Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação

Bibliographic Details
Main Author: Yara Cardoso Silva
Publication Date: 2020
Format: Doctoral thesis
Language: por
Source: Repositório Institucional da UFMG
Download full: http://hdl.handle.net/1843/38552
Summary: Introdução: as transições demográfica e epidemiológica constituem um desafio, no campo da saúde. Para atender ao novo perfil populacional, são necessárias novas estratégias de cuidado, entre as quais destaca-se a Atenção Domiciliar (AD). Na AD, o cuidador ou a família do paciente tornam-se responsáveis por prover-lhe cuidado - trabalho que é compartilhado com os profissionais que formam as equipes multidisciplinares de atenção domiciliar. Majoritariamente, os cuidadores do Programa Melhor em Casa (PMC), do Ministério da Saúde, são oriundos do sistema informal e precisam desenvolver competências específicas, para realizar os cuidados adequados ao usuário da AD. Diante dessa realidade, a equipe de atendimento precisa ser um dos pilares, na formação do cuidador. Nesse contexto, as práticas utilizadas pela equipe podem atuar como recurso de incentivo e facilitação à sua subjetivação e configuram fontes de saber-poder que interfiram em sua constituição produtiva. Objetivo: este estudo objetiva analisar processos de subjetivação do cuidador inserido em programa de atenção domiciliar em saúde. Metodologia: trata-se de uma pesquisa qualitativa. O cenário foi o Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) de Belo Horizonte - em especial a equipe de cuidados prolongados do Hospital Odilon Behrens. Foram pesquisados cuidadores, familiares e profissionais. Os dados foram obtidos da observação do trabalho da equipe, do cotidiano dos cuidadores e usuários e de entrevistas com os participantes. O material foi analisado da perspectiva da Análise do Discurso, tendo como referência o autor Michel Foucault. Resultados: os resultados indicam o predomínio de cuidadores informais, do sexo feminino e com vínculo parental. Encontram-se na faixa etária entre 20 e 59 anos, realizam os cuidados de vida diária e assistenciais, de higiene e administrativos relativos ao paciente. A constituição do cuidador está associada às suas dimensões psicoafetiva, cognitiva e moral, à intensidade do cuidado que realiza e ao quadro clínico do paciente – sua instabilidade ou agravamento. Avaliou-se que o processo de trabalho do cuidador é desgastante e ocasiona a abdicação de seu “eu” e de sua qualidade de vida, e que a rede de apoio constituída em torno do paciente contribui para a redução da sobrecarga gerada para o cuidador, nesse processo. Foram identificados como atributos do cuidador o agir de forma sábia e tolerante, o escutar para captar os sentimentos do usuário, o falar para expor à equipe de atendimento o que absorveu de sua comunicação e o olhar atento para acompanhar o usuário, o tempo todo. No campo das práticas estabelecidas na relação entre equipe assistencial e cuidador, foram identificadas pedagogias prescritivas, de negociação, de adaptação, de invisibilidade, de adaptação e de problematização. Conclusão: a constituição do cuidador ocorre na vivência de sua tarefa, as experiências pelas quais passa, as inquietações despertadas, as vibrações percebidas, favorecida pelo trabalho da equipe assistencial. Este último é produtor de diversas experiências e tem a potência de possibilitar ao cuidador ver-se de forma crítica, perceber seus sentimentos e transformar-se, em um processo de subjetivação.
