Anemia infecciosa das galinhas em Minas Gerais: diversidade genética e epidemiologia molecular

Descreve-se um estudo de ocorrência do genoma do vírus da anemia infecciosa das galinhas (CAV) na avicultura industrial, familiar, como contaminante em algumas vacinas comerciais para galinhas e a ausência em varias espécies de aves silvestres. O estudo foi conduzido entre 2006 e 2011 e, em aves ind...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Sandra Yuliet Marin Gomez
Advisor: Nelson Rodrigo da Silva Martins
Referee: Marcos Bryan Heinemann, Mauricio Resende, Adriana Dias Gomes, Priscilla Rochele Barrios
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Federal de Minas Gerais
Portuguese subjects:
CAV
Online Access:http://hdl.handle.net/1843/BUOS-95ZHFE
Portuguese abstract:Descreve-se um estudo de ocorrência do genoma do vírus da anemia infecciosa das galinhas (CAV) na avicultura industrial, familiar, como contaminante em algumas vacinas comerciais para galinhas e a ausência em varias espécies de aves silvestres. O estudo foi conduzido entre 2006 e 2011 e, em aves industriais incluiu 74 granjas, sendo 54 de frangos de corte e 20 de poedeiras comerciais, de diferentes mesorregiões do estado de Minas Gerais. Em aves da avicultura familiar, foram testadas galinhas de diferentes localidades, de 74 propriedades rurais, com e sem sinais clínicos da doença. Vacinas comerciais (n=40) produzidas na década de 1990 foram também investigadas. O DNA de CAV foi detectado por semi-nested PCR em 36,4% das granjas de frangos de corte da avicultura industrial e em 35% das propriedades da avicultura familiar e em sete vacinas vivas (17,5%) para a avicultura produzidas entre 1991 e 1998 para a prevenção de encefalomielite aviária, doença de Marek ou doença de Newcastle. A região que codifica parcialmente a proteína VP1 de CAV, encontrada em dez amostras provenientes da avicultura industrial e em sete amostras da avicultura familiar, foi caracterizada geneticamente através de sequenciamento. Para isto foram utilizadas duas PCRs que amplificam dois fragmentos diferentes do DNA de CAV. Juntos os fragmentos consistem em 1271 nucleotídeos que codificam parcialmente a proteína VP1. As sequências apresentaram similaridade de nucleotídeos de 93,7 a 99,5%, quando comparadas com 20 sequências de diferentes partes do mundo, disponibilizadas no GenBank, e a similaridade em aminoácidos deduzidos variou entre 96,6 e 100%. Em sequências de três amostras originárias de frangos de corte da Zona da Mata de Minas Gerais e da região metropolitana de Belo Horizonte, foi encontrado o aminoácido F na posição 98, substituição que parece ser típica de estirpes brasileiras. Substituições de aminoácidos também foram observadas nos resíduos das posições 22, 75, 97, 139, 144, 287 e 370 do gene de VP1 das estirpes estudadas. Os altos índices de ocorrência de CAV, semelhantes a estudos anteriores, aqui encontrados em taxas semelhantes em aves intensificadas e não intensificadas, podem ser indicativos de circulação do vírus entre as diferentes atividades avícolas em Minas Gerais. Os resultados em galinhas da avicultura industrial e de subsistência e de CAV contaminante de vacinas vivas podem representar fatores-chave da epidemiologia de CAV.
A study of the occurrence of chicken anemia virus (CAV) in broiler and layer chickens of the poultry industry, backyard chickens, and as a contaminant in commercial vaccines for chickens was carried out. The study was conducted in 2006-2011 and included 74 industrial poultry farms, being 54 broiler and 20 layer chickens, and 74 properties of backyard poultry, in different localities in the state of Minas Gerais, with and without clinical signs of disease. Commercial poultry vaccines (n=40) were also investigated. CAV DNA was detected by semi-nested PCR in 36.4% of industrial poultry farms, in 35% of the properties of backyard chickens and in 17.5% of live vaccines against avian encephalomyelitis, Mareks or Newcastle disease. CAV genetic regions that encode part of the VP1 protein, found in samples of ten farms from the poultry industry, and in seven properties of backyard chickens, were amplified, producing fragments of 1,271 nucleotides and were sequenced. The nucleotide sequences showed similarities from 93.7 to 99.5%, as compared with 20 sequences from different parts of the world in GenBank, and the deduced amino acid similarity ranged from 96.6 to 100%. In sequences of three strains obtained from broilers of regions Zona da Mata and the metropolitan region of Belo Horizonte (Minas Gerais), the amino acid F was found at position 98, substitution which appears to be typical of Brazilian strains. Amino acid substitutions were observed in the residues of positions 22, 75, 97, 139, 144, 287 and 370 of the CAV VP1 gene. The high rates of occurrence, similar to previous studies, here additionally demonstrated to be at similar rates in industrial and free-range chickens, may be indicative of CAV circulation among different poultry activities in Minas Gerais. The presence of CAV contaminant in vaccines may have been a complicating factor in CAV epidemiology, favoring dissemination and diversity. The chicken status and vaccine contamination results may have represented key factors in the epidemiologic history of CAV.