Avaliação de provas de fase aguda em crianças e adolescentes com artrite idiopática juvenil e sua correlação com atividade da doença

OBJETIVO:Analisar a relação entre as provas de fase aguda e a atividade clínica da artrite idiopática juvenil e avaliar a concordância entre velocidade de hemossedimentação e proteína C reativa (VHS e PCR) na fase aguda da doença. MÉTODOS: Foi realizado estudo retrospectivo tipo coorte a partir da a...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2009
Main Author: Nicácio, Aline Alencar Martins Fernandes [UNIFESP]
Other Authors: Damazio, Karine Cobucci, Terreri, Maria Teresa Ramos Ascensão [UNIFESP], Rassi, Ivan Elias, Hilário, Maria Odete Esteves [UNIFESP]
Document type: Article
Language:por
Published: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Portuguese subjects:
English subjects:
Online Access:http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5088
http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822009000200012
Citation:Revista Paulista de Pediatria. Sociedade de Pediatria de São Paulo, v. 27, n. 2, p. 193-197, 2009.
Portuguese abstract:OBJETIVO:Analisar a relação entre as provas de fase aguda e a atividade clínica da artrite idiopática juvenil e avaliar a concordância entre velocidade de hemossedimentação e proteína C reativa (VHS e PCR) na fase aguda da doença. MÉTODOS: Foi realizado estudo retrospectivo tipo coorte a partir da análise de prontuários de 30 crianças e adolescentes que preenchiam os critérios diagnósticos para artrite idiopática juvenil, estavam em atendimento em ambulatório de Reumatologia Pediátrica e haviam realizado as provas de fase aguda (VHS e PCR). RESULTADOS: Dos 30 pacientes, 21 (70%) eram do sexo feminino e 19 (63,3%) apresentavam o subtipo oligoarticular da doença. A média de idade de início dos sintomas foi 65,6 meses, a idade de diagnóstico de 85,3 e o tempo de evolução, 57,2 meses. As provas de fase aguda mostraram associação positiva com a atividade de doença. A anemia não teve relação com a atividade de doença. A concordância entre as duas provas de fase aguda foi superior a 80%. CONCLUSÕES: As provas de fase aguda mantêm relação positiva com a atividade da doença e o seu uso concomitante aumenta a especificidade.
English abstract:OBJECTIVE:To analyze the relationship between the acute phase reactants and the disease activity of Juvenile Idiopathic Arthritis (JIA) and to evaluate the agreement between erythrocyte sedimentation rate and C-reactive protein during the acute phase of the disease. METHODS: a cohort retrospective study has been conducted based on the analysis of 30 children and adolescents who fulfilled the diagnostic criteria of JIA. All of them were in current follow-up at the pediatric rheumatology outpatient clinic and had acute phase reactants blood tests performed. RESULTS: Studied population comprised 30 patients: 21 (70%) of them were females and 19 (63.3%) presented oligoarticular subtype. The mean age at disease onset was 65.6 months; the age at diagnosis was 85.3 months and the follow-up had 57.2 months of duration. The acute phase reactants showed positive association with the disease activity. Anemia was not associated with disease activity. During the acute phase of the disease, agreement between erythrocyte sedimentation rate and C-reactive protein was greater than 80%. CONCLUSIONS: The acute phase reactants have a positive association with the activity of the disease and using both tests simultaneously increases their specificity.