id UFMG_e03af5d0ef9449fc71adbeba7992aee5
oai_identifier_str oai:repositorio.ufmg.br:1843/38552
network_acronym_str UFMG
network_name_str Repositório Institucional da UFMG
repository_id_str
spelling Kênia Lara Silvahttp://lattes.cnpq.br/2616665500018369Maria José Menezes BritoIsabela Silva Cancio VellosoEdna Aparecida Barbosa de CastroClarissa Terenzi Seixashttp://lattes.cnpq.br/7420272450929029Yara Cardoso Silva2021-10-29T15:31:10Z2021-10-29T15:31:10Z2020-05-06http://hdl.handle.net/1843/38552Introdução: as transições demográfica e epidemiológica constituem um desafio, no campo da saúde. Para atender ao novo perfil populacional, são necessárias novas estratégias de cuidado, entre as quais destaca-se a Atenção Domiciliar (AD). Na AD, o cuidador ou a família do paciente tornam-se responsáveis por prover-lhe cuidado - trabalho que é compartilhado com os profissionais que formam as equipes multidisciplinares de atenção domiciliar. Majoritariamente, os cuidadores do Programa Melhor em Casa (PMC), do Ministério da Saúde, são oriundos do sistema informal e precisam desenvolver competências específicas, para realizar os cuidados adequados ao usuário da AD. Diante dessa realidade, a equipe de atendimento precisa ser um dos pilares, na formação do cuidador. Nesse contexto, as práticas utilizadas pela equipe podem atuar como recurso de incentivo e facilitação à sua subjetivação e configuram fontes de saber-poder que interfiram em sua constituição produtiva. Objetivo: este estudo objetiva analisar processos de subjetivação do cuidador inserido em programa de atenção domiciliar em saúde. Metodologia: trata-se de uma pesquisa qualitativa. O cenário foi o Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) de Belo Horizonte - em especial a equipe de cuidados prolongados do Hospital Odilon Behrens. Foram pesquisados cuidadores, familiares e profissionais. Os dados foram obtidos da observação do trabalho da equipe, do cotidiano dos cuidadores e usuários e de entrevistas com os participantes. O material foi analisado da perspectiva da Análise do Discurso, tendo como referência o autor Michel Foucault. Resultados: os resultados indicam o predomínio de cuidadores informais, do sexo feminino e com vínculo parental. Encontram-se na faixa etária entre 20 e 59 anos, realizam os cuidados de vida diária e assistenciais, de higiene e administrativos relativos ao paciente. A constituição do cuidador está associada às suas dimensões psicoafetiva, cognitiva e moral, à intensidade do cuidado que realiza e ao quadro clínico do paciente – sua instabilidade ou agravamento. Avaliou-se que o processo de trabalho do cuidador é desgastante e ocasiona a abdicação de seu “eu” e de sua qualidade de vida, e que a rede de apoio constituída em torno do paciente contribui para a redução da sobrecarga gerada para o cuidador, nesse processo. Foram identificados como atributos do cuidador o agir de forma sábia e tolerante, o escutar para captar os sentimentos do usuário, o falar para expor à equipe de atendimento o que absorveu de sua comunicação e o olhar atento para acompanhar o usuário, o tempo todo. No campo das práticas estabelecidas na relação entre equipe assistencial e cuidador, foram identificadas pedagogias prescritivas, de negociação, de adaptação, de invisibilidade, de adaptação e de problematização. Conclusão: a constituição do cuidador