Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens

Detalhes bibliográficos
Autor(a) principal: Silva, Thiago Santos da
Data de Publicação: 2010
Tipo de documento: Artigo
Idioma: por
Título da fonte: Repositório Institucional da UCB
Texto Completo: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/10869/1088
Resumo: Este trabalho objetivou analisar os efeitos de diferentes intensidades (5RM e 15RM) e diferentes intervalos (30, 60 ou 120 segundos) de recuperação muscular do treinamento resistido na percepção subjetiva de esforço (PSE) em diferentes em atletas jovens. Foram selecionados 23 adolescentes do sexo masculino com idade média (17,06±0,73 anos), média de peso (68,01±8,09 kg), média de estatura (173,65±5,61 cm). Foi assinado o termo de livre consentimento informado e foram submetidos à adequação de cargas e avaliada cada intensidade (5RM e 15RM) e um intervalo de recuperação (30, 60 ou 120 segundos), onde ao final de cada série foi pedido para o avaliado apontar o esforço percebido na escala OMNI-RES. A análise estatística utilizada foi de forma descritiva (média e desvio padrão) para o intervalo entre as séries (30, 60 e 120 segundos) x Intensidade (5RM e 15RM). As diferenças significativas na ANOVA foram analisadas pelo teste post-hoc de Bonferroni. O nível de significância adotado foi de 0,05. Para os valores médios da PSE não foram encontradas diferenças significativas entre as intensidades 5RM e 15RM nos intervalos de 120, 60 e 30 segundos respectivamente. Com relação aos intervalos com a mesma intensidade de carga, verificou-se diferença na PSE entre 15RM e intervalo de 120 e 60 segundos com 15RM e intervalo de 30 segundos. Para as intensidades de 5RM, apenas o intervalo de 120 segundos apresentou diferença na percepção em relação aos 5RM com intervalo de 30 segundos demonstrou que entre as intensidades e intervalos de recuperação ocorreram diferenças significativas. Conclui-se que para o mesmo intervalo, independente da intensidade da carga (5RM e 15RM), a PSE é igual, enquanto para a mesma intensidade, a PSE apresentou respostas diferenças com intervalos diferenciados.
id UCB-2_2f1a3397d088d50602dd6c934dc67bf9
oai_identifier_str oai:200.214.135.189:10869/1088
network_acronym_str UCB-2
network_name_str Repositório Institucional da UCB
spelling Silva, Thiago Santos daSilva, Michel Santos daNóbrega, Roberto2012-12-20T05:00:15Z2016-10-10T03:42:45Z2012-12-20T05:00:15Z2016-10-10T03:42:45Z2012-12-202010https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/10869/1088Este trabalho objetivou analisar os efeitos de diferentes intensidades (5RM e 15RM) e diferentes intervalos (30, 60 ou 120 segundos) de recuperação muscular do treinamento resistido na percepção subjetiva de esforço (PSE) em diferentes em atletas jovens. Foram selecionados 23 adolescentes do sexo masculino com idade média (17,06±0,73 anos), média de peso (68,01±8,09 kg), média de estatura (173,65±5,61 cm). Foi assinado o termo de livre consentimento informado e foram submetidos à adequação de cargas e avaliada cada intensidade (5RM e 15RM) e um intervalo de recuperação (30, 60 ou 120 segundos), onde ao final de cada série foi pedido para o avaliado apontar o esforço percebido na escala OMNI-RES. A análise estatística utilizada foi de forma descritiva (média e desvio padrão) para o