Preparação e caracterização de compósitos magnéticos contendo Azocaseína para purificação de tripsina

Proteases estão entre as mais produzidas no mundo. Dentre elas a tripsina é a mais utilizada em diversas áreas da biotecnologia. A purificação de biomoléculas por partículas magnéticas baseia-se na interação dos ligantes, componentes químicos presentes na superfície das partículas, com a molécula al...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2017
Main Author: ALVES, Maria Helena Menezes Estevam
Advisor: CARVALHO JÚNIOR, Luiz Bezerra de
Co-advisor: CABRERA, Mariana Paola, TEIXEIRA, José António Couto
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Federal de Pernambuco
Program: Programa de Pos Graduacao em Biologia Aplicada a Saude
Portuguese subjects:
Online Access:https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/25256
Portuguese abstract:Proteases estão entre as mais produzidas no mundo. Dentre elas a tripsina é a mais utilizada em diversas áreas da biotecnologia. A purificação de biomoléculas por partículas magnéticas baseia-se na interação dos ligantes, componentes químicos presentes na superfície das partículas, com a molécula alvo. Neste trabalho, foram preparados dois compósitos magnéticos: o primeiro a partir de azocaseína e óxido de ferro (mAzo) e o segundo, a partir de partículas de óxido de ferro revestidas com polianilina tratadas com azocaseína (mPANI-Azo). Os novos compósitos foram avaliados como matriz para a purificação de tripsina de extrato bruto de Tilapia (Oreochromis niloticus). Uma caracterização físico-química do compósito magnético (mAzo) foi também realizada para descrever as principais características do material sintetizado. Os resultados da purificação mostraram que as partículas mAzo e mPANI-Azo permitiram purificar o extrato bruto de peixe, sem nenhum pré tratamento, 61 vezes e 43 vezes, respectivamente. A eletroforese (SDS-PAGE) da alíquota purificada revelou uma banda a 24 kDa, valor compatível com tripsina obtida de vísceras de tilapia. As analises das técnicas de caracterização (MEV-EDX, DRX, FTIR e medidas de magnetização) evidenciaram o sucesso da síntese do compósito magnético (mAzo). Além disso, foi observado que as partículas mAzo são heterogêneas e apresentam rápida resposta magnética. Por fim, ao purificar a tripsina com precipitação, dialise e mAzo obteve-se um aumento da purificação de até 220 vezes. Concluímos que o compósito magnético mAzo mostrou ser uma matriz eficiente para a purificação de e o reuso do manteve a qualidade da purificação. Nesta pesquisa desenvolvemos uma técnica de purificação simples, eficaz e econômica que pode ser utilizada para a purificação de proteases utilizando as partículas mAzo como matriz.