AdaptaÃÃo transcultural e validaÃÃo da maternal postpartum quality of life questionnaire: aplicaÃÃo em puÃrperas brasileiras

nÃo hÃ

Access type:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Mirna Fontenele de Oliveira
Advisor: Ana Karina Bezerra Pinheiro lattes
Referee: Namie Okino Sawada lattes, Priscila de Sousa Aquino lattes, MÃnica Oliveira Batista Orià lattes, RÃgia Christina Moura Barbosa
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Federal do CearÃ
Program: Programa de PÃs-GraduaÃÃo em Enfermagem
English subjects:
Knowledgement areas:
Online Access:http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=12068
http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=12069
Portuguese abstract:Embora a importÃncia da morbidade pÃs-natal tenha sido posta em pauta nos Ãltimos anos, informaÃÃes sobre a sua repercussÃo para a vivÃncia das puÃrperas ainda à limitada, o que leva a crer que a qualidade de vida (QV) da mulher neste perÃodo seja um aspecto que mereÃa maior atenÃÃo. Neste sentido, a mensuraÃÃo da qualidade de vida mediante a percepÃÃo do paciente tem sido recomendada. Objetivou-se adaptar transculturalmente a Maternal Postpartum Quality of Life Questionnaire para a LÃngua Portuguesa no contexto brasileiro, verificar as propriedades psicomÃtricas da Maternal Postpartum Quality of Life Questionnaire no Brasil, analisar a relaÃÃo entre os Ãndices da Maternal Postpartum Quality of Life Questionnaire e as variÃveis maternas, e identificar os preditores de Qualidade de Vida entre as mÃes brasileiras estudadas. Trata-se de um estudo metodolÃgico, com abordagem quantitativa, realizado em uma maternidade-escola pÃblica de Fortaleza-CearÃ. O estudo foi iniciado apÃs consentimento da autora da escala e cumpriu duas etapas: adaptaÃÃo transcultural, segundo protocolo de Beaton et al. (2007) e verificaÃÃo das propriedades psicomÃtricas (validade e confiabilidade). A amostra foi composta por 210 mulheres, entre 7 e 10 dias de pÃs-parto. A coleta de dados ocorreu entre abril e julho de 2012 e foi subsidiada pela tÃcnica de entrevista, com aplicaÃÃo da MAPP-QOL e de um formulÃrio com informaÃÃes sociodemogrÃficas e obstÃtricas das participantes. As anÃlises dos dados maternos, Ãndices de Qualidade de Vida e propriedades psicomÃtricas foram realizadas utilizando o programa Statistical Package for Social Sciences, versÃo 21.0. O processo de adaptaÃÃo transcultural resultou em uma escala com 39 itens, reavaliados seis itens por discordÃncia entre o comità de juÃzes e acrescentadas modificaÃÃes em dois destes, em resposta à validaÃÃo de face. Sendo assim, a Maternal Postpartum Quality of Life Questionnaire obteve um Ãndice de ConcordÃncia entre os juÃzes de 0,97. A anÃlise fatorial foi o meio escolhido para a validaÃÃo de construto do instrumento. Foi mantido o mesmo nÃmero de domÃnios da versÃo original, diferindo apenas na relocaÃÃo de 20 itens ao longo de todos os domÃnios, segundo rotaÃÃo varimax. O alfa de Cronbach total foi de 0,89, denotando a confiabilidade do instrumento. A validade discriminante foi confirmada atravÃs das diferenÃas nos escores da Maternal Postpartum Quality of Life Questionnaire entre os grupos contrastados. O escore mÃdio obtido da Maternal Postpartum Quality of Life Questionnaire foi 15,24 e houve relaÃÃo estatÃstica significativa entre estado civil (p = 0,01), raÃa (p = 0,04) e nÃvel educacional (p = 0,01), com os escores totais da escala. Segundo a anÃlise de regressÃo mÃltipla das variÃveis e os escores da escala, apenas o estado civil e a raÃa puderam ser considerados preditores para qualidade de vida. Conclui-se que a versÃo brasileira da Maternal Postpartum Quality of Life Questionnaire pode ser considerada um instrumento especÃfico confiÃvel e vÃlido de aferiÃÃo da qualidade de vida, de fÃcil compreensÃo e aplicaÃÃo durante o perÃodo pÃs-parto. A utilizaÃÃo da MAPP-QOL no Brasil poderà nortear pesquisadores e/ou profissionais da Ãrea da saÃde da mulher rumo ao planejamento, à implementaÃÃo e à avaliaÃÃo de intervenÃÃes prÃ-qualidade de vida, tornando-os, assim, promotores da saÃde materna.