concebia a natureza como ambiente ideal, tanto para a cura e a prevenção de doenças, quanto para o fortalecimento e a educação do corpo, por meio de exercícios físicos como a ginástica, o esporte, os jogos e práticas terapêuticas como a helioterapia, a hidroterapia e a climatoterapia. Seguindo os caminhos de tal concepção de natureza, o Departamento de Educação Física do Estado de São Paulo, órgão subordinado a Secretaria da Educação e Saúde Pública, sobressai-se, uma vez que foi responsável, já na década de 1930, por importantes intervenções junto a duas instituições extra-escolares que mantinham proximidade com o imaginário da natureza curativa e educativa: os Parques Infantis e as Colônias de Férias. Quanto à instituição escolar, foi o Departamento de Educação Física do Estado de São Paulo responsável por criar e dirigir a Escola de Aplicação ao Ar Livre Dom Pedro II, a qual se conformou como uma instituição de ensino experimental localizada no interior de um parque público e que manteve como objetos centrais de sua pedagogia a Educação Física e a natureza.
English abstract:Abstract: The research has sought after comprehending and discussing about the different medical imaginaries, from the beginning of the 20th century, in respect to Brazilian nature, as well as the distinctions drawn between the urban and the rural environment. Mainly from the emerged relations between the sanitary, hygienist, eugenist movements and the physical education, the consolidation in Brazil of an imaginary which conceived nature as an ideal environment was observed, for healing and disease prevention, as much as the strengthening and the education of the body, through physical exercises such as gymnastics, sports, games and therapeutic practices as heliotherapy, hydrotherapy and climotherapy. Following the ways of such a conception of the nature, the Department of Physical Education of São Paulo State, an organ under the Secretariat for Education and Public Health, stands out, once it was responsible, in the 1930s, for important interventions with two extracurricular institutions which kept nearness to the imaginary of healing and educational nature: the playgrounds and the summer camps. As for the school institution, it was the Department of Physical Education of São Paulo State responsible for creating and running the D. Pedro II School of Outdoors Application, which configured itself as an institution of experimental education located inside a public park and that kept nature and physical education as central objects of its pedagogy.