Corpo e envelhecimento: reflexões a partir do Projeto Nossa Cidade Mais Saudável em Natal-RN e suas implicações para a Educação Física

Na circunstância atual em que a sociedade ocidental tem encarado o envelhecimento, percebe-se que essa fase da vida é esperada e evitada de forma negativa, sendo ignorada por diversas vezes. Ao estudar esses aspectos, a área da Educação Física discute o corpo que envelhece com olhares considerados r...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Pessoa, Kaline Lígia Estevam de Carvalho
Advisor: Mendes, Maria Isabel Brandão de Souza
Document type: Master thesis
Language:por
Program: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Portuguese subjects:
Knowledgement areas:
Online Access:https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25183
Citation:PESSOA, Kaline Lígia Estevam de Carvalho. Corpo e envelhecimento: reflexões a partir do Projeto Nossa Cidade Mais Saudável em Natal-RN e suas implicações para a Educação Física. 2018. 156f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese abstract:Na circunstância atual em que a sociedade ocidental tem encarado o envelhecimento, percebe-se que essa fase da vida é esperada e evitada de forma negativa, sendo ignorada por diversas vezes. Ao estudar esses aspectos, a área da Educação Física discute o corpo que envelhece com olhares considerados reducionistas em muitos casos, com poucas produções que objetivem ampliar esse viés para uma perspectiva natural e cultural sobre esse corpo. Assim, buscamos desenvolver esse estudo que tem como objetivo discutir as compreensões de velhice e envelhecimento de participantes do projeto Nossa Cidade Mais Saudável em Natal/RN, com vistas a elencar implicações para a Educação Física. Utilizamos o método fenomenológico para desenvolver a pesquisa. Através da estratégia do fenômeno situado nos dirigimos ao local onde este é vivido. Observamos o mundo vivido das pessoas ali presentes e entrevistamos 10 participantes do projeto. Compreendemos o envelhecimento como um processo que ocorre no corpo humano desde o nascimento, de forma lenta e imperceptível, até determinado momento em que são notados os principais sinais. Desse modo, percebemos que o corpo que envelhece é pautado por tabus e preconceitos, mas que se desenvolve todos os dias, tecendo significados a partir do movimento, do trabalho, da família, das experiências, dos prazeres e desprazeres, pelo cuidar de si, pelo entendimento de que a vida continua depois da velhice e que a morte é um fenômeno irreversível. Também compreendemos que fazem parte do corpo que envelhece as quedas, as rugas, os declínios, como um processo natural, mas que não se pode considerar apenas isso, entendendo-se assim que o corpo que envelhece desenvolve-se também num contexto cultural polissêmico, com significados diferenciados, pois a velhice é entendida e vivida de formas diferentes por cada um. Por fim, identificamos que a área da Educação Física possui uma produção acadêmica na área do envelhecimento e da velhice que ainda precisam ser discutidas com vistas a ampliar os olhares para esses corpos, para que se possa compreendê-los não apenas em suas decadências fisiológicas, suas respostas afetivas ao exercício, adaptação à atividade física e os tipos de programas de treinamento, mas também como seres que produzem significados a partir de suas experiências.
In the current circumstance in which the occidental society has faced the ageing, we realize that this phase of life is waited and avoided in a negative way, being ignored several times. The field of Physical Education discusses the ageing of the body with some views considered reductionist in many cases, have quite few productions that aim to broaden this idea to a natural and cultural perspective about this body. Thus, our aim is to develop this study, which has as objective make a discussion about the comprehensions of old age and ageing, from participants of the project “Nossa Cidade Mais Saudável” (Our Healthier City) in Natal/RN, in order to list implications to Physical Education. We used the phenomenological method to develop the researching. Through the strategy of the perceived phenomena we went to the place where it is lived. We observed the lived world of people presenting and we interviewed 10 (ten) participants of the project. Thereby, we realized that the body which ages is guided by taboos and prejudices, but is developed everyday building meanings from the movements, work, family, experiences, enjoyment and displeasure, the self-care, the understanding that the life goes on after the ageing and the death is an irreversible phenomena. We also understand as part of the body that ages the falls, the wrinkles, and the declines, as a natural process, in fact, understanding that the body that age is also developed in a cultural and polysemic context, because the ageing is understood and lived in many ways by each subject. Lastly, we identify that the area of Physical Education possess a academy production in the field of ageing and old age that need to be discussed in order to broaden the viewpoints, to be comprehended not only in their physiological decline, their affective answers to the exercises, the physical activity adaptation, and the types of training programs, but also as beings which produce meanings through their experiences.