Fatores associados ao aleitamento cruzado em duas cidades do Sudeste do Brasil

O objetivo foi estimar a prevalência de aleitamento cruzado em duas cidades brasileiras e analisar os fatores associados à prática. Estudo transversal aninhado a uma coorte de gestantes recrutadas nas unidades públicas de saúde que ofereciam atendimento pré-natal em duas cidades de médio porte do Es...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2017
Main Author: Seehausen, Mariana Pujól von
Other Authors: Oliveira, Maria Inês Couto de, Boccolini, Cristiano Siqueira, Leal, Maria do Carmo
Document type: Article
Language:por
Published: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca
Online Access:https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/28038
Citation:SEEHAUSEN, Mariana Pujól von et al. Fatores associados ao aleitamento cruzado em duas cidades do Sudeste do Brasil. Cadernos de Saúde pública, v. 33, n. 4, p. 1-10, 2017
Portuguese abstract:O objetivo foi estimar a prevalência de aleitamento cruzado em duas cidades brasileiras e analisar os fatores associados à prática. Estudo transversal aninhado a uma coorte de gestantes recrutadas nas unidades públicas de saúde que ofereciam atendimento pré-natal em duas cidades de médio porte do Estado do Rio de Janeiro, Brasil: da Região Metropolitana e da Região Serrana, conduzido entre 2008 e 2010. O presente trabalho inclui todas as mulheres entrevistadas aos seis meses de vida de seus bebês. Razões de prevalência ajustadas foram obtidas por modelo de regressão de Poisson e as variáveis de exposição que alcançaram p ≤ 0,05 compuseram o modelo final. O aleitamento cruzado foi praticado por 43,4% das mães na região metropolitana e por 34,5% delas na Região Serrana. O baixo nível socioeconômico esteve associado ao aleitamento cruzado nas duas cidades. Além disso, na Região Serrana foram associados diretamente ao desfecho ser mãe adolescente, ter escolaridade igual ou inferior ao Ensino Fundamental completo e ter realizado menos de seis consultas pré-natais. Na Região Metropolitana, além do nível socioeconômico, apenas a multiparidade foi associada (inversamente) ao aleitamento cruzado. O aleitamento cruzado, embora contraindicado pelo Ministério da Saúde, apresentou alta prevalência entre as mães entrevistadas e foi mais praticado pelas populações mais vulneráveis.
English abstract:The objective was to estimate the prevalence of cross-nursing in two Brazilian cities and analyze factors associated with the practice. This was a cross-sectional study nested in a cohort of pregnant women recruited at public health services that offered prenatal care in two medium-sized cities in the State of Rio de Janeiro: one in Greater Metropolitan Rio and the other in the Mountainous Region, conducted from 2008 to 2010. The current study included women interviewed when their infants were six months old. Adjusted prevalence ratios were obtained with a Poisson regression model, and exposure variables that reached p ≤ 0.05 comprised the final model. Cross-nursing was practiced by 43.4% of the mothers in Greater Metropolitan Rio de Janeiro and 34.5% in Mountainous Region. Low socioeconomic status was associated with cross-nursing in both cities. In addition, in Mountainous Region the outcome was directly associated with adolescent motherhood, maternal schooling less than or equal to complete primary, and fewer than six prenatal visits. In Greater Metropolitan Rio de Janeiro, in addition to socioeconomic status, only multiparity was associated (inversely) with cross-nursing. Crossnursing, although contraindicated by the Brazilian Ministry of Health, showed high prevalence among the mothers in the sample and was more frequent among the more vulnerable population groups.