Ácaros trombiculídeos (Trombidiformes: Trombiculidae) de pequenos mamíferos dos estados de São Paulo e Paraná: estudos morfológicos e investigação da presença de Rickettsia

Para o Brasil foram reportadas 53 espécies de ácaros trombiculídeos. Destas, 5 espécies parasitam anfíbios, 6 espécies parasitam aves, 4 espécies parasitam répteis, 25 espécies parasitam roedores, 8 espécies parasitam marsupiais e 12 espécies parasitam outros mamíferos (incluindo humanos). Assim que...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Fernando de Castro Jacinavicius
Advisor: Darci Moraes Barros Battesti
Referee: João Luiz Horácio Faccini, Marcelo Bahia Labruna
Document type: Master thesis
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Program: Epidemiologia Experimental e Aplicada às Zoonoses
Portuguese subjects:
English subjects:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10134/tde-04082015-142832/
Portuguese abstract:Para o Brasil foram reportadas 53 espécies de ácaros trombiculídeos. Destas, 5 espécies parasitam anfíbios, 6 espécies parasitam aves, 4 espécies parasitam répteis, 25 espécies parasitam roedores, 8 espécies parasitam marsupiais e 12 espécies parasitam outros mamíferos (incluindo humanos). Assim que os primeiros casos de Febre Maculosa Brasileira (FMB) foram diagnosticados em São Paulo nos anos 30, os ácaros hematófagos, como os trombiculídeos, foram sugeridos como potenciais vetores. No entanto, o papel desses ácaros na epidemiologia da riquetsiose não foi confirmado. Dessa forma, a situação fragmentária dos registros de ocorrência dos trombiculídeos, sua complexidade taxonômica e a escassez de informações sobre sua participação na epidemiologia de riquétsias, foram os principais motivos que levaram à proposição do presente estudo. Com isso, os ácaros que estão depositados nas coleções acarológicas do Instituto Butantan (IBSP), do Museu de Zoologia da USP (MZUSP) e da FIOCRUZ (CAVAIS-IOC), foram examinados e identificados. Igualmente, aqueles obtidos de roedores e marsupiais coletados em algumas localidades do estado de São Paulo e Paraná foram também identificados, bem como, investigados para a presença de Rickettsia spp. No total, foram identificadas as espécies Arisocerus hertigi, Eutrombicula sp. n., Kymocta brasiliensis, Quadraseta azulae, Q. brasiliensis, Q. mackenziei, Q. mirandae e Trombewingia bakeri. Além do encontro da nova espécie de Eutrombicula sp. n., foi ainda constatado que E. butantanensis e E. alfreddugesi são espécies distintas. As espécies Q. azulae, Q mackenziei e Q. mirandae, são assinaladas pela primeira vez no país. Com excessão de Q. brasiliensis em M. americana, todos os hospedeiros são novos registros para as espécies de ácaros examinados, bem como todas as localidades são novos registros de ocorrência. Assim, o número de espécies de trombiculídeos no Brasil aumentou para 59. Os ácaros investigados para Rickettia foram também preservados em lâminas, como testemunhos. Entretanto, nos espécimes analisados, a presença da bactéria não foi detectada.
English abstract:For Brazil were reported 53 species of chigger mites. Of these, 5 species parasitize amphibians, 6 species parasitize birds, 4 species parasitize reptiles, 25 species parasitize rodents, 8 species occur on marsupials, and 12 species parasitize other wild mammals (including humans). In the 30s, as soon as the first cases of Brazilian Spotted Fever (BSF) in São Paulo were diagnosed, the haematophagous mites, such as chiggers, were suggested as potential vectors. However, the role of these mites in the epidemiology of the rickettsiosis was not confirmed. Thus, the fragmentary situation of the records of the chigger mites' occurrence, their taxonomic complexity, and the lack of information about their participation in the BSF epidemiology, were the main reasons that led to the present study proposition. So, the mites deposited in the collections of the Instituto Butantan (IBSP), Museu de Zoologia of USP (MZUSP) and FIOCRUZ (CAVAIS-IOC), were identified. Also, those obtained from rodents and marsupials collected in some localities of the state of São Paulo and Paraná were identified and investigated for the presence of Rickettsia spp. In total, the species Arisocerus hertigi, Eutrombicula n. sp., Kymocta brasiliensis, Quadraseta azulae, Quadraseta brasiliensis, Quadraseta mackenziei, Quadraseta mirandae, and Trombewingia bakeri, were identified. Besides of the new specie of Eutrombicula sp. n., the mites E. alfreddugesi and E. butantanensis were found to be distinct species. The species Q. azulae, Q. mackenziei, and Q. mirandae, are highlighted for the first time in the country. Except for Q. brasiliensis in M. americana, all other hosts are new records for the species of examined mites, as well as all locaties are also new occurences. Thus, the number of chigger mite species in Brazil increased to 59. The mites investigated to Rickettsia were also preserved in slides, as voucher. However, in the analyzed specimens, the bacteria could not be detected.