Desempenho produtivo e avaliação de carcaça e da carne de ovinos confinados.

Ministério da Educação, Universidade Federal Rural da Amazônia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará.

Access type:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: ELIAS, Acaína Kiss da Silva
Advisor: ALVES, Kaliandra Souza Alves
Document type: Master thesis
Language:por
Published: UFRA
English subjects:
Citation:ELIAS, Acaína Kiss da Silva. Desempenho produtivo e avaliação de carcaça e da carne de ovinos confinados. Orientadora: Kaliandra Souza Alves. 2013. 79 f. Dissertação (Saúde e Produção Animal na Amazônia) - Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém, 2013.
Portuguese abstract:Objetivou-se avaliar os consumos de nutrientes, desempenho, rendimentos de carcaça, cortes comerciais, componentes não caraça e qualidade da carne de ovinos alimentados com capim elefante ou cana-de-açúcar como fontes de volumoso e fubá de milho ou farelo de arroz como concentrado energético e dois níveis de alimentação. Foram utilizados 36 ovinos sem padrão racial definido (SPRD), machos, castrados, com 19,77+1,99 kg de peso corporal (PC) inicial. 24 animais foram alimentados com consumo de 4,96% do peso corporal (PC) e 12 animais receberam consumo de 3,40% do peso corporal (PC). Os animais foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com oito tratamentos em esquema fatorial 2x2x2 (dois volumosos, dois concentrados, dois níveis de alimentação), e seis repetições para os animais com consumo de 4,96% de PC e três repetições para consumo de 3,40% de PC e abatidos ao alcançarem média de 30,0 kg de PC. Os animais que recebiam consumo de 3,40% PC foram abatidos conforme eram alcançados peso estabelecido e abate de cada dois animais do tratamento com consumo de 4,96% PC. O consumo de nutrientes foi maior para os tratamentos com fubá de milho (FM), capim elefante (CE) e consumo de 4,96% PC. O farelo de arroz (FA) promoveu maior perda no jejum, maior peso de conteúdo gastrointestinal e maior percentagem de extrato etéreo na porção comestível do carré. Dietas com FM proporcionaram maior deposição de proteína na porção comestível do carré e maior teor de matéria mineral neste corte e no músculo. O CE favoreceu maior peso corporal ao abate e maior peso do corpo vazio, maiores pesos de fígado, omaso e conteúdo gastrointestinal. O rendimento de carcaça quente e frio, assim como o peso do lombo, rins, solubilidade do colágeno e umidade da porção comestível do carré foram superiores quando foi adicionada cana-deaçúcar na dieta experimental. O consumo de 4,96% do PC favoreceu maior consumo de nutrientes, rendimento de carcaça, cortes comerciais, composição física e centesimal da parte comestível do carré e constituintes não carcaça. A utilização de cana-de-açúcar e farelo e arroz como alimentos alternativos no confinamento de ovinos é uma estratégia viável para sistemas de produção visto que não diminuiu os parâmetros quantitativos e qualitativos da carcaça e da carne de ovinos.