De um sonho dourado à crueldade do pesadelo: configurações literárias de Lope de Aguirre – uma trajetória

En el apogeo del período de las grandes navegaciones y colonizaciones españolas en América, la carrera por el oro resplandeció en los ojos de muchos expedicionarios, sobre todo por la onírica existencia del reino de Omagua y del mítico “El Dorado”. Movidas por esa leyenda indígena, de localización i...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Langner, Alceni Elias lattes
Advisor: Fleck, Gilmei Francisco lattes
Referee: Fleck, Gilmei Francisco lattes, Fiuza, Adriana Aparecida de Figueiredo lattes, Seide, Márcia Sipavicius lattes, Corsi, Margarida da Silveira lattes
Document type: Master thesis
Language:por
Published: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Cascavel
6588633818200016417
500
Program: Programa de Pós-Graduação em Letras
Department: Centro de Educação, Comunicação e Artes
Portuguese subjects:
Spanish Subjects:
Knowledgement areas:
Online Access:http://tede.unioeste.br/handle/tede/3873
Citation:LANGNER, Alceni Elias. De um sonho dourado à crueldade do pesadelo: configurações literárias de Lope de Aguirre – uma trajetória. 2018. 205 f. Dissertação (Mestrado - Programa de Pós-Graduação em Letras) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2018.
Portuguese abstract:No apogeu da época das navegações e colonizações espanholas na América, a corrida pelo ouro resplandeceu nos olhares de muitos expedicionários, sobretudo, pela onírica existência do reino de Omágua e do mítico “El Dorado”. Movidas por essa lenda indígena de localização imprecisa, muitas expedições foram organizadas, às cegas, pela metrópole espanhola floresta Amazônica adentro. Entre estas está a jornada governada por Pedro de Ursúa (1559-1561). Os eventos relacionados a esta expedição, e suas releituras pela ficção, são o foco desta pesquisa. Isso não somente pela temática em si, mas por emergir deles uma das personagens mais desconcertantes e fragmentadas da colonização espanhola: Lope de Aguirre. Ao tomar essa personagem como escopo, objetivamos realizar uma verificação da trajetória literária desse enigmático conquistador, visto que existe uma instabilidade entre os perfis de libertador e tirano, construída, discursivamente, pela historiografia e pelas permissões verossímeis da literatura. Para alcançarmos tal objetivo, alguns parâmetros são delineados: primeiramente, fazemos uma apresentação da historiografia acerca do tema para compreender o momento de inserção de Lope de Aguirre no contexto colonial. Com a intenção de evidenciar uma imagem discursiva configurada na história, fazemos análises das descrições de Lope de Aguirre nas crônicas, relações e cartas existentes, para elaborar, assim, um perfil do conquistador, legitimamente, embasado em um arcabouço documental. Em seguida, essa pesquisa se direciona à análise de algumas produções romanescas que trazem a personagem no centro de suas narrativas, na intenção de verificar a desconstrução ou permanência do perfil elaborado anteriormente pelo discurso historiográfico positivista e hegemônico. Por último, em uma análise aprofundada, examinamos duas obras híbridas latino-americanas, demarcadas por um alto grau de novidades entre as produções dessa temática, as quais também apresentam Aguirre como personagem principal: Daimón (1978), de Abel Posse, e Príncipe de Chile (2007), de Moráles Monterrios para, assim, estabelecer os parâmetros da configuração discursiva de Lope de Aguirre pela ficção que relê a história. Em quesitos teóricos, essa pesquisa utiliza como base alguns estudos de autores como Mampel González e Escandell Tur (1981), Jos (1927), Aínsa (1991) e Menton (1993), Esteves (1995), Martínez Tolentino (2012), Fleck (2017), entre outros. Como resultados, entre as principais contribuições para o tema, a pesquisa apresenta a trajetória da personagem pela literatura (no romance e na lírica), demarcando, assim, as muitas facetas e configurações em que Aguirre se manifestou desde o início do século XX.