intervalo entre as séries (30, 60 e 120 segundos) x Intensidade (5RM e 15RM). As diferenças significativas na ANOVA foram analisadas pelo teste post-hoc de Bonferroni. O nível de significância adotado foi de 0,05. Para os valores médios da PSE não foram encontradas diferenças significativas entre as intensidades 5RM e 15RM nos intervalos de 120, 60 e 30 segundos respectivamente. Com relação aos intervalos com a mesma intensidade de carga, verificou-se diferença na PSE entre 15RM e intervalo de 120 e 60 segundos com 15RM e intervalo de 30 segundos. Para as intensidades de 5RM, apenas o intervalo de 120 segundos apresentou diferença na percepção em relação aos 5RM com intervalo de 30 segundos demonstrou que entre as intensidades e intervalos de recuperação ocorreram diferenças significativas. Conclui-se que para o mesmo intervalo, independente da intensidade da carga (5RM e 15RM), a PSE é igual, enquanto para a mesma intensidade, a PSE apresentou respostas diferenças com intervalos diferenciados.Submitted by Joanita Pereira Basto (joanita.basto@ucb.br) on 2012-12-05T12:56:25Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22974 bytes, checksum: 99c771d9f0b9c46790009b9874d49253 (MD5) Thiago Santos da Silva - TCC Graduação 2010.pdf: 837382 bytes, checksum: e4b04d752e8f64ddaf611d3b3fc607b4 (MD5)Approved for entry into archive by Diego Paiva(dpaiva@ucb.br) on 2012-12-20T05:00:15Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22974 bytes, checksum: 99c771d9f0b9c46790009b9874d49253 (MD5) Thiago Santos da Silva - TCC Graduação 2010.pdf: 837382 bytes, checksum: e4b04d752e8f64ddaf611d3b3fc607b4 (MD5)Made available in DSpace on 2012-12-20T05:00:15Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22974 bytes, checksum: 99c771d9f0b9c46790009b9874d49253 (MD5) Thiago Santos da Silva - TCC Graduação 2010.pdf: 837382 bytes, checksum: e4b04d752e8f64ddaf611d3b3fc607b4 (MD5)Made available in DSpace on 2016-10-10T03:42:45Z (GMT). No. of bitstreams: 5 Thiago Santos da Silva - TCC Graduação 2010.pdf: 837382 bytes, checksum: e4b04d752e8f64ddaf611d3b3fc607b4 (MD5) license_url: 52 bytes, checksum: 3d480ae6c91e310daba2020f8787d6f9 (MD5) license_text: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) license_rdf: 22974 bytes, checksum: 99c771d9f0b9c46790009b9874d49253 (MD5) license.txt: 1816 bytes, checksum: fe57da52578ce311f6209bb200620b6d (MD5) Previous issue date: 2012-12-20TextoArea Concentração::Educação Superior::Ciências da Saúde::Educação Físicatreinamento resistidointervalos de recuperaçãoadolescentespercepção subjetiva de esforçoAnálise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovensinfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/articleGraduaçãoEducação FísicaUniversidade Católica de Brasília, BrasilBacharelado em Educação FísicaBacharelinfo:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Repositório Institucional da UCBinstname:Universidade Católica de Brasília (UCB)instacron:UCBORIGINALThiago Santos da Silva - TCC Graduação 