Avaliação clínica e radiográfica de implantes curtos: estudo retrospectivo no período de 7 anos

Áreas edêntulas com severa reabsorção óssea têm sido reabilitadas com próteses fixas instaladas sobre implantes curtos, evitando que os pacientes sejam submetidos a cirurgias de reconstrução óssea. Este estudo retrospectivo descreve o comportamento de implantes curtos avaliados em um período de 7 an...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Karen Vaz Ayub
Advisor: Luiz Fernando Pegoraro
Referee: Ana Lúcia Pompéia Fraga de Almeida, Estevam Augusto Bonfante, Paulo Abdalla Saad, Ivete Aparecida de Mattias Sartori
Document type: Doctoral thesis
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Program: Ciências Odontológicas Aplicadas
Portuguese subjects:
English subjects:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25146/tde-11062018-194524/
Portuguese abstract:Áreas edêntulas com severa reabsorção óssea têm sido reabilitadas com próteses fixas instaladas sobre implantes curtos, evitando que os pacientes sejam submetidos a cirurgias de reconstrução óssea. Este estudo retrospectivo descreve o comportamento de implantes curtos avaliados em um período de 7 anos. A amostra foi composta por 70 pacientes, de ambos os gêneros, que receberam 136 implantes, de 6 ou 8mm de comprimento (Straumann® bone level e tissue level standard plus) sobre os quais foram instaladas próteses unitárias e múltiplas, cimentadas e parafusadas. Foram realizadas avaliações clínicas e radiográficas mensurando a estabilidade do implante por frequência de ressonância, perda óssea marginal por meio de radiografias panorâmicas, índices de placa e de sangramento marginal, taxas de sobrevivência do implante e da prótese. Dois implantes instalados na mandíbula foram perdidos, resultando em uma taxa de sobrevivência de 98,3%. A taxa de sobrevivência das próteses foi de 100%; a média de perda óssea foi de - 0,28mm; a estabilidade média dos implantes foi de 76,515 ISQ; as médias dos índices de placa e de sangramento foram de 32,83% e 33,21%, respectivamente. A estabilidade do implante foi maior na mandíbula que na maxila (p = 0,006). Os resultados obtidos nesta pesquisa, possibilitam afirmar que os implantes curtos podem ser utilizados com segurança dentro de suas indicações específicas.
English abstract:Edentulous areas with severe bone resorption have been rehabilitated with fixed prostheses installed on short implants, avoiding surgeries of bone reconstruction. This retrospective study describes the behavior of short implants evaluated during 7 years. The sample consisted of 70 patients, of both genders, who received 136 implants, 6 or 8mm in length (Straumann® bone level and tissue level standard plus) on which single and multiple, cemented and screwed prostheses were installed. Clinical and radiographic evaluations were performed by measuring implant stability by resonance frequency, marginal bone loss by panoramic radiographs, plaque and marginal bleeding rates, the implant and prostheses survival rates. Two implants installed in mandible were lost, resulting in a survival rate of 98,3%. The prostheses survival rate was 100%; mean bone loss was -0,28mm; mean implants stability was 76,52 ISQ; mean plaque and bleeding indexes were 32,83% and 33,21%, respectively. The implant stability was higher in the mandible than in the maxilla (p = 0.006). The results obtained in this research make it possible to state that short implants can be used safely within their specific indications.