Desempenho funcional de crianças com mielomeningocele

Este trabalho visou analisar o impacto dos níveis de lesão, deambulação e alterações neurológicas associadas ao quadro clínico da mielomeningocele sobre o desempenho funcional de seus portadores. Neste estudo transversal prospectivo foram examinadas 40 crianças com mielomeningocele, avaliando-se nív...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2008
Main Author: Collange, Luanda André
Other Authors: Franco, Renata Calhes, Esteves, Roberta Nunes [UNIFESP], Zanon-collange, Nelci [UNIFESP]
Document type: Article
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Portuguese subjects:
English subjects:
Online Access:http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4111
http://dx.doi.org/10.1590/S1809-29502008000100010
Citation:Fisioterapia e Pesquisa. Universidade de São Paulo, v. 15, n. 1, p. 58-63, 2008.
Portuguese abstract:Este trabalho visou analisar o impacto dos níveis de lesão, deambulação e alterações neurológicas associadas ao quadro clínico da mielomeningocele sobre o desempenho funcional de seus portadores. Neste estudo transversal prospectivo foram examinadas 40 crianças com mielomeningocele, avaliando-se nível de lesão, deambulação, malformação de Arnold-Chiari, hidrocefalia, hidromielia, medula ancorada e incontinência esfincteriana. O desempenho funcional foi avaliado pelo Pediatric Evaluation of Disability Inventory (PEDI), para um registro quantitativo da capacidade funcional e autonomia nas atividades cotidianas, nas áreas de autocuidado, mobilidade e função social. Os dados coletados foram analisados estatisticamente, estabelecendo-se o nível de significância em p<0,05. Os níveis de lesão e a deambulação influenciaram significativamente (p<0,01) os escores das três áreas do PEDI. Os graus de limitação foram diretamente proporcionais ao nível de lesão. O maior acometimento foi verificado no autocuidado e na mobilidade, tendo as crianças obtido melhor pontuação na área de função social. Nos pacientes com nível de lesão torácico, a hidromielia sintomática mostrou-se fator significativo na área de autocuidado (p<0,01). Conclui-se que os níveis de lesão e a deambulação influenciam, com impactos diferenciados, cada área do desempenho funcional. Em pacientes com lesão torácica, a hidromielia sintomática pode ser apontada como fator limitante do autocuidado.
English abstract:This study aimed at analysing the impact of level of lesion, locomotion, and neurological changes associated to meningomyelocele clinical framework concerning functional performance. For this prospective cross-sectional study 40 children with meningomyelocele were assessed as to level of lesion, ambulatory ability, Arnold-Chiari malformation, hydrocephalus, hydromyelia, tethered cord, and sphincter incontinence. Functional performance was evaluated by the Pediatric Evaluation of Disability Inventory (PEDI) which quantitatively assesses functional performance and independence in daily activities in the areas of self-care, mobility, and social functioning. Collected data were statistically analysed and the significance level set at p<0.05. Lesion levels and ambulatory ability had a significant (p<0.01) impact on scores of all three PEDI areas. Limitation degree was found to be directly proportional to level of lesion. Functional performance was more severely affected in self-care and mobility activities, and the best functional scores being obtained in social functioning. In patients with thoracic lesion level, symptomatic hydromyelia proved to be a significant factor for self-care (p<0.01). Lesion level and ambulatory ability thus may be said to influence, at different levels of impact, each area of functional performance. For patients with thoracic lesion level, symptomatic hydromyelia may be pointed out as a self-care limiting factor.