2010.pdfapplication/pdf837382https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/1/Thiago%20Santos%20da%20Silva%20-%20TCC%20Gradua%c3%a7%c3%a3o%202010.pdfe4b04d752e8f64ddaf611d3b3fc607b4MD51CC-LICENSElicense_urlapplication/octet-stream52https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/2/license_url3d480ae6c91e310daba2020f8787d6f9MD52license_textapplication/octet-stream0https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/3/license_textd41d8cd98f00b204e9800998ecf8427eMD53license_rdfapplication/octet-stream22974https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/4/license_rdf99c771d9f0b9c46790009b9874d49253MD54LICENSElicense.txttext/plain1816https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/5/license.txtfe57da52578ce311f6209bb200620b6dMD55TEXTThiago Santos da Silva - TCC Graduação 2010.pdf.txtThiago Santos da Silva - TCC Graduação 2010.pdf.txtExtracted texttext/plain39326https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/6/Thiago%20Santos%20da%20Silva%20-%20TCC%20Gradua%c3%a7%c3%a3o%202010.pdf.txtfd83733f801c0e3676dca24a8795bff1MD5610869/10882017-01-17 15:00:20.172TElDRU4/QSBERSBESVNUUklCVUk/P08gTj9PLUVYQ0xVU0lWQSAKCkFvIGFzc2luYXIgZSBlbnRyZWdhciBlc3RhIGxpY2VuP2EsIG8vYSBTci4vU3JhLiAoYXV0b3Igb3UgZGV0ZW50b3IKZG9zIGRpcmVpdG9zIGRlIGF1dG9yKToKCmEpIENvbmNlZGUgYSBVbml2ZXJzaWRhZGUgQ2F0P2xpY2EgZGUgQnJhcz9saWEgbyBkaXJlaXRvIG4/by1leGNsdXNpdm8KZGUgcmVwcm9kdXppciwgY29udmVydGVyIChjb21vIGRlZmluaWRvIGVtIGJhaXhvKSxjb211bmljYXIgZS9vdQpkaXN0cmlidWlyIG8gZG9jdW1lbnRvIGVudHJlZ3VlIChpbmNsdWluZG8gbyByZXN1bW8vYWJzdHJhY3QpIGVtCmZvcm1hdG8gZGlnaXRhbCBvdSBpbXByZXNzbyBlIGVtIHF1YWxxdWVyIG1laW8uIAoKYikgRGVjbGFyYSBxdWUgbyBkb2N1bWVudG8gZW50cmVndWUgPyBzZXUgdHJhYmFsaG8gb3JpZ2luYWwsIGUgcXVlCmRldD9tIG8gZGlyZWl0byBkZSBjb25jZWRlcm9zIGRpcmVpdG9zIGNvbnRpZG9zIG5lc3RhIGxpY2VuP2EuIERlY2xhcmEKVGFtYj9tIHF1ZSBhIGVudHJlZ2EgZG8gZG9jdW1lbnRvIG4/byBpbmZyaW5nZSwgdGFudG8gcXVhbnRvIGxoZSA/CnBvc3M/dmVsIHNhYmVyLCBvcyBkaXJlaXRvcyBkZSBxdWFscXVlciBvdXRyYSBwZXNzb2Egb3UgZW50aWRhZGUuCgpjKSBTZSBvIGRvY3VtZW50byBlbnRyZWd1ZSBjb250P20gbWF0ZXJpYWwgZG8gcXVhbCBuP28gZGV0P20gb3MKZGlyZWl0b3MgZGUgYXV0b3IsIGRlY2xhcmEgcXVlIG9idGV2ZSBhdXRvcml6YT8/byBkbyBkZXRlbnRvciBkb3MKZGlyZWl0b3MgZGUgYXV0b3IgcGFyYSBjb25jZWRlciBhIFVuaXZlcnNpZGFkZSBDYXQ/bGljYSBkZSBCcmFzP2xpYSBvcwpkaXJlaXRvcyByZXF1ZXJpZG9zIHBvciBlc3RhIGxpY2VuP2EsIGUgcXVlIGVzc2UgbWF0ZXJpYWwgY3Vqb3MKZGlyZWl0b3Mgcz9vIGRlIHRlcmNlaXJvcyBlc3Q/IGNsYXJhbWVudGUgaWRlbnRpZmljYWRvIGUgcmVjb25oZWNpZG8Kbm8gdGV4dG8gb3UgY29udGU/ZG8gZG8gZG9jdW1lbnRvIGVudHJlZ3VlLiAKClNlIG8gZG9jdW1lbnRvIGVudHJlZ3VlID8gYmFzZWFkbyBlbSB0cmFiYWxobyBmaW5hbmNpYWRvIG91IGFwb2lhZG8KcG9yIG91dHJhIGluc3RpdHVpPz9vIHF1ZSBuP28gYSBVbml2ZXJzaWRhZGUgQ2F0P2xpY2EgZGUgQnJhcz9saWEsCmRlY2xhcmEgcXVlIGN1bXByaXUgcXVhaXNxdWVyIG9icmlnYT8/ZXMgZXhpZ2lkYXMgcGVsbyByZXNwZWN0aXZvCmNvbnRyYXRvIG91IGFjb3Jkby4gCgpBIFVuaXZlcnNpZGFkZSBDYXQ/bGljYSBkZSBCcmFzP2xpYSBpZGVudGlmaWNhcj8gY2xhcmFtZW50ZSBvKHMpIHNldQoodm9zc28pIG5vbWUocykgY29tbyBvKHMpIGF1dG9yKGVzKSBvdSBkZXRlbnRvcihlcylkb3MgZGlyZWl0b3MgZG8KZG9jdW1lbnRvIGVudHJlZ3VlLCBlIG4/byBmYXI/IHF1YWxxdWVyIGFsdGVyYT8/bywgcGFyYSBhbD9tIGRhcwpwZXJtaXRpZGFzIHBvciBlc3RhIGxpY2VuP2EKCj8gbmVjZXNzP3JpbyBxdWUgY29uY29yZGUgY29tIGEgbGljZW4/YSBkZSBkaXN0cmlidWk/P28gbj9vLWV4Y2x1c2l2YSwKYW50ZXMgZG8gc2V1IGRvY3VtZW50byBwb2RlciBhcGFyZWNlciBuYSBSZXBvc2l0P3JpbyBkYSBVbml2ZXJzaWRhZGUKQ2F0P2xpY2EgZGUgQnJhcz9saWEuIFBvciBmYXZvciwgbGVpYSBhIGxpY2VuP2EgYXRlbnRhbWVudGUuIENhc28KcHJldGVuZGEgYWxndW0gZXNjbGFyZWNpbWVudG8gZW50cmUgZW0gY29udGF0byBwb3IgY29ycmVpbyBlbGV0cj9uaWNvCi0gY2RpQHVjYi5iciBvdSB0ZWxlZm9uZSAtICgweHg2MSkgMzM1Ni05MDI5LzkwOTkuCg==Repositório de Publicaçõeshttps://repositorio.ucb.br:9443/jspui/
