A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu

Bibliographic Details
Main Author: Martins, Daniele Comin
Publication Date: 2007
Format:
Language: por
Source: Revista Opinião Jurídica (Fortaleza)
Download full: https://periodicos.unichristus.edu.br/opiniaojuridica/article/view/1892
Summary: Este trabalho pretende descrever o processo de criminalização do MST, observando este fenômeno na esfera microssocial, através de estudo de caso da Comarca de Quedas do Iguaçu, interior do Paraná, compreendida como aquela que está envolvida imediatamente no conflito de terras que se estabelece com o acampamento dos integrantes do movimento em determinadas propriedades rurais. A hipótese é de que quanto mais próximo do conflito, maior a tendência da esfera de controle social formal punitivo (o Sistema Penal) criminalizar as condutas, face ao seu possível envolvimento com a (negação da) causa. No mapeamento da construção do processo de criminalização percebeu-se a influência que as instâncias de controle social difuso e institucionalizado constroem cotidianamente no meio ambiente comunicativo das relações sociais, gerando uma intensa estigmatização dos sujeitos envolvidos no MST, o que faz desembocar no sistema jurídico como criminalização da conduta participativa do movimento social dos sem-terra. O método adotado foi o indutivo e os procedimentos forma o bibliográfico e a pesquisa empírica.
id CHRISTUS-2_2d9bcca1c4fa9eb0e87196d5a7295d8c
oai_identifier_str oai:ojs.unichristus.emnuvens.com.br:article/1892
network_acronym_str CHRISTUS-2
network_name_str Revista Opinião Jurídica (Fortaleza)
repository_id_str
spelling A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do IguaçuMovimentos sociais; MST; Processo de criminalização; Teorias criminológicas; Teoria sistêmicaEste trabalho pretende descrever o processo de criminalização do MST, observando este fenômeno na esfera microssocial, através de estudo de caso da Comarca de Quedas do Iguaçu, interior do Paraná, compreendida como aquela que está envolvida imediatamente no conflito de terras que se estabelece com o acampamento dos integrantes do movimento em determinadas propriedades rurais. A hipótese é de que quanto mais próximo do conflito, maior a tendência da esfera de controle social formal punitivo (o Sistema Penal) criminalizar as condutas, face ao seu possível envolvimento com a (negação da) causa. No mapeamento da construção do processo de criminalização percebeu-se a influência que as instâncias de controle social difuso e institucionalizado constroem cotidianamente no meio ambiente comunicativo das relações sociais, gerando uma intensa estigmatização dos sujeitos envolvidos no MST, o que faz desembocar no sistema jurídico como criminalização da conduta participativa do movimento social dos sem-terra. O método adotado foi o indutivo e os procedimentos forma o bibliográfico e a pesquisa empírica.Instituto para o Desenvolvimento da EducacaoMartins, Daniele Comin2007-12-31info:eu-repo/semantics/articleinfo:eu-repo/semantics/publishedVersionapplication/pdfhttps://periodicos.unichristus.edu.br/opiniaojuridica/article/view/189210.12662/2447-6641oj.v5i9.p84-104.2007Revista Opinião Jurídica (Fortaleza); v. 5, n. 9 (2007); 84-104Revista Opinião Jurídica (Fortaleza); v. 5, n. 9 (2007); 84-104Revista Opinião Jurídica (Fortaleza); v. 5, n. 9 (2007); 84-104Revista Opinião Jurídica (Fortaleza); v. 5, n. 9 (2007); 84-1042447-66411806-042010.12662/2447-6641oj.v5i9.2007reponame:Revista Opinião Jurídica (Fortaleza)instname:Centro Universitário Christus (Unichristus)instacron:UNICHRISTUSporhttps://periodicos.unichristus.edu.br/opiniaojuridica/article/view/1892/527Direitos autorais 2017 Revista Opinião Jurídicahttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0info:eu-repo/semantics/openAccess2018-06-07T12:39:48ZRevistahttps://periodicos.unichristus.edu.br/opiniaojuridicaPRI
dc.title.none.fl_str_mv A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu
title A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu
spellingShingle A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu
Martins, Daniele Comin
Movimentos sociais; MST; Processo de criminalização; Teorias criminológicas; Teoria sistêmica
title_short A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu
title_full A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu
title_fullStr A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu
title_full_unstemmed A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu
title_sort A criminalização dos movimentos sociais e sua possível institucionalização normativa: a luta por terras do MST no interior do Paraná - o caso de Quedas do Iguaçu
author Martins, Daniele Comin
author_facet Martins, Daniele Comin
author_role author
dc.contributor.none.fl_str_mv
dc.contributor.author.fl_str_mv Martins, Daniele Comin
dc.subject.none.fl_str_mv
dc.subject.por.fl_str_mv Movimentos sociais; MST; Processo de criminalização; Teorias criminológicas; Teoria sistêmica
topic Movimentos sociais; MST; Processo de criminalização; Teorias criminológicas; Teoria sistêmica
description Este trabalho pretende descrever o processo de criminalização do MST, observando este fenômeno na esfera microssocial, através de estudo de caso da Comarca de Quedas do Iguaçu, interior do Paraná, compreendida como aquela que está envolvida imediatamente no conflito de terras que se estabelece com o acampamento dos integrantes do movimento em determinadas propriedades rurais. A hipótese é de que quanto mais próximo do conflito, maior a tendência da esfera de controle social formal punitivo (o Sistema Penal) criminalizar as condutas, face ao seu possível envolvimento com a (negação da) causa. No mapeamento da construção do processo de criminalização percebeu-se a influência que as instâncias de controle social difuso e institucionalizado constroem cotidianamente no meio ambiente comunicativo das relações sociais, gerando uma intensa estigmatização dos sujeitos envolvidos no MST, o que faz desembocar no sistema jurídico como criminalização da conduta participativa do movimento social dos sem-terra. O método adotado foi o indutivo e os procedimentos forma o bibliográfico e a pesquisa empírica.
publishDate 2007
dc.date.none.fl_str_mv 2007-12-31
dc.type.none.fl_str_mv

dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
format
status_str
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://periodicos.unichristus.edu.br/opiniaojuridica/article/view/1892
10.12662/2447-6641oj.v5i9.p84-104.2007
url https://periodicos.unichristus.edu.br/opiniaojuridica/article/view/1892
identifier_str_mv 10.12662/2447-6641oj.v5i9.p84-104.2007
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.relation.none.fl_str_mv https://periodicos.unichristus.edu.br/opiniaojuridica/article/view/1892/527
dc.rights.driver.fl_str_mv Direitos autorais 2017 Revista Opinião Jurídica
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0
info:eu-repo/semantics/openAccess
rights_invalid_str_mv Direitos autorais 2017 Revista Opinião Jurídica
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv application/pdf
dc.coverage.none.fl_str_mv


dc.publisher.none.fl_str_mv Instituto para o Desenvolvimento da Educacao
publisher.none.fl_str_mv Instituto para o Desenvolvimento da Educacao
dc.source.none.fl_str_mv Revista Opinião Jurídica (Fortaleza); v. 5, n. 9 (2007); 84-104
Revista Opinião Jurídica (Fortaleza); v. 5, n. 9 (2007); 84-104
Revista Opinião Jurídica (Fortaleza); v. 5, n. 9 (2007); 84-104
Revista Opinião Jurídica (Fortaleza); v. 5, n. 9 (2007); 84-104
2447-6641
1806-0420
10.12662/2447-6641oj.v5i9.2007
reponame:Revista Opinião Jurídica (Fortaleza)
instname:Centro Universitário Christus (Unichristus)
instacron:UNICHRISTUS
instname_str Centro Universitário Christus (Unichristus)
instacron_str UNICHRISTUS
institution UNICHRISTUS
reponame_str Revista Opinião Jurídica (Fortaleza)
collection Revista Opinião Jurídica (Fortaleza)
repository.name.fl_str_mv
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1734458786476720128