Serviço de anatomia patológica do Departamento de Patologia Veterinária FCAV/UNESP: extensão universitária no período de janeiro de 2000 a maio de 2002

Introdução: O Serviço de Anatomia Patológica (SAP) do Departamento de Patologia Veterinária da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP está atuando desde 1981 como serviço de extensão universitária com a realização de diagnósticos anatomopatológicos, ou seja, efetuando necropsias e bió...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2003
Main Author: Godoy, Guilherme Sellera [UNESP]
Other Authors: Silva, Maria Fernanda de Lima e [UNESP], Borges, Vívian Palmeira [UNESP], Alessi, Antônio Carlos [UNESP], Bechara, Gervásio Henrique [UNESP], Moraes, Flávio Ruas de [UNESP], Moraes, Julieta Rodini Engracia de [UNESP]
Document type: Conference object
Language:por
Published: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Online Access:http://hdl.handle.net/11449/148343
http://proex.reitoria.unesp.br/congressos/Congressos/2__Congresso/Agr_rias_e_Veterin_rias/Agraria25.htm
Portuguese abstract:Introdução: O Serviço de Anatomia Patológica (SAP) do Departamento de Patologia Veterinária da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP está atuando desde 1981 como serviço de extensão universitária com a realização de diagnósticos anatomopatológicos, ou seja, efetuando necropsias e biópsias, com a finalidade de determinar a etiologia envolvida nas diversas doenças que afetam os animais domésticos e silvestres. Por estar situado no Câmpus de Jaboticabal, o SAP tem como principal remetente de materiais para exames o Hospital Veterinário “Governador Laudo Natel”. Clínicas Veterinárias e Cooperativas também usufruem do serviço, sendo as cidades da região de Jaboticabal, Ribeirão Preto e Campinas as mais freqüentes. Objetivos: determinar o número de diagnósticos realizados em cada espécie e avaliar quais são as principais cidades do Estado de São Paulo que utilizaram o serviço de extensão universitária no período de janeiro de 2000 à maio de 2002. Métodos: foram revisadas todas as fichas de registro do SAP referentes ao meses pesquisados, e foram colhidos dados pertinentes a cidade e a espécie animal registrada. As espécies de animais domésticos avaliadas foram: bovina, canina, caprina, eqüina, felina, ovina e suína. As dez cidades com maior freqüência de exames solicitados tiveram calculada a porcentagem em relação ao número de casos diagnosticados. Resultados: num total de 1500 casos, 954 (63,60%) são referentes a caninos; 222 (14,80%) a bovinos; 154 (10,27%) a eqüinos; 80 (5,33%) a felinos; 48 (3,20%) a ovinos; 30 (2,00%) a suínos; e 12 (0,80%) a caprinos. O número de exames remetidos pelas principais cidades do Estado de São Paulo que utilizam o serviço foi: 320 (21,33%) por Jaboticabal; 186 (12,40%) por Ribeirão Preto; 74 (4,93%) por São Carlos; 54 (3,60%) por Araraquara; 40 (2,67%) por Jundiaí; 36 (2,40%) por Matão; 35 (2,33%) por Franca e Mogi-Mirim; 32 (2,13%) por Sertãozinho; e 31 (2,08%) por Barretos. As demais cidades do Estado de São Paulo que fizeram requisição dos exames computam 529 (35,27%) casos. Outros Estados da nação como MG, MT, MS, PR, GO, RO e o Distrito Federal contribuíram com 51 (3,46%) casos analisados, sendo que 77 (5,13%) fichas de registro não continham o nome da cidade. Conclui-se que a abrangência do SAP inclui várias cidades de SP e de outras regiões do Brasil, logo, demonstra-se a importância como serviço de extensão universitária, já que apenas 21,33% dos casos referem-se a cidade de Jaboticabal.