Marcação química de jundiás Rhamdia quelen com alizarina vermelha

Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Gradução em Aquicultura, Florianópolis, 2014.

Access type:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Sá, Ana Rosa Sant'anna de
Advisor: Zaniboni Filho, Evoy
Document type: Master thesis
Language:por
Online Access:https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/129135
Portuguese abstract:Desde a construção dos primeiros empreendimentos hidrelétricos grandes esforços têm sido empregados na tentativa de mitigar os impactos e manejar a ictiofauna. Ao desenvolver ações de repovoamento é necessário fazer uma avaliação destas atividades através de monitoramentos contínuos. Um pré-requisito fundamental antes de qualquer avaliação eficaz do sucesso das ações de estocagem é uma identificação confiável dos peixes introduzidos. A aplicação de marcas químicas é considerada uma técnica de grande potencial para monitoramento de estocagens, pois permite marcar grandes lotes de peixes nos variados estágios de vida. Diversos protocolos têm sido utilizados para a marcação química. A introdução do marcador pode ser feita através de injeção, ingestão alimentar e banho de imersão. O objetivo deste estudo foi definir os procedimentos de marcação química com Alizarina Vermelha para o jundiá Rhamdia quelen. Foram testadas três concentrações de Alizarina Vermelha (30mg/L, 60mg/L e, 90mg/L) com tempo de imersão de 18 horas (banho longo), sendo divididos em dois grupos: a) com prévia indução osmótica salina, quando os peixes foram mantidos em solução a 30ppt de NaCl durante 10 minutos e imediatamente submetidos ao banho com o marcador; b) sem indução osmótica, quando os peixes foram diretamente submetidos ao banho com o marcador, e três concentrações de Alizarina Vermelha (90mg/L, 300mg/L e 700mg/L) com tempo de imersão de 10 minutos (banho curto), todos com prévia indução osmótica salina (solução aquosa de NaCl a 30ppt) durante 10 minutos. Todos os tratamentos apresentaram a marcação química após uma semana, sendo os melhores resultados obtidos nos tratamentos de 90mg/L com choque osmótico (banho longo) e o tratamento de 300mg/L realizado em banho curto. Na reavaliação das marcas, feita após três meses do banho imersão no marcador químico foi possível notar que todos os tratamentos continham marcas visíveis, tendo melhores resultados nos tratamentos submetidos ao choque osmótico, que apresentaram marcas mais intensas. A indução osmótica antes do banho de imersão no marcador químico Alizarina Vermelha resultou em uma maior intensidade nas marcações. A Alizarina Vermelha foi verificada com eficácia como marcador químico em banhos de imersão para jundiá Rhamdia quelen.