dc.title.pt_BR.fl_str_mv Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens
title Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens
spellingShingle Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens
Silva, Thiago Santos da
treinamento resistido
intervalos de recuperação
adolescentes
percepção subjetiva de esforço
Area Concentração::Educação Superior::Ciências da Saúde::Educação Física
title_short Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens
title_full Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens
title_fullStr Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens
title_full_unstemmed Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens
title_sort Análise do efeito de diferentes intensidades e intervalos de recuperação na percepção subjetiva de atletas jovens
author Silva, Thiago Santos da
author_facet Silva, Thiago Santos da
author_role author
dc.contributor.coadvisor.none.fl_str_mv Silva, Michel Santos da
dc.contributor.author.fl_str_mv Silva, Thiago Santos da
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Nóbrega, Roberto
contributor_str_mv Nóbrega, Roberto
dc.subject.por.fl_str_mv treinamento resistido
intervalos de recuperação
adolescentes
percepção subjetiva de esforço
topic treinamento resistido
intervalos de recuperação
adolescentes
percepção subjetiva de esforço
Area Concentração::Educação Superior::Ciências da Saúde::Educação Física
dc.subject.other.pt_BR.fl_str_mv Area Concentração::Educação Superior::Ciências da Saúde::Educação Física
dc.description.abstract.por.fl_txt_mv Este trabalho objetivou analisar os efeitos de diferentes intensidades (5RM e 15RM) e diferentes intervalos (30, 60 ou 120 segundos) de recuperação muscular do treinamento resistido na percepção subjetiva de esforço (PSE) em diferentes em atletas jovens. Foram selecionados 23 adolescentes do sexo masculino com idade média (17,06±0,73 anos), média de peso (68,01±8,09 kg), média de estatura (173,65±5,61 cm). Foi assinado o termo de livre consentimento informado e foram submetidos à adequação de cargas e avaliada cada intensidade (5RM e 15RM) e um intervalo de recuperação (30, 60 ou 120 segundos), onde ao final de cada série foi pedido para o avaliado apontar o esforço percebido na escala OMNI-RES. A análise estatística utilizada foi de forma descritiva (média e desvio padrão) para o intervalo entre as séries (30, 60 e 120 segundos) x Intensidade (5RM e 15RM). As diferenças significativas na ANOVA foram analisadas pelo teste post-hoc de Bonferroni. O nível de significância adotado foi de 0,05. Para os valores médios da PSE não foram encontradas diferenças significativas entre as intensidades 5RM e 15RM nos intervalos de 120, 60 e 30 segundos respectivamente. Com relação aos intervalos com a mesma intensidade de carga, verificou-se diferença na PSE entre 15RM e intervalo de 120 e 60 segundos com 15RM e intervalo de 30 segundos. Para as intensidades de 5RM, apenas o intervalo de 120 segundos apresentou diferença na percepção em relação aos 5RM com intervalo de 30 segundos demonstrou que entre as intensidades e intervalos de recuperação ocorreram diferenças significativas. Conclui-se que para o mesmo intervalo, independente da intensidade da carga (5RM e 15RM), a PSE é igual, enquanto para a mesma intensidade, a PSE apresentou respostas diferenças com intervalos diferenciados.
