Detecção do vírus da anemia infecciosa das galinhas em Minas Gerais

Foram avaliadas por nested PCR 32 amostras obtidas de galinhas da avicultura industrial, 20 de galinhas de subsistência, 28 amostras de vacinas comerciais e 16 amostras de aves da fauna e exóticas com o objetivo de pesquisar a presença de CAV e caracterizar molecularmente as estirpes encontradas. Qu...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2009
Main Author: Priscilla Rochele Barrios
Advisor: Nelson Rodrigo da Silva Martins
Co-advisor: Jose Sergio de Resende, Zelia Ines Portela Lobato
Referee: Christiane Maria Barcellos Magalhães da Rocha, Bernadete Miranda dos Santos, Mauricio Resende, Leonardo Jose Camargos Lara
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Federal de Minas Gerais
Portuguese subjects:
Online Access:http://hdl.handle.net/1843/SSLA-7V2JRM
Portuguese abstract:Foram avaliadas por nested PCR 32 amostras obtidas de galinhas da avicultura industrial, 20 de galinhas de subsistência, 28 amostras de vacinas comerciais e 16 amostras de aves da fauna e exóticas com o objetivo de pesquisar a presença de CAV e caracterizar molecularmente as estirpes encontradas. Quatorze estirpes de CAV foram sequenciadas, incluindo 7 obtidas de galinhas da avicultura industrial, 4 de galinhas de subsistência, 2 presentes em vacinas comerciais e uma de ave da fauna (Forpus xanthopterygius). A caracterização genética foi por análise das variações encontradas na região do DNA que codifica para as proteínas VP2 e VP3 de CAV. As sequências de nucleotídeos obtidas foram comparadas com sequências de estirpes de CAV de diferentes partes do mundo disponibilizadas no GenBank. As sequências nucleotídicas e de aminoácidos deduzidas foram alinhadas à sequência da estirpe padrão Cuxhaven-1, utilizada na produção de vacinas comerciais. Os resultados obtidos com a análise filogenética demonstraram que as estirpes do estudo apresentaram similaridade com isolados de várias partes do mundo, não apresentando relação geográfica, mas apresentaram variação discreta quando comparadas à estirpe Cuxhaven-1. As substituições de nucleotídeos não acarretaram mudança na sequência de aminoácidos inferida, com exceção da substituição na posição 153 da VP2 de um AV. O CAV foi detectado em cinco vacinas, incluindo de produção embrionária (contra a doença de Newcastle e encefalomielite aviária) e de cultivo primário (doença de Marek), todas da década de 90 (1991-1996) e em nenhuma da década atual. A presença do CAV em vacinas vivas comerciais para a avicultura foi considerada decisiva para a alta disseminação do vírus tanto para as aves da avicultura industrial, como da avicultura de subsistência e eventualmente aves da fauna. Foi avaliado também a ocorrência do CAV em galinhas de subsistência, aves da região metropolitana de Belo Horizonte MG. Em 6/20 (33%) das aves testadas foram detectados o genoma de CAV. A presença de CAV e seu caráter imunodepressor podem representar um transtorno adicional à saúde das aves. A confirmação de CAV na avicultura de subsistência alerta para o trânsito do CAV entre os diferentes sistemas de produção. A infecção por CAV pode ter chegado à avicultura de subsistência a partir de galinhas e frangos industriais em trânsito/transporte para centrais de processamento ou descarte, por convívio ou proximidade com aves industriais, por vacinas contaminadas com CAV e por vacinação contra a anemia infecciosa das galinhas nas aves industriais, entre outros, embora a infecção possa também ter ocorrido de forma independente e por estirpes distintas e exclusivas dessa avicultura
A wide range study was conducted on chicken anemia virus (CAV) in order to investigate the occurrence of CAV in different chicken populations and potential sources of infection. Tissue and biological samples were studied by nested PCR and sequencing, including thirty-two industrial chickens, twenty subsistence chickens, twenty-eight commercial poultry live and inactivated vaccines and sixteen birds of the avian fauna. The fourteen CAV amplicons sequenced included materials from the poultry industry (7), from subsistence chickens (4), from vaccines (2) and from the avian fauna (1). The genetic characterization by variation analyses of the VP2 and VP3 coding regions sequences were compared to sequence data deposited in the GenBank. The nucleotide and deducted amino acid sequences were aligned to the Cuxhaven-1 (Cux-1) prototype strain sequences for comparisons. The phylogenetic analyses of local CAV indicated high similarity of sequences irrespective of source, as well as to CAV sequences published for strains in all continents, although discrete as compared to Cux-1. However, the nucleotide substitutions did not result in amino acid change, except for the VP2 153 position, in which a change from alanine to valine was deducted. CAV was detected in five (5/28; 18%) vaccines produced between 1991 and 1996, including embryo (Newcastle and avian encephalomyelitis) and fibroblast monolayer (Marek's disease) vaccine viruses, but in none produced in the present decade. The detection of CAV in five batches of commercial vaccines of three different major laboratories may be considered an important factor for the present high CAV dissemination. In the subsistence chickens of the metropolitan region of Belo Horizonte, CAV genome was detected in (6/20; 33%). CAV may be of importance for the free-range chickens, although not as yet evaluated, for its potential immunosuppressive impact. CAV infection in free-range chickens may have also epidemiological importance, as additional source and risk for industrial chickens. Although the original source to free-range chickens might have been the industrial chickens infected, vaccinated with CAV vaccines or given CAV-contaminated vaccines, as indicated by the genetic similarity of strains, native free-range strains might also occur