Máquina de [re]escrever: processos de reciclagem cultural na obra metabiográfica de Ana Miranda

O trabalho avalia a reescrita da história e da cultura no Brasil, a partir da análise do corpus metabiográfico de Ana Miranda que compreende narrativas que recontam os itinerários criativos e existenciais dos autores protagonistas Gregório de Matos, Antônio Vieira, Gonçalves Dias, Augusto dos Anjos...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Macedo, Anne Greice Soares Ribeiro
Advisor: Lima, Rachel Esteves
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Portuguese subjects:
Online Access:http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8559
Portuguese abstract:O trabalho avalia a reescrita da história e da cultura no Brasil, a partir da análise do corpus metabiográfico de Ana Miranda que compreende narrativas que recontam os itinerários criativos e existenciais dos autores protagonistas Gregório de Matos, Antônio Vieira, Gonçalves Dias, Augusto dos Anjos e Clarice Lispector. escrita da autora se apropria da biografia dessas personalidades, das suas obras e de textos diversos, procedimento criativo que, quando da publicação do seu primeiro romance, o Boca do Inferno, suscitou polêmicas, sobretudo entre críticos especializados. As citações livres, sem referências às fontes consultadas, bem como a manipulação inventiva da história, do acervo crítico e da obra dos autores ficcionalizados abalavam o consagrado estatuto da autoria e, ao mesmo tempo, saíam do eixo do ―controle do imaginário‖, ao praticar a não sujeição do ficcional ao documental. O modo de construção artística da autora, afinando-se com uma poética da reciclagem cultural e, portanto, apresentando-se como construção múltipla, polifônica e diacrônica, suscita, desde a análise das suas próprias criações, reflexões acerca dos processos criativos e de intervenções artísticas propiciados pela reprodutibilidade técnica e revitalizados pela difusão da internet e das novas tecnologias digitais, com as consequentes interferências que essas novas possibilidades operam, sobretudo nas formas de se lidar com a propriedade intelectual.