Perspectivas em exercício: Uma investigação sobre a lógica administrativa e o engajamento subjetivo no trabalho

Esta pesquisa tem como tema os discursos que circulam e estruturam o ambiente de trabalho nas empresas. De forma geral, busca-se compreender a lógica administrativa que, no limite, exerce uma condução da subjetividade dos trabalhadores. Temos por objetivos: 1) identificar como nas escolas do pensame...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: Flávia Manuella Uchôa de Oliveira
Advisor: Leny Sato
Referee: Cris Fernández Andrada, Egeu Gomez Esteves
Document type: Master thesis
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Program: Psicologia Social
Portuguese subjects:
English subjects:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-11052016-151125/
Portuguese abstract:Esta pesquisa tem como tema os discursos que circulam e estruturam o ambiente de trabalho nas empresas. De forma geral, busca-se compreender a lógica administrativa que, no limite, exerce uma condução da subjetividade dos trabalhadores. Temos por objetivos: 1) identificar como nas escolas do pensamento administrativo do século XX o engajamento do trabalho é requerido dos trabalhadores; 2) pretendemos discutir uma possível caracterização do discurso e dos usos da administração, como campo de conhecimento sobre o trabalho, dentro das organizações. Para tanto, estabelecemos como panorama teórico-metodológico nas ideias centrais de Michel Foucault em suas análises sobre a funcionalidade do poder e seus dispositivos. Propusemos uma perspectiva arqueogenealógica para a estudar o tema trabalho por meio da lógica da administração e do engajamento. Para estruturar esta análise, selecionamos disciplinas oferecidas e examinamos ementas e referências de leituras nos cursos de graduação da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV) e do curso de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP). Diante do contato com a discursividade administrativa pudemos formular algumas reflexões. A Administração de Empresas é a ciência da demonstração, pautada na dominação da realidade por uma dita eficiência. É o que se faz produtivo da realidade ou o que se produz nela que se torna científico. Não há discussão, nos registros aqui investigados, de um questionamento sobre o discurso de eficiência, de melhores práticas e da localização das organizações como construções historicamente produzidas, apenas como produtoras de determinações. Não parece haver a possibilidade de desnaturalizar a empresa. A administração parece estar pautada em uma duplicação da dominação como a profissão que é moldada ao moldar o trabalho. Partimos também da análise do que se nomeia engajamento para compreender o que é requerido do trabalhador para além do contrato de trabalho e de sua produtividade material. Neste sentido, o trabalho torna-se uma experiência de educação em contínua e ininterrupta vigilância pedagógica. O efeito moral das técnicas e das provas nas correntes de pensamento da administração permite uma condução técnica e do modo de viver dos trabalhadores. Nesse sentido, a administração, propõe o aperfeiçoamento do cuidado de si no trabalho e para o trabalho. As disciplinas então se duplicam: pelo exterior, por meio da regra pautada na estrutura formal da autoridade da fábrica/empresa com o governo dos corpos; e pelo interior por meio de uma sujeição por identidade, pela estilização da vida
English abstract:This research was primarily encouraged by the authors work experience in the Human Resources department of a multinational beverage company. The discourses that emerged and structured the workplace seemed, in general, to impose an unquestionable administrative logic and to drive the subjectivity of workers. The authors work experiences became the pretext that drove this analytical exercise into the corporate discourses. The objectives of this research are: 1) as a general objective, we aim to identify how (and at what times) in managerial waves of modernity engagement work is required of workers; 2) as an specific objective, we intend to discuss a possible characterization of uses and discourses of the business administration as field of knowledge about work, within organizations. We established as a theoretical and methodological overview Michel Foucault\'s ideas, especially, in his analysis of history, power and its dispositifs. We proposed an Archaeological and Genealogical perspective to study the subject of work through the administrative logic and subjective engagement. To structure these analyses, we examined the summary and readings references of two graduations courses, the São Paulo Business Administration School of the Getúlio Vargas Foundation (EAESP -FGV) and the School of Economics, Business Administration and Accounting at the University of São Paulo (FEA-USP). After examining the administrative discourses, we could formulate some prepositions. Business Administration is the science of demonstration, based on the coercion of reality by a so-called efficiency. It is what makes production of reality, or what is produced in reality that becomes scientific. There is no evidence, in the records investigated here, of an inquiry into the discourse of efficiency or best practice. There is no evidence of a comprehension of organizations as historically produced institutions, the companies are perceived only as producers of social determinations. Business administration, as a discipline, seems to be guided by a duplicated domination as a profession that is shaped to shape the work. We also analyze the workers engagement throughout the managerial waves of the twentieth century to understand what the organization requires besides what it already requires on the work contract. According to our analyzes, work becomes an educational experience, a continuous and uninterrupted monitored experience. The moral effect of the management\'s techniques allows the organizations to drive the way of living of workers. In this sense, the administration techniques improve the care of selves at work and to work. The domination becomes duplicated: through the rules in the formal structure of the organization; and through identity and the stylization of life