Composição, formação e localização de domicílios: um estudo dos domicílios com jovem adulto

O objetivo desta tese é identificar a probabilidade de ocorrência de determinado arranjo domiciliar com jovem adulto no espaço urbano, em função de mudanças nas características do jovem adulto e de aspectos ambientais. A partir da teoria econômica de formação de domicílios, desenvolveram-se algumas...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Guilherme de Castro Leiva
Advisor: Eduardo Luiz Goncalves Rios Neto
Referee: Paula de Miranda Ribeiro, Jupira Gomes de Mendonca, David Jose Ahouagi V de Magalhaes, Gustavo Henrique Naves Givisiez, FREDERICO POLEY MARTINS FERREIRA
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Federal de Minas Gerais
Portuguese subjects:
Online Access:http://hdl.handle.net/1843/AMSA-8ULR9G
Portuguese abstract:O objetivo desta tese é identificar a probabilidade de ocorrência de determinado arranjo domiciliar com jovem adulto no espaço urbano, em função de mudanças nas características do jovem adulto e de aspectos ambientais. A partir da teoria econômica de formação de domicílios, desenvolveram-se algumas hipóteses sobre a estrutura domiciliar com jovem adulto e sua relação com a estrutura intraurbana. Essas hipóteses foram testadas em dois modelos estoque e fluxo através da análise dos efeitos de fatores demográficos, socioeconômicos e ambientais. Concluiu-se que o estoque de domicílios com jovem adulto é dado via jovem adulto morando com os pais e família convivente, enquanto o fluxo, principalmente, via união/ casamento. De certa forma, as categorias domiciliares de estoque representariam a população em risco de formar um novo domicílio, enquanto as demais categorias, a concretização desse processo. A família convivente possui maior participação entre domicílios de baixo status socioeconômico e é formada, principalmente, por famílias monoparentais chefiadas por mulheres. Esta forma de extensão domiciliar corrobora o efeito renda na extensão, ou seja, menor renda potencial dos membros do domicílio aumenta o tamanho dos domicílios. Contudo, a extensão domiciliar também ocorre nos domicílios de alto status socioeconômico, via jovem adulto morando com os pais, o que contraria a hipótese do efeito renda. A resposta para esta condição pode estar no efeito preço da habitação. No fluxo, há o paradoxo do efeito renda individual na formação de casais. A probabilidade de os casais estarem em novos domicílios vai no sentido contrário da visão tradicional de que o aumento da renda implicaria em aumento de uniões. A análise dos aspectos ambientais mostrou que renda média e centralidade são diretamente associadas, enquanto intensidade do uso do solo e acessibilidade rompe, em parte, com esta organização socioespacial. Menor tempo de deslocamento casa-trabalho possibilita o surgimento de áreas valorizadas dispersas. A combinação acessibilidade e verticalização promovem o acesso de domicílios com menor status socioeconômico próximo às áreas mais valorizadas.
The main purpose of this thesis is to identify the probability of happening different young adult living arrangements in the urban space due to changes on the young adults characteristics and environmental aspects. From the economic theory of household formation some hypothesis were developed between the household structure and its relation with intra-urban structure. These hypotheses were tested in two models stock and flow by analyzing the effects of demographic, socioeconomic and environmental factors. It is been concluded that household stock occur through young adults living with their parents and family cohabitation, while flow happens through union/ marriage. In some ways stock household categories represent the possibility of a new household formation and the others the materialization of this process. The family cohabitation has more frequency in the low socioeconomic status family, mainly in monoparental families headed by women. This kind of extension confirms the effect of income on the household extension, in other words, lower potential income of household members increases the household size. However the household extension happens in higher socioeconomic status family through young adults living with their parents, contradicting the income effect hypothesis. The answer to this condition can be household price. In the flow model there is the individual income paradox on the couples formation. The probability of couples living in a new households goes on the opposite way of traditional vision that an increase in income induces an increase in union/ marriage. The analyses of environmental aspects show that average income and centrality are related while the intensity land use and accessibility somehow break this socio-spatial organization. Lower commuting time allows the development of scattered the most valued areas. The combination of accessibility and verticalization promotes the household access to lower socioeconomic families near the most valued areas.