Condicionantes de eficiência em sistemas de produção de leite de Minas Gerais

Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Programa de Pós-Graduação em Agronegócios, 2015.

Access type:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Lucchi, Bruno Barcelos
Advisor: Lima, Suzana Maria Valle
Document type: Master thesis
Language:por
Online Access:http://repositorio.unb.br/handle/10482/20072
http://dx.doi.org/10.26512/2015.03.D.20072
Citation:LUCCHI, Bruno Barcelos. Condicionantes de eficiência em sistemas de produção de leite de Minas Gerais. 2015, 98 f.,il. Dissertação (Mestrado em Agronegócio)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
English abstract:O objetivo deste trabalho foi identificar os fatores que influenciam a eficiência e competitividade dos sistemas de produção de leite nas três principais mesorregiões produtoras do estado de Minas Gerais: Central Mineira, Sul/Sudoeste de Minas e Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba. Foram utilizadas informações de 322 propriedades produtoras de leite participantes do Projeto Educampo do SEBRAE-MG, no período referente a agosto/2013 a julho/2014. Inicialmente se descreveu as características socioeconômicas dos produtores e as tecnologias utilizadas nos sistemas produtivos, utilizando estatística descritiva para análise dos indicadores técnicos e econômicos. Em seguida, agrupou-se as propriedades em função da rentabilidade, maior e menor que 6% ao ano, descrevendo o sistema, avaliando as diferenças técnicas e econômicas dos grupos pelo teste t e correlacionando os indicadores com a rentabilidade da atividade, por meio do coeficiente de Pearson. Por fim, agrupouse as propriedades por mesorregião, realizando as mesmas análises citadas. Como resultado, observou-se que não houve fatores específicos de ordem tecnológica ou socioeconômica que influenciassem a rentabilidade das propriedades analisadas. Para cada região houve um conjunto de indicadores que contribuíram para maior eficiência dos sistemas. A mesorregião do Triângulo Mineiro apresentou maior competitividade frente às demais, com rentabilidade média de 9,43% ao ano, apresentando correlação linear positiva para os indicadores que denotam a eficiência no uso da terra e negativa para o custo operacional total do leite/preço do leite. A mesorregião Sul/Sudoeste apresentou custos desequilibrados frente ao preço médio do leite. Os indicadores apresentados no geral não foram ruins, mas estão modestos frente aos recursos utilizados. Os índices relacionados a eficiência da mão de obra foram os que apresentam maior correlação positiva com a rentabilidade. A região Central possui alto capital investido por litro de leite, o que sinaliza a necessidade de se elevar a escala de produção, passando principalmente pela melhoria na estruturação do rebanho e aumento da produtividade das vacas. Conclui-se portanto, que em função da complexidade da atividade leiteira e da heterogeneidade dos sistemas de produção de leite existentes no Brasil, se faz necessário realizar análises regionalizadas, sendo estas mais conclusivas que o agrupamento em função da rentabilidade.