Imperatriz no fim do mundo: memórias dúbias de Amélia de Leuchtemberg (1992) – Um romance histórico contemporâneo de mediação

Considering the evolution in the hybrid writing of history and fiction trajectory, focused on the re-significances of the past, the present research seeks to analyze the novel Imperatriz no fim do mundo: memórias dúbias de Amélia de Leuchtemberg (1992), by Ivanir Calado, under the theories about med...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2019
Main Author: Gomes , Gislaine lattes
Advisor: Fleck, Gilmei Francisco lattes
Referee: Fleck, Gilmei Francisco lattes, Oliveira, Valdeci Batista de Melo lattes, Garcia, Dantielli Assumpção lattes, Oliveira, Eliane Maria de lattes
Document type: Master thesis
Language:por
Published: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Cascavel
6588633818200016417
500
Program: Programa de Pós-Graduação em Letras
Department: Centro de Educação, Comunicação e Artes
Portuguese subjects:
English subjects:
Spanish Subjects:
Knowledgement areas:
Online Access:http://tede.unioeste.br/handle/tede/4264
Citation:GOMES, Gislaine. Imperatriz no fim do mundo: memórias dúbias de Amélia de Leuchtemberg (1992) – Um romance histórico contemporâneo de mediação. 2019. 121 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Letras) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2019.
Portuguese abstract:Ao considerarmos as evoluções na trajetória das narrativas híbridas de história e ficção, voltadas às ressignificações do passado, a presente pesquisa busca analisar o romance Imperatriz no fim do mundo: memórias dúbias de Amélia de Leuchtemberg (1992), de Ivanir Calado, sob as teorias acerca do romance histórico contemporâneo de mediação (FLECK, 2007-2017). Observamos que, dentre as modalidades já discutidas sobre o gênero até a primeira década do século XXI, o romance de Ivanir Calado, pela leitura crítica que instaura do passado imperial brasileiro, já foi classificado como integrante do novo romance histórico latino-americano (SANTOS, 2000) e da metaficção historiográfica (SILVA, 2016). Isso nos leva a analisar se as teorias aplicadas às classificações propostas são coerentes com a obra as quais são aplicadas. Frente às questões postas em xeque sobre as categorizações já feitas à obra de Calado (1992), propomos uma nova classificação com base nos estudos brasileiros mais recentes sobre esse gênero híbrido. O corpus selecionado encontra-se no conjunto das produções híbridas atuais do romance histórico, cuja classificação requer atualizações, devido às alterações significativas que se operaram na escrita do gênero, especialmente após os anos de 1980. Nas teorias desenvolvidas por Fleck (2007; 2017) sobre as produções inseridas no período do pós-boom, há novas possibilidades de análise que podem contribuir para a acuidade desses estudos. O teórico alcança tal proposta ao agregar às modalidades já existentes outra que atende às especificidades reinantes nas obras mais atuais: o romance histórico contemporâneo de mediação. Ancorados nas propostas de estudos do Grupo de pesquisa “Ressignificações do passado na América: processos de leitura, escrita e tradução de gêneros híbridos de história e ficção – vias para a descolonização” evidenciamos aqui as ressignificações de personagens históricas e suas ações na ficção mais recente. Assim, o romance de Calado (1992) é lido sob os aspectos mediadores constituintes da sua narrativa histórica híbrida. Esse aspecto revela que as teorias sobre o gênero em questão, publicadas até o final da década de 90, do século XX, já não são pertinentes para a análise do conjunto total das obras mais atuais. Para isso, valemo-nos da revisão bibliográfica, dos pressupostos da Literatura Comparada, da análise crítica da narrativa ficcional e das teorias sobre o gênero híbrido de história e ficção. Os pressupostos teóricos que embasam as relações estabelecidas nesta pesquisa consideram os estudos de Hutcheon (1991), Menton (1993), Mata Induráín (1995), Aínsa (1997), Esteves (2011), Fleck (2007; 2017), entre outros, para assegurar, assim, as possibilidades da revisão proposta.
English abstract:Considering the evolution in the hybrid writing of history and fiction trajectory, focused on the re-significances of the past, the present research seeks to analyze the novel Imperatriz no fim do mundo: memórias dúbias de Amélia de Leuchtemberg (1992), by Ivanir Calado, under the theories about mediation contemporary historical novel (FLECK, 2006, 2017). We observed that, among the already discussed modalities of the gender until the first decade of the 21st century, Ivanir Calado’s novel, through (by) the critical Reading that installs from the Brazilian imperial past, has been already classified as a new Latin-American historical novel (SANTOS, 2000) and as a historical metafiction (SILVA, 2016). It takes us to analyze if the theories applied to the proposed classifications are consistent with the novel by whom it’s used. To the questions put in check about the categorizations already done to Calado’s novel (1992), we propound a new classification base on the most recent Brazilian studies about this hybrid gender. The corpus selected is in the instability of he current studies about the historical novel, as the critical and theorist bases of this hybrid writing require constant updates, due to the significant changes that work in the writing of the gender. The theories developed by Fleck (2017) about the productions inserted in the post-boom period, there are new possibilities of analysis that can contribute to the accuracy of these studies. The theoretician launches such a proposal by adding to the existing modalities another one which meets the specifications reigned in the current novels: the contemporary historical novel of mediation. Based on the studies proposals of the research group “Ressignificações do passado na América: processos de leitura, escrita e tradução de gêneros híbridos de história e ficção – vias para a descolonização” we evidence here the re-significances of historical characters and their actions on the most recent fiction. Thus, the Calado’s novel of 1992 is read under the mediation aspects of its hybrid historical narrative. This aspect reveals that the theories about the gender discussed, published until the end of the 90s, of the twentieth century, aren’t enough at all for the analysis of all the current novels. For this, we use the bibliographical revision, the presuppositions of Comparative Literature, the critical analysis of the fictional narrative and the theories about the hybrid genre of history and fiction. The theoretical assumptions that underlie the relations established in this research consider the studies of Hutcheon (1991), Menton (1993), Mata Induráín (1995), Aínsa (1997), Esteves (2011), Fleck to ensure the possibilities of the proposed revision.