Situação econômica de arranjos domiciliares monoparentais e biparentais no Brasil: uma análise orçamentária

Este trabalho tem como objetivo explorar a situação econômica dos domicílios monoparentais comparativamente aos domicílios biparentais, considerando-se a possibilidade de ambos se arranjarem com e sem extensão familiar. De posse das informações de consumo, aborda-se, ainda, o investimento feito pelo...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Marcia Barroso Fontes
Advisor: Simone Wajnman
Co-advisor: Gilvan Ramalho Guedes
Referee: Bernardo Palhares Campolina Diniz, Ana Paula de Andrade Verona, Karla Maria Damiano Teixeira, MARIA CAROLINA TOMÁS
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Federal de Minas Gerais
Portuguese subjects:
Online Access:http://hdl.handle.net/1843/AMSA-9TVNGC
Portuguese abstract:Este trabalho tem como objetivo explorar a situação econômica dos domicílios monoparentais comparativamente aos domicílios biparentais, considerando-se a possibilidade de ambos se arranjarem com e sem extensão familiar. De posse das informações de consumo, aborda-se, ainda, o investimento feito pelos pais aos filhos, nos componentes capazes de potencializar o capital humano dos mesmos. Através da Pesquisa Nacional de Amostras por Domicílio (PNAD) e da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), delimita-se os tipos de arranjos domiciliares e verifica-se como as subclassificações desses arranjos associam-se à perspectiva orçamentária, utilizando-se os métodos Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) e Seemingly Unrelated Regressions (SUR). Assim, identificando-se o perfil dos diferentes arranjos mensurados pela renda, posse de bens e dispêndio, além da pauta de gastos nos componentes indicadores de investimento nos filhos, estimula-se a discussão da necessidade do planejamento de políticas públicas que tem como eixo as famílias, assegurando-lhes a melhoria do bem-estar e da qualidade de vida dos indivíduos.
This paper aims to explore the economic situation of single parent households compared to two-parent households, considering the possibility of both is reacquainted with and without extended family. Possession of consumer information, even if it covers investment made by parents to their children, the components capable of enhancing the human capital of the same. Through the National Research by Household Sample (PNAD) and the Household Budget Survey (POF), defines the types of living arrangements and it appears as subclassifications of these arrangements are associated with budgetary perspective, using the methods Ordinary Least Squares (OLS) and Seemingly Unrelated Regressions (SUR). Thus, identifying the profile of the different arrangements measured by income, expenditure and asset ownership, beyond the agenda of spending on components investment indicators in children, encourages the discussion of the necessity of planning policy which has as axis families, assuring them the greater well-being and quality of life of individuals.