Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade

Bibliographic Details
Main Author: Velloso, Adriana de Freitas
Publication Date: 2012
Format: Article
Language: por
Source: Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade
Download full: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/506
Summary: As terapias alternativas e holísticas integraram o movimento contra cultural iniciado na década de 60. Impulsionadas pelas transformações sociais da época, inaugurou-se  no campo da saúde do Ocidente, um período de convivência de diversas culturas de saúde.Nos anos 80, intensificou-se a demanda por formas não convencionais de consumo de bens e serviços de saúde, entre eles a homeopatia, fitoterapia e práticas da medicina chinesa, mais especificamente a acupuntura. Havia uma nova sensibilidade cultural que buscou fundar, entre outras propostas, uma inédita postura de promoção de saúde, diferenciada do preventivismo médico até então vigente. Nascia um novo paradigma no campo da saúde, cujo objeto e objetivos eram distintos do tradicional combate às doenças. A existência desse movimento social, aliado às lacunas deixadas pela medicina científica contemporânea no atendimento às demandas de saúde da população, levou à institucionalização das práticas integrativas e complementares, uma trajetória que levou em 2006 à publicação da portaria n° 971 que define a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS. Nesta apresentação propomos discutir os desafios atuais para a disseminação das PICs no SUS e, em especial,nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), onde estão oficialmente inseridas, na perspectiva do movimento cultural original, da promoção da saúde e de suas novas bases paradigmáticas.
id SBMFC-1_0237e09353c4f31274b7f80abeeb661e
oai_identifier_str oai:ojs.rbmfc.org.br:article/506
network_acronym_str SBMFC-1
network_name_str Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade
spelling Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidadeMedicinas AlternativasMedicinas HolísticasSUSAs terapias alternativas e holísticas integraram o movimento contra cultural iniciado na década de 60. Impulsionadas pelas transformações sociais da época, inaugurou-se  no campo da saúde do Ocidente, um período de convivência de diversas culturas de saúde.Nos anos 80, intensificou-se a demanda por formas não convencionais de consumo de bens e serviços de saúde, entre eles a homeopatia, fitoterapia e práticas da medicina chinesa, mais especificamente a acupuntura. Havia uma nova sensibilidade cultural que buscou fundar, entre outras propostas, uma inédita postura de promoção de saúde, diferenciada do preventivismo médico até então vigente. Nascia um novo paradigma no campo da saúde, cujo objeto e objetivos eram distintos do tradicional combate às doenças. A existência desse movimento social, aliado às lacunas deixadas pela medicina científica contemporânea no atendimento às demandas de saúde da população, levou à institucionalização das práticas integrativas e complementares, uma trajetória que levou em 2006 à publicação da portaria n° 971 que define a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS. Nesta apresentação propomos discutir os desafios atuais para a disseminação das PICs no SUS e, em especial,nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), onde estão oficialmente inseridas, na perspectiva do movimento cultural original, da promoção da saúde e de suas novas bases paradigmáticas.Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)2012-06-22info:eu-repo/semantics/articleinfo:eu-repo/semantics/publishedVersionapplication/pdfhttps://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/50610.5712/rbmfc7(1)506Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; Vol. 7 (2012): Suplemento 1 - Anais do 3° Simpósio Internacional de Medicinas Tradicionais e Práticas Contemplativas; 5Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; Vol. 7 (2012): Suplemento 1 - Anais do 3° Simpósio Internacional de Medicinas Tradicionais e Práticas Contemplativas; 5Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; v. 7 (2012): Suplemento 1 - Anais do 3° Simpósio Internacional de Medicinas Tradicionais e Práticas Contemplativas; 52179-79941809-5909reponame:Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidadeinstname:Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)instacron:SBMFCporhttps://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/506/397Copyright (c) 2012 Adriana de Freitas Vellosoinfo:eu-repo/semantics/openAccessVelloso, Adriana de Freitas2020-05-21T20:59:38ZRevista
dc.title.none.fl_str_mv Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade
title Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade
spellingShingle Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade
Velloso, Adriana de Freitas
Medicinas Alternativas
Medicinas Holísticas
SUS
title_short Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade
title_full Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade
title_fullStr Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade
title_full_unstemmed Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade
title_sort Medicinas alternativas e holísticas e a política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde- desafios da atualidade
author Velloso, Adriana de Freitas
author_facet Velloso, Adriana de Freitas
author_role author
dc.contributor.author.fl_str_mv Velloso, Adriana de Freitas
dc.subject.por.fl_str_mv Medicinas Alternativas
Medicinas Holísticas
SUS
topic Medicinas Alternativas
Medicinas Holísticas
SUS
dc.description.none.fl_txt_mv As terapias alternativas e holísticas integraram o movimento contra cultural iniciado na década de 60. Impulsionadas pelas transformações sociais da época, inaugurou-se  no campo da saúde do Ocidente, um período de convivência de diversas culturas de saúde.Nos anos 80, intensificou-se a demanda por formas não convencionais de consumo de bens e serviços de saúde, entre eles a homeopatia, fitoterapia e práticas da medicina chinesa, mais especificamente a acupuntura. Havia uma nova sensibilidade cultural que buscou fundar, entre outras propostas, uma inédita postura de promoção de saúde, diferenciada do preventivismo médico até então vigente. Nascia um novo paradigma no campo da saúde, cujo objeto e objetivos eram distintos do tradicional combate às doenças. A existência desse movimento social, aliado às lacunas deixadas pela medicina científica contemporânea no atendimento às demandas de saúde da população, levou à institucionalização das práticas integrativas e complementares, uma trajetória que levou em 2006 à publicação da portaria n° 971 que define a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS. Nesta apresentação propomos discutir os desafios atuais para a disseminação das PICs no SUS e, em especial,nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), onde estão oficialmente inseridas, na perspectiva do movimento cultural original, da promoção da saúde e de suas novas bases paradigmáticas.
description As terapias alternativas e holísticas integraram o movimento contra cultural iniciado na década de 60. Impulsionadas pelas transformações sociais da época, inaugurou-se  no campo da saúde do Ocidente, um período de convivência de diversas culturas de saúde.Nos anos 80, intensificou-se a demanda por formas não convencionais de consumo de bens e serviços de saúde, entre eles a homeopatia, fitoterapia e práticas da medicina chinesa, mais especificamente a acupuntura. Havia uma nova sensibilidade cultural que buscou fundar, entre outras propostas, uma inédita postura de promoção de saúde, diferenciada do preventivismo médico até então vigente. Nascia um novo paradigma no campo da saúde, cujo objeto e objetivos eram distintos do tradicional combate às doenças. A existência desse movimento social, aliado às lacunas deixadas pela medicina científica contemporânea no atendimento às demandas de saúde da população, levou à institucionalização das práticas integrativas e complementares, uma trajetória que levou em 2006 à publicação da portaria n° 971 que define a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS. Nesta apresentação propomos discutir os desafios atuais para a disseminação das PICs no SUS e, em especial,nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), onde estão oficialmente inseridas, na perspectiva do movimento cultural original, da promoção da saúde e de suas novas bases paradigmáticas.
publishDate 2012
dc.date.none.fl_str_mv 2012-06-22
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
format article
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/506
10.5712/rbmfc7(1)506
url https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/506
identifier_str_mv 10.5712/rbmfc7(1)506
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.relation.none.fl_str_mv https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/506/397
dc.rights.driver.fl_str_mv Copyright (c) 2012 Adriana de Freitas Velloso
info:eu-repo/semantics/openAccess
rights_invalid_str_mv Copyright (c) 2012 Adriana de Freitas Velloso
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv application/pdf
dc.publisher.none.fl_str_mv Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)
publisher.none.fl_str_mv Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)
dc.source.none.fl_str_mv Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; Vol. 7 (2012): Suplemento 1 - Anais do 3° Simpósio Internacional de Medicinas Tradicionais e Práticas Contemplativas; 5
Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; Vol. 7 (2012): Suplemento 1 - Anais do 3° Simpósio Internacional de Medicinas Tradicionais e Práticas Contemplativas; 5
Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; v. 7 (2012): Suplemento 1 - Anais do 3° Simpósio Internacional de Medicinas Tradicionais e Práticas Contemplativas; 5
2179-7994
1809-5909
reponame:Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade
instname:Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)
instacron:SBMFC
instname_str Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)
instacron_str SBMFC
institution SBMFC
reponame_str Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade
collection Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade
repository.name.fl_str_mv
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1724834409116336128