Orientação a pais: o que poderia mudar na educação dos filhos

This paper aims to describe a parent orientation group whose children who were inscribed for psychotherapy at a school clinic. Five mothers participated with a mean age of 40 years and education ranging from elementary school to high school. The age of the children ranged from 5 to 13 years. The ope...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Pardo, Maria Benedita Lima
Other Authors: Carvalho, Margarida Maria Silveira Britto de, Silva, Luciana Priscila Lima da
Document type: Conference object
Language:por
Published: Grupo de Pesquisa CNPq/UFS Educação e Contemporaneidade (EDUCON)
Portuguese subjects:
English subjects:
Online Access:http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/7397
Citation:PARDO, M. B. L.; CARVALHO, M. M. S. B. de ; SILVA, L. P. L. Orientação a pais: o que poderia mudar na educação dos filhos. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL "EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE", 7., 2013, São Cristóvão. Anais eletrônicos... São Cristóvão: EDUCON, 2013. Disponível em: <http://ideallesistemas.com.br/gera_certificado_apresentacao.asp?url=http://www.educonse.com.br/viicoloquio/cdanais.asp?cod=200%20target=>. Acesso em: 15 fev. 2018.
Portuguese abstract:This paper aims to describe a parent orientation group whose children who were inscribed for psychotherapy at a school clinic. Five mothers participated with a mean age of 40 years and education ranging from elementary school to high school. The age of the children ranged from 5 to 13 years. The operational structure of the group has developed through 12 meetings lasting one hour each. Mothers were interviewed individually before and after the group meetings. The CBCL was also applied. At the end of the meetings, the mothers reported an improvement in the behavior of the children and also changes in their own behaviors relating to pay more attention, patience and dialogue with their children.
Este trabalho tem como objetivo descrever um grupo de orientação a pais de crianças que estão à espera de atendimento psicoterápico numa clínica-escola. Participaram cinco mães, com idade média de 40 anos e escolaridade variando de ensino fundamental incompleto a ensino médio completo. A idade dos filhos variou de 5 a 13 anos. A estrutura de funcionamento do grupo se desenvolveu por meio de 12 encontros, um por semana com duração de uma hora cada. Antes e após a realização do grupo as mães foram entrevistadas individualmente sobre as queixas, e foi aplicado o CBCL. Ao final dos encontros as mães relataram que houve melhora nos comportamentos dos filhos e também mudanças em seus próprios comportamentos relativas a dar mais atenção, ter paciência e dialogar com seus filhos.