description Este trabalho objetivou analisar os efeitos de diferentes intensidades (5RM e 15RM) e diferentes intervalos (30, 60 ou 120 segundos) de recuperação muscular do treinamento resistido na percepção subjetiva de esforço (PSE) em diferentes em atletas jovens. Foram selecionados 23 adolescentes do sexo masculino com idade média (17,06±0,73 anos), média de peso (68,01±8,09 kg), média de estatura (173,65±5,61 cm). Foi assinado o termo de livre consentimento informado e foram submetidos à adequação de cargas e avaliada cada intensidade (5RM e 15RM) e um intervalo de recuperação (30, 60 ou 120 segundos), onde ao final de cada série foi pedido para o avaliado apontar o esforço percebido na escala OMNI-RES. A análise estatística utilizada foi de forma descritiva (média e desvio padrão) para o intervalo entre as séries (30, 60 e 120 segundos) x Intensidade (5RM e 15RM). As diferenças significativas na ANOVA foram analisadas pelo teste post-hoc de Bonferroni. O nível de significância adotado foi de 0,05. Para os valores médios da PSE não foram encontradas diferenças significativas entre as intensidades 5RM e 15RM nos intervalos de 120, 60 e 30 segundos respectivamente. Com relação aos intervalos com a mesma intensidade de carga, verificou-se diferença na PSE entre 15RM e intervalo de 120 e 60 segundos com 15RM e intervalo de 30 segundos. Para as intensidades de 5RM, apenas o intervalo de 120 segundos apresentou diferença na percepção em relação aos 5RM com intervalo de 30 segundos demonstrou que entre as intensidades e intervalos de recuperação ocorreram diferenças significativas. Conclui-se que para o mesmo intervalo, independente da intensidade da carga (5RM e 15RM), a PSE é igual, enquanto para a mesma intensidade, a PSE apresentou respostas diferenças com intervalos diferenciados.
publishDate 2010
dc.date.submitted.none.fl_str_mv 2010
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2012-12-20T05:00:15Z
2016-10-10T03:42:45Z
dc.date.available.fl_str_mv 2012-12-20T05:00:15Z
2016-10-10T03:42:45Z
dc.date.issued.fl_str_mv 2012-12-20
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/article
status_str publishedVersion
format article
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/10869/1088
url https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/10869/1088
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv Texto
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UCB
instname:Universidade Católica de Brasília (UCB)
instacron:UCB
instname_str Universidade Católica de Brasília (UCB)
instacron_str UCB
institution UCB
reponame_str Repositório Institucional da UCB
collection Repositório Institucional da UCB
bitstream.url.fl_str_mv https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/1/Thiago%20Santos%20da%20Silva%20-%20TCC%20Gradua%c3%a7%c3%a3o%202010.pdf
https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/2/license_url
https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/3/license_text
https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/4/license_rdf
https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/5/license.txt
https://200.214.135.178:9443/jspui/bitstream/10869/1088/6/Thiago%20Santos%20da%20Silva%20-%20TCC%20Gradua%c3%a7%c3%a3o%202010.pdf.txt
bitstream.checksum.fl_str_mv e4b04d752e8f64ddaf611d3b3fc607b4
3d480ae6c91e310daba2020f8787d6f9
d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e
99c771d9f0b9c46790009b9874d49253
fe57da52578ce311f6209bb200620b6d
fd83733f801c0e3676dca24a8795bff1
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
MD5
MD5
MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1724829815249305600