Um estudo intergeracional sobre autonomia e iniciação sexual de universitárias e suas mães

A autonomia sobre as próprias decisões e especialmente em relação à sexualidade e à iniciação sexual são temas que preocupam educadores, familiares e a sociedade em geral, especificamente quando é abordado o agrupamento jovens mulheres. Procurando compreender a dinâmica intergeracional, existente en...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Donati, Fabiana Augusta [UNESP]
Advisor: Martins, Raul Aragão [UNESP]
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Portuguese subjects:
Online Access:http://hdl.handle.net/11449/123905
http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/cathedra/08-06-2015/000831981.pdf
Citation:DONATI, Fabiana Augusta. Um estudo intergeracional sobre autonomia e iniciação sexual de universitárias e suas mães. 2015. 150 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências, 2015.
Portuguese abstract:A autonomia sobre as próprias decisões e especialmente em relação à sexualidade e à iniciação sexual são temas que preocupam educadores, familiares e a sociedade em geral, especificamente quando é abordado o agrupamento jovens mulheres. Procurando compreender a dinâmica intergeracional, existente entre mães e filhas, nesse contexto, este estudo fez parte de uma pesquisa que investigou a educação intergeracional sobre a autonomia e a iniciação sexual de universitárias e suas mães de uma escola privada do interior de São Paulo. Foi realizado um levantamento inicial com o objetivo de identificar o padrão comportamental das estudantes, e o instrumento utilizado foi um questionário fechado quantitativo, que pesquisou, além do comportamento sexual, também nível sócio-econômico, estado civil, religião e uso do preservativo. Foi aplicado em 218 alunas, de seis cursos nas áreas de humanas e saúde. Com relação às categorizações para a situação afetiva das alunas, 43,5% delas estavam na categoria relacionamento estável - namoro, 29,9% na categoria só ou ficando e 26,6% eram alunas casadas. A maioria das estudantes intituladas jovens, condizentes com a categorização do estatuto da juventude (idade entre 15 e 29 anos), compunha 75,0% das participantes na pesquisa. Do total de alunas que apresentaram vida sexual, 187 participantes, a idade média da iniciação sexual destas universitárias foi 17 anos, e em relação ao uso de preservativo na primeira relação sexual, 66,7% destas mulheres jovens declararam ter usado e na última relação esta porcentagem caiu para 35,3% de uso. Em relação à religião 47,2% se declararam católicas, 13,7% espíritas e 33,5% evangélicas. Os resultados mostraram um grande número de universitárias com vida sexual, independente do nível sócio-econômico e da área de conhecimento. Na dinâmica intergeracional observou-se maior interação mãe-filha nas participantes...
English abstract:The autonomy over their own decisions and especially in relation to sexuality and sexual initiation are issues of concern to educators, families and society in general, specifically when dealing with young women. Trying to understand the intergenerational dynamics, that exist between mothers and daughters, in this context, this study was part of a larger study that investigated the intergenerational education on autonomy and sexual initiation among university students from a private institution in the interior of São Paulo. We conducted a baseline survey in order to identify the behavioral patterns of students and the instrument used was a quantitative closed questionnaire that surveyed the sexual behavior, socioeconomic status, marital status, religion and condom use. The questionnaire was applied to 218 students from six courses in the humanities and health. Regarding the affective situation of the students, 43.5% were in stable relationships - dating, 29.9% were single or with someone and 26.6% were married students. Most students were classified as young according to the categorization of Statute of Youth (aged 15 to 29 years), comprised 75.0% of the research participants. Of the students who reported sexual life, 187 participants, the average age of sexual initiation of these university students was 17, and in relation to condom use at first sexual intercourse, 66.7% of young women reported using and about last relationship this percentage dropped to 35.3%. With regard to religion 47.2% declared themselves catholic, 13.7% spiritualists and 33.5% evangelical. The results showed a large number of students with active sexual life, regardless of socioeconomic level and area of expertise. A greater mother-daughter interaction was observed in the intergenerational dynamics in more autonomous participants, but this data was not considered unique for autonomy. The assumption that sexual initiation occurred in an autonomous way is...