Felix-Emile Taunay : cidade e natureza no Brasil

Orientador: Luiz Marques

Access type:openAccess
Publication Date:2005
Main Author: Dias, Elaine Cristina
Advisor: Marques Filho, Luiz Cesar, 1952-, Filho, Luiz Cesar Marques
Referee: Pereira, Sonia Gomes, Azevedo, Ricardo Marques de, Lima, Valeria Esteves Alves, Migliaccio, Luciano, Mattos, Claudia Valadão de, Kuhl, Paulo Mugayar
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-Graduação em História
Portuguese subjects:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/280565
Citation:DIAS, Elaine Cristina. Felix-Emile Taunay: cidade e natureza no Brasil. 2005. 510p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/280565>. Acesso em: 4 ago. 2018.
Portuguese abstract:Resumo: Esta tese de Doutorado estuda a carreira do pintor francês Félix-Émile Taunay no Rio de Janeiro, entre os anos de 1824 a 1851. Analisamos sua atuação como pintor de paisagens, assim como sua atividade de diretor da Academia Imperial de Belas Artes entre 1834 a 1851, período em que realizou uma série de inovações no campo do ensino artístico. Entre estas medidas, está o desenvolvimento do curso de desenho, a criação das Exposições Gerais de Belas Artes em 1840, a organização da Pinacoteca da Academia, o Prêmio de Viagem à Itália em 1845 e uma constante preocupação com a atuação do artista na sociedade. Nesse sentido, foi de suma importância o trabalho conjunto de Taunay e Grandjean de Montigny na busca pelo reconhecimento e estabelecimento profissional dos arquitetos acadêmicos na sociedade carioca de então. A abordagem à pintura de paisagem de Taunay realizou-se através de duas vias distintas. A primeira delas refere-se à análise do primeiro panorama brasileiro exposto em Paris - o Panorama da cidade do Rio janeiro - com base nos desenhos elaborados por Taunay e pintados por Guillaume Ronmy em 1824. A segunda concentra-se na pintura de paisagem realizada entre as décadas de 1820 e 1840, as quais demonstram, pouco a pouco, uma nova abordagem temática do gênero. Com este trabalho, caminhamos na tentativa de cobrir uma lacuna dentro da história da arte brasileira do século XIX, seja na história do ensino artístico, seja na temática da pintura de paisagem
English abstract:Abstract: This doctoral thesis studies the French painter Félix-Émile Taunay career in Rio de Janeiro, in between the years of 1824 and 1851. We analyze his activity as landscape painter, as well as his activity as director of the Imperial Academy of Fine Arts between 1834 and 1851, when he implemented several innovations in the area of artistic teaching. Among such accomplishments, we can list the development of a drawing course, the creation of the Exposições Gerais de Belas Artes (General Expositions of Fine Arts) in 1840, the organization of the Picture Gallery of the Academy, the Prix de Rome in 1845, and the existence of a continuous concern about the action of the artist in society. In this sense, it was of chief importance the work of Taunay in cooperation with Grandjean de Montignv for the professional establishment of academic architects in the carioca society at the time. The account of Taunay's landscape painting in this thesis is twofold. First, there is the analysis of the first Brazilian panorama exhibited in Paris - the Panorama da Cidade do Rio de janeiro - based upon Taunay's projected drawings, painted by Guillaume Ronmy in 1824. Second, we focus on the landscape painting from the 1820's to the 1840's, which gradually show a new thematic account of the genus. With this work we attempt to cover a hiatus in the Brazilian history of art of the nineteenth century, a gap existing in the history of artistic teaching as well as in the subject-matter of landscape painting