Aquisição comparada de resistência em cães domésticos ao Rhipicephalus sanguineus (Acari: Ixodidae), linhagens brasileira e argentina, após infestações sucessivas

Resultados no Brasil demonstraram, ao contrário de laboratórios dos EUA e Japão, que o cão doméstico não desenvolve resistência ao carrapato Rhipicephalus sanguineus. Além disso, populações de R. sanguineus do Brasil e da Argentina apresentam diferenças biológicas, morfológicas e genéticas marcantes...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Évora, Patricia Martinez [UNESP]
Advisor: Bechara, Gervasio Henrique [UNESP]
Document type: Master thesis
Language:por
Published: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Portuguese subjects:
Online Access:http://hdl.handle.net/11449/96005
Citation:ÉVORA, Patricia Martinez. Aquisição comparada de resistência em cães domésticos ao Rhipicephalus sanguineus (Acari: Ixodidae), linhagens brasileira e argentina, após infestações sucessivas. 2012. xiii, 88 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2012.
Portuguese abstract:Resultados no Brasil demonstraram, ao contrário de laboratórios dos EUA e Japão, que o cão doméstico não desenvolve resistência ao carrapato Rhipicephalus sanguineus. Além disso, populações de R. sanguineus do Brasil e da Argentina apresentam diferenças biológicas, morfológicas e genéticas marcantes sendo a primeira mais próxima filogeneticamente do R. turanicus da África e a segunda do R. sanguineus da Europa, o que explicaria, em parte, as diferenças citadas acima. Objetivou-se investigar, de forma comparativa, possível aquisição de resistência em cães domésticos após três infestações sucessivas com R. sanguineus, linhagens Brasil e Argentina. Cães domésticos da raça Dachshund, machos e fêmeas, de três meses a um ano de idade, “naive”, foram utilizados como hospedeiros. Os cães (n= 10) foram distribuídos em dois grupos (G1 e G2) com cinco animais cada e infestados três vezes com R. sanguineus: G1- linhagem brasileira, e G2- linhagem argentina. Avaliaram-se: parâmetros biológicos dos carrapatos, histopatologia dos sítios de fixação na 1a e 3a infestações e titulação de anticorpos séricos dos cães pelo teste ELISA. Resultados dos parâmetros biológicos indicaram melhor desempenho alimentar e reprodutivo das teleóginas após infestações sucessivas, em ambos os grupos. Biópsias do sitio de fixação dos carrapatos revelaram, em ambos os grupos, infiltrado inflamatório com predomínio de células mononucleares 24 horas pós- liberação dos carrapatos e predominantemente neutrofílico em todas as infestações na 48a, 72a e 144a horas pós-liberação. O teste ELISA revelou baixa produção de anticorpos séricos no G2, em infestações sucessivas, e maior produção pós-segunda e terceira infestações no G1. Também demonstrou...
English abstract:Contrarily to that observed in U.S.A and Japan, previous results from Brazil have shown that domestic dogs do not develop resistance to the dog tick Rhipicephalus sanguineus. In addition, populations of R. sanguineus from Brazil and Argentina have biological, morphological and genetic differences, being the first phylogenetically closest to R. turanicus from Africa and the second to R. sanguineus from Europe, what could explain, at least in part, the differences reported above. The aim now was to investigate, in a comparative way, the possible acquisition of resistance in domestic dogs after three successive infestations with R. sanguineus ticks, Brazil and Argentina strains. For this, “naive” domestic dogs of the breed Dachshund, males and females, aged three months to one year were used. The hosts (n = 10) were divided into two groups with five animals each, infested thrice with R. sanguineus: G1- Brazil strain; G2- Argentina strain. It was evaluated: i. biological parameters of ticks in each infestation; ii. histopathology of their fixation sites in different times (24, 48, 72 and 144 hours) post-tick release in the 1st and 3rd infestations, including inflammatory cell counting; iii. titration of dog sera antibodies by ELISA. Results of the biological parameters indicated better engorged females feeding and reproductive performances after successive infestations in both groups. Biopsies of the ticks´ attachment sites in the 1st and 3rd infestations revealed, in both groups, predominantly mononuclear inflammatory cells infiltrates 24 hours post-tick release and predominantly neutrophylic in all infestations at 48, 72 and 144 hours post-tick release. The ELISA revealed low antibody titers in G2, in successive infestations, and increased titers post second and third infestations, in G1. It also revealed cross-reactivity between the... (Complete abstract click electronic access below)