ocorre na vivência de sua tarefa, as experiências pelas quais passa, as inquietações despertadas, as vibrações percebidas, favorecida pelo trabalho da equipe assistencial. Este último é produtor de diversas experiências e tem a potência de possibilitar ao cuidador ver-se de forma crítica, perceber seus sentimentos e transformar-se, em um processo de subjetivação.The demographic and epidemiological transition is a challenge for the Health field. To meet the new population profile, care strategies are needed and, among them, Home Care (AD) stands out. In AD, the caregiver and / or family are the actors responsible for providing care to the user, shared with the work of home care team professionals. The caregivers of the Ministry of Health's Best at Home program are mostly from the informal system and need to develop skills to perform care for the user. Given this reality the team needs to be one of the pillars of caregiver construction. In this field, pedagogical practices can act as a device of incentive and facilitation to subjectivation or, as they can configure sources of know-how that interfere with a productive constitution of the caregiver. Thus, the study aims to analyze the subjectification processes of the caregiver inserted in a home health care program, focusing on the pedagogical practices produced by the AD teams. It is a qualitative research. The scenario was the Home Care Service (SAD) of Belo Horizonte, especially the long-term care team of Odilon Behrens Hospital and included caregivers / family members and professionals. Data were obtained from the observation of the team work, the daily life of caregivers and users and interviews with the participants. The material was analyzed from the perspective of discourse analysis, with reference to the author Michel Foucault. The results indicate the predominance of informal caregivers, female and with parental bond. The caregivers are in the age group of 20 to 59 years, perform daily care and care, hygiene and administrative. The constitution of the caregiver is associated with the psycho-affective, cognitive and moral dimensions. The intensity of care provided by the caregiver is related to the clinical condition, instability or aggravation of the user. It was evaluated that the caregiver's work process is exhausting and causes the abdication of self and quality of life. The support network contributes to the reduction of overload. The caregiver's attributes were identified as acting in a wise and tolerant manner, listening to capture the user's feelings, speaking to expose what he / she captured for the team, and guiding eyes to follow the user's time. In the field of pedagogical practices established in the relationship between team and caregiver, prescriptive Pedagogy, Negotiation Pedagogy, Adaptation Pedagogy, Invisibility Pedagogy, Adaptation Pedagogy and Problematization Pedagogy were identified. Conclusion: From the results it can be concluded that the constitution of the caregiver occurs through the passage of events, concerns and vibrations. The team's work produces experiences and has the power to enable the caregiver to see, think, feel and transform into a process of subjectivation.porUniversidade Federal de Minas GeraisPrograma de Pós-Graduação em EnfermagemUFMGBrasilENFERMAGEM - ESCOLA DE ENFERMAGEMhttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/pt/info:eu-repo/semantics/openAccessServiços de Assistência DomiciliarAssistência DomiciliarCuidadoresQualidade de VidaCuidadorServiços de Assistência DomiciliarAssistência DomiciliarProcesso de subjetivaçãoConstituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivaçãoinfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesisreponame:Repositório Institucional da UFMGinstname:Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)instacron:UFMGORIGINALTESE-final-revisada 16-07-2020 (3).pdfTESE-final-revisada 16-07-2020 (3).pdfapplication/pdf3414986https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/38552/1/TESE-final-revisada%2016-07-2020%20%283%29.pdf4ea2815d33bba6404b90ee9a60344dd7MD51CC-LICENSElicense_rdflicense_rdfapplication/rdf+xml; charset=utf-8811https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/38552/2/license_rdfcfd6801dba008cb6adbd9838b81582abMD52LICENSElicense.txtlicense.txttext/plain; charset=utf-82118https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/38552/3/license.txtcda590c95a0b51b4d15f60c9642ca272MD531843/385522021-10-29 12:31:10.612TElDRU7Dh0EgREUgRElTVFJJQlVJw4fDg08gTsODTy1FWENMVVNJVkEgRE8gUkVQT1NJVMOTUklPIElOU1RJVFVDSU9OQUwgREEgVUZNRwoKQ29tIGEgYXByZXNlbnRhw6fDo28gZGVzdGEgbGljZW7Dp2EsIHZvY8OqIChvIGF1dG9yIChlcykgb3UgbyB0aXR1bGFyIGRvcyBkaXJlaXRvcyBkZSBhdXRvcikgY29uY2VkZSBhbyBSZXBvc2l0w7NyaW8gSW5zdGl0dWNpb25hbCBkYSBVRk1HIChSSS1VRk1HKSBvIGRpcmVpdG8gbsOjbyBleGNsdXNpdm8gZSBpcnJldm9nw6F2ZWwgZGUgcmVwcm9kdXppciBlL291IGRpc3RyaWJ1aXIgYSBzdWEgcHVibGljYcOnw6NvIChpbmNsdWluZG8gbyByZXN1bW8pIHBvciB0b2RvIG8gbXVuZG8gbm8gZm9ybWF0byBpbXByZXNzbyBlIGVsZXRyw7RuaWNvIGUgZW0gcXVhbHF1ZXIgbWVpbywgaW5jbHVpbmRvIG9zIGZvcm1hdG9zIMOhdWRpbyBvdSB2w61kZW8uCgpWb2PDqiBkZWNsYXJhIHF1ZSBjb25oZWNlIGEgcG9sw610aWNhIGRlIGNvcHlyaWdodCBkYSBlZGl0b3JhIGRvIHNldSBkb2N1bWVudG8gZSBxdWUgY29uaGVjZSBlIGFjZWl0YSBhcyBEaXJldHJpemVzIGRvIFJJLVVGTUcuCgpWb2PDqiBjb25jb3JkYSBxdWUgbyBSZXBvc2l0w7NyaW8gSW5zdGl0dWNpb25hbCBkYSBVRk1HIHBvZGUsIHNlbSBhbHRlcmFyIG8gY29udGXDumRvLCB0cmFuc3BvciBhIHN1YSBwdWJsaWNhw6fDo28gcGFyYSBxdWFscXVlciBtZWlvIG91IGZvcm1hdG8gcGFyYSBmaW5zIGRlIHByZXNlcnZhw6fDo28uCgpWb2PDqiB0YW1iw6ltIGNvbmNvcmRhIHF1ZSBvIFJlcG9zaXTDs3JpbyBJbnN0aXR1Y2lvbmFsIGRhIFVGTUcgcG9kZSBtYW50ZXIgbWFpcyBkZSB1bWEgY8OzcGlhIGRlIHN1YSBwdWJsaWNhw6fDo28gcGFyYSBmaW5zIGRlIHNlZ3VyYW7Dp2EsIGJhY2stdXAgZSBwcmVzZXJ2YcOnw6NvLgoKVm9jw6ogZGVjbGFyYSBxdWUgYSBzdWEgcHVibGljYcOnw6NvIMOpIG9yaWdpbmFsIGUgcXVlIHZvY8OqIHRlbSBvIHBvZGVyIGRlIGNvbmNlZGVyIG9zIGRpcmVpdG9zIGNvbnRpZG9zIG5lc3RhIGxpY2Vuw6dhLiBWb2PDqiB0YW1iw6ltIGRlY2xhcmEgcXVlIG8gZGVww7NzaXRvIGRlIHN1YSBwdWJsaWNhw6fDo28gbsOjbywgcXVlIHNlamEgZGUgc2V1IGNvbmhlY2ltZW50bywgaW5mcmluZ2UgZGlyZWl0b3MgYXV0b3JhaXMgZGUgbmluZ3XDqW0uCgpDYXNvIGEgc3VhIHB1YmxpY2HDp8OjbyBjb250ZW5oYSBtYXRlcmlhbCBxdWUgdm9jw6ogbsOjbyBwb3NzdWkgYSB0aXR1bGFyaWRhZGUgZG9zIGRpcmVpdG9zIGF1dG9yYWlzLCB2b2PDqiBkZWNsYXJhIHF1ZSBvYnRldmUgYSBwZXJtaXNzw6NvIGlycmVzdHJpdGEgZG8gZGV0ZW50b3IgZG9zIGRpcmVpdG9zIGF1dG9yYWlzIHBhcmEgY29uY2VkZXIgYW8gUmVwb3NpdMOzcmlvIEluc3RpdHVjaW9uYWwgZGEgVUZNRyBvcyBkaXJlaXRvcyBhcHJlc2VudGFkb3MgbmVzdGEgbGljZW7Dp2EsIGUgcXVlIGVzc2UgbWF0ZXJpYWwgZGUgcHJvcHJpZWRhZGUgZGUgdGVyY2Vpcm9zIGVzdMOhIGNsYXJhbWVudGUgaWRlbnRpZmljYWRvIGUgcmVjb25oZWNpZG8gbm8gdGV4dG8gb3Ugbm8gY29udGXDumRvIGRhIHB1YmxpY2HDp8OjbyBvcmEgZGVwb3NpdGFkYS4KCkNBU08gQSBQVUJMSUNBw4fDg08gT1JBIERFUE9TSVRBREEgVEVOSEEgU0lETyBSRVNVTFRBRE8gREUgVU0gUEFUUk9Dw41OSU