Práticas alimentares no primeiro ano de vida de filhos de adolescentes

Objetivo Estudar as práticas alimentares de menores de um ano, filhos de adolescentes, residentes no município de Volta Redonda (RJ). Métodos Estudo transversal com 1.014 crianças selecionadas aleatoriamente na Campanha de Multivacinação de 2006, com aplicação de questionário fechado (recordatório d...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2010
Main Author: Cruz, Myrian Coelho Cunha da
Other Authors: Almeida, João Aprigio Guerra de, Engstrom, Elyne Montenegro
Document type: Article
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Faculdades de Ciências Médicas. Curso de Nutrição
Online Access:https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/1739
Citation:CRUZ, Myrian Coelho Cunha da; ALMEIDA, João Aprigio Guerra de; ENGSTROM, Elyne Montenegro. Práticas alimentares no primeiro ano de vida de filhos de adolescentes. Rev. Nutr., Campinas, SP, v. 23, n. 2, p. 201-210, mar./abr. 2010.
Portuguese abstract:Objetivo Estudar as práticas alimentares de menores de um ano, filhos de adolescentes, residentes no município de Volta Redonda (RJ). Métodos Estudo transversal com 1.014 crianças selecionadas aleatoriamente na Campanha de Multivacinação de 2006, com aplicação de questionário fechado (recordatório de 24h). Foram analisadas características das mães e de seus filhos. As prevalências de aleitamento materno, aleitamento materno exclusivo, aleitamento materno predominante, a oferta de outros leites, a alimentação no primeiro dia em casa, a alimentação complementar oportuna, a oferta de sólidos ou semi-sólidos, e o uso de chupetas e mamadeiras foram investigadas. Resultados As prevalências aleitamento materno, aleitamento materno exclusivo e aleitamento materno predominante foram 85,5%, 32,0% e 9,6%, respectivamente, sem diferenças entre filhos de adolescentes e adultas. A oferta de outros leites, entretanto, foi significativamente maior junto aos filhos de adultas (45,3%, contra 31,2% observados entre adolescentes). Maiores de seis meses, filhos de adolescentes, revelaram menor prevalência de aleitamento materno que os de adultas (49,2% e 66,0%, respectivamente), assim como maior frequência no uso de chupetas, com diferenças significativas. A alimentação complementar foi similar entre filhos de adolescentes e adultas, com predominância da oferta de sopas ou papas. Carne e feijão foram utilizados com mais frequência em sólidos. Conclusão Não foram observadas diferenças no aleitamento considerando a variável idade materna, adolescente ou não, antes de seis meses de vida e sim após esse período. Nos maiores de seis meses, chama também a atenção o maior no uso de chupetas, assim como a oferta e as características da alimentação complementar de filhos de adolescentes. Estudos de natureza compreensiva mostram-se necessários.
English abstract:Objective The objective of this work was to study the feeding practices of adolescent mothers’ infants under one year of age living in the city of Volta Redonda (RJ). Methods This cross-sectional study included 1,014 infants selected randomly at the 2006 Multiple Vaccination Campaign. The 24-hour recall was used. Characteristics of the mothers and infants were analyzed. The prevalences of breastfeeding, exclusive and predominant breastfeeding and the use of other kinds of milk, in addition to the feeding practices in the first day at home and use of complementary foods, solid or semi-solid foods and pacifiers and bottles were investigated. Results The prevalences of breastfeeding and exclusive and predominant breastfeeding were 85.5%, 32.0% and 9.6%, respectively, with no differences between adolescents’ and adults’ children. Adult mothers were significantly more likely to offer other kinds of milk than adolescent mothers (45.3% and 31.2% respectively). Infants at six or more months of age of adolescent mothers were significantly less likely to be breastfed than those of adult mothers (49.2% and 66.0% respectively) and more likely to be given pacifiers. Adult and adolescent mothers presented similar complementary feeding practices, with soups and soft foods prevailing. Meat and beans were the most common solid foods given to the infants. Conclusion There are no differences in breastfeeding practices among mothers of different ages, whether adolescent or not, in the first six months of an infant’s life but the practices do differ after this age. Among the six-monthold infants or older of adolescent mothers, the extensive use of pacifiers and the characteristics of the complementary foods deserve attention. Comprehensive studies are necessary.