A comercializaçao informal de produtos horticolas no mercado do Catinton em Luanda

Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de bacharelado no curso de ciências econômicas da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.

Access type:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Quilobo, Marta da Conceição Binza
Advisor: Estevam, Dimas de Oliveira
Document type: Bachelor thesis
Language:por
Portuguese subjects:
Online Access:http://repositorio.unesc.net/handle/1/6374
Portuguese abstract:O objetivo do estudo consistiu em apresentar os aspectos econômicos e sociais que influenciam a existência da comercialização informal de produtos hortícolas no mercado de Catinton, em Luanda. Conforme a definição de Milton Santos, o trabalho foi desenvolvido a partir da compreensão de que a Feira Catinton constitui uma das manifestações do circuito inferior da economia urbana, nos países em desenvolvimento. O procedimento metodológico utilizado na pesquisa foi de natureza exploratória e descritiva. Para a realização do estudo, foram realizadas pesquisas bibliográficas e documentais. Além disso, foram realizadas entrevistas com 23 mulheres, diretamente envolvidas no comércio de hortícolas. A escolha das entrevistadas foi por acessibilidade e por disponibilidade das comerciantes. Por meio dos resultados obtidos, verificou-se que os elementos do circuito inferior estão presente em todos os aspectos da Feira Catinton, desde o funcionamento até o comportamento dos agentes inseridos no mercado. Além disso, foi possível entender que os aspectos socioeconômicos que influenciam na comercialização informal de produtos hortícolas no mercado Catinton se relaciona com a precariedade que o espaço apresenta, como consequência do crescimento populacional e o nível de pobreza em Luanda. Verificou-se também a existência de um mercado informal, envolvendo a venda e a revenda de hortícolas, tolerado pelas autoridades governamentais, o que pode revelar a limitação na geração de trabalho formal a população de Luanda. Conclui-se que as atividades informais asseguram a sobrevivência de grande parte das famílias luandense.