Diferentes atitudes frente ao risco e diferentes projetos de modernidade

O debate sobre o termo risco e seus discursos na modernidade são um tema atual e de grande importância para o campo da Saúde Pública, pois sempre nos remete à possibilidade de debatermos diferentes projetos de sociedade e de modernidade. O termo risco surge com o próprio processo de constituição das...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2001
Main Author: Freitas, Carlos Machado de
Document type: Article
Language:por
Published: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca
Online Access:https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/32999
Citation:FREITAS, Carlos Machado de. Diferentes atitudes frente ao risco e diferentes projetos de modernidade. Cadernos de Saúde Pública, v. 17, n. 6, p. 1-2, 2001.
Portuguese abstract:O debate sobre o termo risco e seus discursos na modernidade são um tema atual e de grande importância para o campo da Saúde Pública, pois sempre nos remete à possibilidade de debatermos diferentes projetos de sociedade e de modernidade. O termo risco surge com o próprio processo de constituição das sociedades contemporâneas a partir do final do Renascimento, quando ocorreram intensas transformações sociais e culturais associadas ao forte impulso nas ciências e nas técnicas, às grandes navegações e à ampliação e fortalecimento do poder político e econômico de uma nascente burguesia (Freitas, 1997). Constitui-se em uma das formas de expressão de um projeto de organização social, política, econômica e cultural que, tendo suas origens na nascente burguesia da Europa Ocidental, foi cada vez mais se estendendo sobre todo o planeta e se intensificando nas sociedades que atingiu. Neste projeto, o homem, através de ações racionais que objetivam ordenar o mundo em que vive, deve determinar seu próprio futuro, transformando-o em um território a ser conquistado ou colonizado e que lhe possibilitará alcançar a liberdade, a felicidade ou a satisfação das suas necessidades (Giddens, 2000; Toraine, 1994).