Automação do manejo alimentar de Bijupirá (Rachycentron canadum)

A adequada frequência alimentar pode proporcionar maior crescimento dos peixes, contudo a escolha da melhor estratégia pode variar de acordo com as condições ambientais. O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos da frequência alimentar e da temperatura da água no desempenho do bijupirá. O delineam...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: Argentim, Daniel [UNESP]
Advisor: Agostinho, Claudio Angelo [UNESP]
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Portuguese subjects:
Online Access:http://hdl.handle.net/11449/132891
Portuguese abstract:A adequada frequência alimentar pode proporcionar maior crescimento dos peixes, contudo a escolha da melhor estratégia pode variar de acordo com as condições ambientais. O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos da frequência alimentar e da temperatura da água no desempenho do bijupirá. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x3 com seis tratamentos e três repetições. Os tratamentos consistiram em ofertar a ração em quatro ou 24 refeições por dia aos juvenis de bijupirá (40 ±4,5 g) submetidos a três temperaturas da água, 24, 27 ou 30°C. Os resultados mostraram que houve interação da temperatura da água e frequência de alimentação sobre o desempenho dos peixes. Na água com temperatura de 24 e 27°C, os peixes alimentados quatro vezes ao dia apresentaram maior ganho de peso médio (GPM), maior taxa de crescimento específico (TCE) e melhor conversão alimentar (CAA) (p<0,05) do que aqueles alimentados 24 vezes ao dia, porém, esta diferença não foi significativa para os peixes mantidos a 30°C. No entanto, não houve diferença (p>0,05) para a conversão alimentar dos peixes criados na água com temperatura de 24, 27 e 30°C quando a ração foi distribuída com maior frequência (24vezes/dia). Portanto, quando criado em temperaturas de 24 e 27°C, o bijupirá deve ser alimentado quatro vezes ao dia, mas quando os peixes são criados na temperatura de 30°C as frequências de alimentação avaliadas (04 e 24 refeições/dia) não influenciam o desempenho do bijupirá.
English abstract:The appropriate feeding frequency can provide the fastest fish growing performance; however the choice of the best feeding strategy may vary according to environmental conditions. The aim of this study was to evaluate the effect of feeding frequency and water temperatures in cobia performance. The experimental design was completely randomized in a 2x3 factorial design with six treatments and three replicates. The treatments consisted of the feed offering four or 24 meals a day to cobia juvenile (40 ± 4.5 g) and three water temperatures, 24, 27 or 30°C. The results showed that there was interaction between the water temperature and feeding frequency on fish performance. The fish fed four times a day, in water at 24 to 27°C, had higher average weight gain (AWG), specific growth rate (SGR) and feed conversion rate (FCR) (p <0.05) than those fed 24 times a day, however, this difference was not significant for fish raised in water at 30°C. However, there was no difference in feed conversion rate (p> 0.05) for fish raised at 24, 27 and 30°C when the feed was distributed more times per day (24 times/day). Therefore, when raised in temperature 24 and 27 ° C, the cobia must be fed four times a day, but when the fish are raised in temperature to 30 ° C the evaluated feeding frequency (04 and 24 meals / day) do not affect cobia performance.