Carga de trabalho de enfermeiros: uma análise do Nursing Activities Score (NAS)

Este estudo tem como objeto a carga de trabalho de enfermeiros que trabalham em unidades de cuidados semi-intensivos. Seu objetivo geral foi identificar e analisar a percepção dos enfermeiros de uma unidade semi-intensiva acerca do instrumento Nursing Activities Score - NAS, tendo como foco o concei...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2009
Main Author: Alessandra de Souza Monteiro Esteves lattes
Advisor: Helena Maria Scherlowski Leal David lattes
Referee: Maria Yvone Chaves Mauro lattes, Regina Célia Gollner Zeitoune lattes
Document type: Master thesis
Language:por
Published: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Program: Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
Portuguese subjects:
English subjects:
Knowledgement areas:
Online Access:http://www.bdtd.uerj.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2460
Portuguese abstract:Este estudo tem como objeto a carga de trabalho de enfermeiros que trabalham em unidades de cuidados semi-intensivos. Seu objetivo geral foi identificar e analisar a percepção dos enfermeiros de uma unidade semi-intensiva acerca do instrumento Nursing Activities Score - NAS, tendo como foco o conceito de carga de trabalho. Os objetivos específicos foram: identificar domínios do NAS considerados pelos enfermeiros como capazes de avaliar a carga de trabalho; identificar os itens que os enfermeiros consideram relevantes e manteriam no instrumento, os itens que excluiriam e os que acrescentariam; identificar itens que os enfermeiros consideram subdimensionados, para os quais aumentariam a pontuação, os superdimensionados, para os quais diminuiriam a pontuação; e, ao final, discutir implicações dessa avaliação para a organização do trabalho e seus impactos na saúde do trabalhador de enfermagem. Estudo de abordagem quantitativa do tipo descritivo exploratória, com breve aporte qualitativo, utilizando a triangulação metodológica. O local de estudo foi uma unidade de média complexidade com 35 leitos em um hospital privado do Rio de Janeiro. Participaram do estudo 28 enfermeiros e os dados foram coletados por meio de um questionário com perguntas fechadas e abertas no período de abril a maio de 2008. O tratamento dos dados foi realizado com apoio do software Excel, utilizando estatística descritiva. O material qualitativo foi organizado em categorias, usando elementos da Análise de Conteúdo Temática. Entre os domínios, verificou-se que os enfermeiros consideram o que mais avalia a carga real de trabalho o Suporte Ventilatório, com 89%, e o domínio que não avalia a carga de trabalho foi o Suporte Neurológico, com 25%. Os três domínios mais citados para serem acrescidos de atividades foram o Suporte Renal, com 25%, seguido Intervenção Especificas, com 21%, e Suporte Metabólico, respectivamente. Quanto à exclusão de atividades, só dois domínios foram mencionados: Suporte Ventilatório, com 25%, e Atividade Básica, com 21%. Os enfermeiros acham que 69% da pontuação era adequada aos itens e 31% acreditam não estar adequada. No grupo, 27% aumentariam a pontuação em alguns itens e 4% diminuiriam a pontuação. Sobre a mensuração da carga de trabalho, acreditam que essa colabora no processo de trabalho, 79%, e 57% acham que mensurar a carga de trabalho através do NAS pode auxiliar na preservação de sua saúde. Concluímos que esse instrumento mensura a carga de trabalho na opinião dos enfermeiros, mas precisa ser adaptado à realidade da unidade onde está sendo aplicada. Além disso, os enfermeiros alteraram mais os itens relacionados à carga física sem identificar a carga psíquica de trabalho como relevante, evidenciando que o trabalho de enfermagem precisa ser mais bem conhecido pelos enfermeiros no que se refere às dimensões de impacto na sua saúde.
English abstract:The objective of this study was identify and analyze the perception of nurses from a Unit Semi Intensity on the instrument Nursing Activities Score (NAS) concerning the concept of work burden. Specific targets were: identify NAS domains that nurses considerate that can measure work burden ; identify the items they considerate relevant and they would keep in the instrument, the items they would exclude, and items they evaluate must be added; identify sub and super dimensioned items, adequating their punctuation; discuss implications of this assessment for work organization and the impacts on workers health. Quantitative, exploratory and descriptive study, including a brief qualitative contribution. Locus was a medium complexity health unit with 35 beds in a private hospital of Rio de Janeiro City. Subjects were 28 nurses, and data collection used a structured questionnaire, in the period from April to May, 2008. Data organization was accomplished with support of an electronic database in the software Excel, using descriptive statistical tests. Qualitative material was organized in categories, according to Thematic Analysis of Content methodology. Results showed that nurses considered that the domains can assess work burden in a range from 25% to Neurological Support to 98% for Ventilatory Support. The three domains nurses would increase punctuation were Renal Support Specific Interventions and Metabolic Support. They would exclude items of two domains: Respiratory Support (25%) and Basic Activities (21%), and 69% of nurses considered punctuation correct, and 31%, incorrect. In the samplo, 27% would increase punctuation in some items, and 4% would diminish. About work burden assessment, nurses think NAS collaborates in work process (79%), and 57% think that measure work burden through NAS helps to preserve their health. We concluded that this instrument measures work burden in the nurses' opinion, but needs to be adapted to the unit care reality where is being applied. Besides, nurses altered more the items related to physical burden, without identifying the psychic work burden as relevant, evidencing that nursing work needs to be known better by nurses concerning the impact dimensions in their health.