Produtivismo acadêmico no Brasil: uma abordagem introdutória dos parâmetros da avaliação da pós-graduação e dos seus possíveis efeitos

O tema do produtivismo acadêmico nesta dissertação se desenvolveu a partir da percepção de a importância da produção literária científica se traduzir no meio de aplicação análoga do modelo produtivista industrial à produção acadêmica, e as pressões decorrentes desta imposição. Foi utilizado o método...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2017
Main Author: Esteves, Maria Madalena Soares de Souza
Advisor: Vilaça, Murilo Mariano
Document type: Master thesis
Online Access:https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/24088
Citation:ESTEVES, Maria Madalena Soares de Souza. Produtivismo acadêmico no Brasil: uma abordagem introdutória dos parâmetros da avaliação da pós-graduação e dos seus possíveis efeitos. 2017. 143 f. Dissertação (Mestrado em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva) - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2017.
Portuguese abstract:O tema do produtivismo acadêmico nesta dissertação se desenvolveu a partir da percepção de a importância da produção literária científica se traduzir no meio de aplicação análoga do modelo produtivista industrial à produção acadêmica, e as pressões decorrentes desta imposição. Foi utilizado o método científico dialético, com pesquisa de natureza aplicada, qualitativa e descritiva, com a Análise de Conteúdo como técnica de organização e análise do material selecionado a partir da pesquisa a artigos, dissertações e teses com as palavras “produtivismo” e “acadêmico”, publicados por autores nacionais em língua portuguesa, por considerar as especificidades brasileiras quanto à sua história, concepção econômica e sistema jurídico e de governo. Os resultados apontaram para o desejo de reconhecimento como ferramenta para obter do pesquisador o aumento de sua produção, desconsiderando a qualidade de vida, a saúde e a dignidade do pesquisador e para a importância da dimensão mórbida do produtivismo, fenômeno que aparece diante da forma que cada pesquisador e a organização científica em geral tratam o novo modelo avaliativo, principalmente diante da adesão, por sua própria autonomia e manifestação de vontade, ao protagonismo desta desconsideração, inclusive quanto à ética e até mesmo ao seu próprio bem-estar, por acreditar que os fins que pretende alcançar são mais importantes. Ou seja, não só o sistema transforma o pesquisador em instrumento de produção: muitas vezes ele também instrumentaliza a si e a seus pares para atender a tais exigências. Diante deste cenário, o assédio moral organizacional é trazido como chave analítica, tendo as preocupações do campo da Saúde do Trabalhador como cenário e suas considerações sobre o tempo de trabalho e tempo de lazer diante das revoluções tecnológicas. Concluiu-se pela necessidade de promover o ajuste que se entender necessário a partir do diagnóstico de existência de uma patologia, o que se conseguirá com a reflexão sobre a construção de novas políticas de avaliação considerando todos os aspectos relevantes tanto para os pesquisadores quanto para o desenvolvimento coletivo, científico, social e econômico, garantindo que a ciência brasileira ocupe seu lugar de valor na comunidade internacional, mesmo considerando seu início tardio e ainda recente, a partir do enriquecimento dos debates quanto à metodologia e desenvolvimento da pesquisa e da carreira acadêmica, mantendo em primeiro plano a ética mais adequada, as limitações do Estado e o desenvolvimento da ciência, possibilitando o seu próprio crescimento e o daqueles que nela têm o seu ofício.
English abstract:The theme of academic productivism in this dissertation developed from the perception of scientific literary production importance into an analogous application of the industrial productivist model to academic production and the pressures resulting from this imposition. It was used the dialectical scientific method, with applied research, qualitative and descriptive, with Content Analysis as a technique of organization and analysis of the material selected from the research to articles, dissertations and theses with the words “productivism” and “academic”, published by national authors in portuguese language, considering the brazilian specificities as to their history, economic conception and legal and governmental system. The results pointed to the desire for recognition as a tool to obtain from the researcher the increase of his production, disregarding researcher’s life quality, health and dignity and the importance of the morbid dimension of productivism, a phenomenon that appears by the way in which each researcher and the scientific organization in general deal with the new evaluative model, especially when the researcher’s adhesion, through its own autonomy and will manifestation, to the protagonism of this disregard, including ethics and even his own well-being, for believe that the ends you want to achieve are more important. In another words, not only does the system transform the researcher into an instrument of production: he often also equips himself and his peers to attend such demands. Given this scenario, organizational harassment is brought as an analytical key, with the concerns of the Occupational Health field as its scenario and its considerations about working time and leisure time, in the face of technological revolutions. It was concluded that there is a need to promote the adjustment that is deemed necessary from the diagnosis of the existence of a pathology, which will be achieved by reflecting on the construction of new evaluation policies considering all relevant aspects to both, researchers and collective, scientific, social and economic development, ensuring that brazilian science occupies its place of value in the international community, even considering its late and recent beginning, from the enrichment of the debates regarding methodology and development of research and academic career, keeping in the foreground the most appropriate ethics, the limitations of the State and the development of science, enabling its own growth and that of those who works on it.