Associação de polimorfismo nos genes da interleucina-10, interleucina-6 e fator de necrose tumoral-alfa com a patogênese da doença celíaca

A Doença Celíaca (DC) trata-se de uma enteropatia imuno-mediada causada pela intolerância ao glúten. Através da ativação de linfócitos T presentes na lâmina própria da mucosa intestinal em indivíduos geneticamente susceptíveis, são desencadeados mecanismos inflamatórios regulados pelo balanço entre...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: ESTEVES, Fabrício Andrade Martins
Advisor: CROVELLA, Sergio
Co-advisor: SOUZA, Paulo Roberto Eleutério de
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Federal de Pernambuco
Program: Programa de Pos Graduacao em Biologia Aplicada a Saude
Portuguese subjects:
Online Access:https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/24985
Portuguese abstract:A Doença Celíaca (DC) trata-se de uma enteropatia imuno-mediada causada pela intolerância ao glúten. Através da ativação de linfócitos T presentes na lâmina própria da mucosa intestinal em indivíduos geneticamente susceptíveis, são desencadeados mecanismos inflamatórios regulados pelo balanço entre citocinas de perfil Th1, como o interferon gama (IFNg), o fator de necrose tumoral alfa (TNF-α), a interleucina 6 (IL-6), a interleucina 15 (IL-15) e interleucina-18 (IL-18) e outras reguladoras tais como TGFβ e interleucina-10 (IL-10). Em consequência ao mecanismo inflamatório desencadeado, a doença celíaca cursa com mal- absorção e diarréia secundária à diminuição da superfície de absorção da mucosa do intestino delgado. Uma vez que o grau e o tipo de alterações que sofre a mucosa intestinal depende do padrão de citocinas e de suas concentrações locais, o presente estudo avaliou a possível relação entre os polimorfismos nas regiões promotoras dos genes das IL-10, IL-6 e TNF-α na imunopatogênese da Doença celíaca em uma população de pacientes italianos. Participaram do estudo 204 indivíduos italianos portadores de doença celíaca (subdivididos em 96 indivíduos HLA-DQ2+ e 96 indivíduos HLADQ8+) e 96 indivíduos saudáveis (grupo controle). Foram realizadas genotipagens para as regiões promotoras dos genes da IL-10 (posições -1082G>A, -819C>T e - 592C>A), IL-6 (posição -174G>C) e TNF- alfa (posição -308G>A). Foram estabelecidas as frequencias alélicas, genotípicas e haplotípicas dos grupos. Com intervalo de confiança de 95%, após a aplicação do teste de Qui-Quadrado, diferenças de frequencias que apresentaram valores de p < 5% foram consideradas estatisticamente significativas para estabelecimento da Odds Ratio (O.R.). Diferenças significativas foram observadas para o polimorfismo do TNF-α (-308 G>A) quando foram comparados os seguintes grupos celíacos DQ2-positive com controles (OR = 0.45, p = 0.0002), celíacos DQ8-positivos com controles (OR = 3.55, p< 0.0001) e celíacos DQ2-positivos com celíacos DQ8-positive (OR = 0.12, p < 0.0001). Não foram observadas diferenças de frequências estatisticamente significativas para o polimorfismo da IL-6 (-174 G>C) entre celíacos e indivíduos saudáveis (p > 0.05). Também não foram observadas diferenças significativas entre as frequências dos polimorfismos da região promotora do gene da IL-10 (posições - 1082G>A, -819C>T e -592C>A). A análise de haplótipos da região promotora do gene desta citocina demonstrou que, na população estudada, não houve associação que pudesse sugerir uma participação imunomoduladora da IL-10 na Doença celíaca. Contudo, por ter um caráter anti-inflamatório, a IL-10 poderia eventualmente desempenhar algum papel no tipo de forma clínica da Doença celíaca. Ou seja, indivíduos com haplótipos de baixa produção de IL-10 estariam mais susceptíveis a apresentar as formas mais graves dessa enteropatia imunomediada. Sugerimos que o polimorfismo da região promotora do gene do TNF-alfa (posição -308G>A) possa estar envolvido na imunopatogênese do mecanismo inflamatório desencadeado pela exposição alimentar ao glúten em portadores da Doença celíaca.