A formação e a fixação da língua portuguesa em Minas Gerais: a toponímia da região do Carmo

Este trabalho tem por objetivo o estudo de topônimos da Região do Carmo - MG, fundamentando-se em pesquisa de campo nos municípios de Ouro Preto, Mariana, Barra Longa, Diogo de Vasconcelos, Alvinópolis, Ponte Nova, Rio Doce, Dom Silvério e Acaiaca como, também, em material cartográfico e documentos...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2004
Main Author: Maria Candida Trindade Costa de Seabra
Advisor: Maria Antonieta A de M Cohen
Referee: Sonia Maria de Melo Queiroz, Evelyne Jeanne A A M D Madureira, Maria Vicentina de Paula do Amaral Dick, Célia Marques Telles
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Federal de Minas Gerais
Portuguese subjects:
Online Access:http://hdl.handle.net/1843/ALDR-64KQ9A
Portuguese abstract:Este trabalho tem por objetivo o estudo de topônimos da Região do Carmo - MG, fundamentando-se em pesquisa de campo nos municípios de Ouro Preto, Mariana, Barra Longa, Diogo de Vasconcelos, Alvinópolis, Ponte Nova, Rio Doce, Dom Silvério e Acaiaca como, também, em material cartográfico e documentos escritos de épocas passadas, referentes a todos esses lugares. Os estudos toponímicos revelam-se de grande importância para o conhecimento de aspectos histórico-culturais de um povo pois permitem a identificação de fatos lingüísticos, de ideologias e crenças, presentes no ato denominativo e, posteriormente, na sua permanência ou não em uma comunidade. Partindo da hipótese de que os locativos, incluindo-se aqui os nomes de montanhas e rios, muitas vezes permanecem intactos, sobrevivendo até o tempo atual, permitindo-nos penetrar no passado, investiga-se a toponímia dessa região - primeiro território de Minas a ter núcleo populacional - adotando como referencial teóricometodológico o modelo toponímico de DAUZAT (1926) e DICK (1990), os modelos culturais de DURANTI (2000), bem como a perspectiva diacrônica de BYNON (1977) e (1995). Sob a luz da sociolingüística, parte-se do presente para o passado e volta-se ao presente. Em função dos topônimos coletados em gravações orais, material cartográfico e documentos antigos selecionados para esta pesquisa, procurou-se descrever e explicar a permanência, a variação e a mudança dos topônimos na região. Da análise das fichas toponímicas propostas para cada um desses itens, verifica-se que os topônimos de natureza antropocultural são a maioria e que, dentre esses, predomina a taxe dos antropotopônimos. A toponímia da região do Carmo revela-se como portuguesa e conservadora já que preponderam os topônimos de origem portuguesa e que poucas foram as substituições toponímicas comprovadas. A análise dos dados reflete o contexto histórico-cultural da formação dessa parte do território mineiro: tendo em fins do século XVII, início do XVIIl sido ocupada por bandeirantes paulistas, a região do Carmo, após o episódio conhecido como emhoahas, caracteriza-se por receber inúmeros imigrantes portugueses da região noroeste de Portugal que aí se fixaram, mantendo-se até hoje. O caminho de comunicação aberto com a Bahia durante o primeiro quartel do século XVIII se intensifica durante o século XIX com a rota do gado. Nesse período, a região se torna agrícola e os nomes de lugares aí implantados destacam o homem português como agente desse processo colonizatório. O resultado dessa conquista pode ser vista através da permanência e variação de topônimos e de pouca mudança lingüística.
This thesis presents a study on the toponimy of an area of the state of Minas Gerais - Brazil, Região do Carmo, namely. Ouro Preto, Mariana, Barra Longa, Diogo de Vasconcelos, Rio Doce, Dom Silvério and Acaiaca having as sources cartografic material, written past documents and data from field work, all of them concerning this area. The toponimic studies are of great relevance to the sociohistorical and cultural aspects of a community since they enable the identification of various linguistic facts, ideologies and beliefs which are present in the naming act and later in their maintenance (or not) within a community. Since locatives frequently rest unchanged, including names of rivers and mountains, and can survive until now allowing us to get into the past, the toponimy of this area - the first settled part of the state - is investigated within DAUZAT(1926) and DICK(1990) toponimic studies framework, DURANTI (2000) cultural framework as well as the diachronic perspective proposed by BYNON (1977) and (1995). Under a sociolinguistic approach the point of departure of this analysis is the present returning to the past and back to the present. Based on the toponimies collected by oral interviews, cartographic material and old written documents selected for the present work, a description and an explanation of the toponimic maintenance, variation and change within this area was attempted. From the analysis of the toponimic cards proposed for each of these items, one verifies that the toponimy of antropocultural nature are the majority and among them the anthropotoponimy class predominates. The analysis of the data reflects the sociohistorical and cultural development context of this part of the territory of Minas Gerais, which was first occupied by bandeirantes paulistas and later resettled by Portuguese from the northwest of Portugal whose descendants have remained in the area until the present time. The communication with Bahia state is intensified in the 19^ century, following the cattle route. In this period the region turns out to be agricultural and the place-names created point out to the Portuguese human element as the agent of this colonization process. The result of this conquest could be seen through the toponimic maintenance and variation and to a lesser extent the linguistic changes.