Social geography of AIDS in Brazil: identifying patterns of regional inequalities

A tendência ao declínio e estabilização da epidemia de AIDS no Brasil deve ser analisada de forma criteriosa, uma vez que, num país de grande extensão territorial e diversidade, dados agregados podem mascarar desigualdades regionais ou locais. Este estudo reavalia a difusão espacial da epidemia e o...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Teixeira, Tatiana Rodrigues de Araujo
Other Authors: Gracie, Renata, Malta, Monica Siqueira, Bastos, Francisco I.
Document type: Article
Language:eng
Published: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca
Online Access:https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/29072
Citation:TEIXEIRA, Tatiana Rodrigues de Araujo et al. Social geography of AIDS in Brazil: identifying patterns of regional inequalities. Cadernos de Saúde Pública, v. 30, n. 2, p. 259-271, 2014
Portuguese abstract:A tendência ao declínio e estabilização da epidemia de AIDS no Brasil deve ser analisada de forma criteriosa, uma vez que, num país de grande extensão territorial e diversidade, dados agregados podem mascarar desigualdades regionais ou locais. Este estudo reavalia a difusão espacial da epidemia e o padrão de mortalidade secundária à AIDS no Brasil. Foram considerados todos os casos diagnosticados em maiores de 18 anos, residentes no país, bem como os óbitos registrados em 1998-2008. Foram estimadas taxas médias móveis trienais e realizada análise espacial com auxílio do método bayesiano empírico local. Verificou-se que a epidemia encontrava-se em expansão apenas no Norte e Nordeste, enquanto declinava no restante do país, acentuadamente no Sudeste. Os achados mostram que a aparente estabilização da mortalidade por AIDS tende a mascarar disparidades regionais. Os determinantes sociais da saúde e disparidades regionais devem ser levadas em conta na formulação de programas e políticas.
English abstract:The trend towards decline and stabilization of the AIDS epidemic in Brazil should be analyzed carefully, since aggregate data can mask regional or local inequalities in such a large and diverse country. The current study reevaluates the epidemic’s spatial dissemination and the AIDS-related mortality pattern in Brazil. The study considered all AIDS cases diagnosed in individuals over 18 years of age and living in Brazil, as well as AIDS deaths recorded in 1998-2008. Threeyear moving average rates were estimated, and a spatial analysis was conducted using a local empirical Bayesian method. The epidemic was only found to be expanding in the North and Northeast regions, while declining in the rest of the country, especially in the Southeast. According to the findings, the apparent stabilization of AIDS mortality tends to mask regional disparities. Social determinants of health and regional disparities should be taken into account in program development and policymaking.