8gT1UgQVBPSU8gREUgVU1BIEFHw4pOQ0lBIERFIEZPTUVOVE8gT1UgT1VUUk8gT1JHQU5JU01PLCBWT0PDiiBERUNMQVJBIFFVRSBSRVNQRUlUT1UgVE9ET1MgRSBRVUFJU1FVRVIgRElSRUlUT1MgREUgUkVWSVPDg08gQ09NTyBUQU1Cw4lNIEFTIERFTUFJUyBPQlJJR0HDh8OVRVMgRVhJR0lEQVMgUE9SIENPTlRSQVRPIE9VIEFDT1JETy4KCk8gUmVwb3NpdMOzcmlvIEluc3RpdHVjaW9uYWwgZGEgVUZNRyBzZSBjb21wcm9tZXRlIGEgaWRlbnRpZmljYXIgY2xhcmFtZW50ZSBvIHNldSBub21lKHMpIG91IG8ocykgbm9tZXMocykgZG8ocykgZGV0ZW50b3IoZXMpIGRvcyBkaXJlaXRvcyBhdXRvcmFpcyBkYSBwdWJsaWNhw6fDo28sIGUgbsOjbyBmYXLDoSBxdWFscXVlciBhbHRlcmHDp8OjbywgYWzDqW0gZGFxdWVsYXMgY29uY2VkaWRhcyBwb3IgZXN0YSBsaWNlbsOnYS4KRepositório de PublicaçõesPUB
dc.title.pt_BR.fl_str_mv Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação
title Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação
spellingShingle Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação
Yara Cardoso Silva
Cuidador
Serviços de Assistência Domiciliar
Assistência Domiciliar
Processo de subjetivação
Serviços de Assistência Domiciliar
Assistência Domiciliar
Cuidadores
Qualidade de Vida
title_short Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação
title_full Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação
title_fullStr Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação
title_full_unstemmed Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação
title_sort Constituição do sujeito cuidador na Atenção Domiciliar: práticas de cuidado e processos de subjetivação
author Yara Cardoso Silva
author_facet Yara Cardoso Silva
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Kênia Lara Silva
dc.contributor.advisor1Lattes.fl_str_mv http://lattes.cnpq.br/2616665500018369
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Maria José Menezes Brito
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Isabela Silva Cancio Velloso
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Edna Aparecida Barbosa de Castro
dc.contributor.referee4.fl_str_mv Clarissa Terenzi Seixas
dc.contributor.authorLattes.fl_str_mv http://lattes.cnpq.br/7420272450929029
dc.contributor.author.fl_str_mv Yara Cardoso Silva
contributor_str_mv Kênia Lara Silva
Maria José Menezes Brito
Isabela Silva Cancio Velloso
Edna Aparecida Barbosa de Castro
Clarissa Terenzi Seixas
dc.subject.por.fl_str_mv Cuidador
Serviços de Assistência Domiciliar
Assistência Domiciliar
Processo de subjetivação
topic Cuidador
Serviços de Assistência Domiciliar
Assistência Domiciliar
Processo de subjetivação
Serviços de Assistência Domiciliar
Assistência Domiciliar
Cuidadores
Qualidade de Vida
dc.subject.other.pt_BR.fl_str_mv Serviços de Assistência Domiciliar
Assistência Domiciliar
Cuidadores
Qualidade de Vida
description Introdução: as transições demográfica e epidemiológica constituem um desafio, no campo da saúde. Para atender ao novo perfil populacional, são necessárias novas estratégias de cuidado, entre as quais destaca-se a Atenção Domiciliar (AD). Na AD, o cuidador ou a família do paciente tornam-se responsáveis por prover-lhe cuidado - trabalho que é compartilhado com os profissionais que formam as equipes multidisciplinares de atenção domiciliar. Majoritariamente, os cuidadores do Programa Melhor em Casa (PMC), do Ministério da Saúde, são oriundos do sistema informal e precisam desenvolver competências específicas, para realizar os cuidados adequados ao usuário da AD. Diante dessa realidade, a equipe de atendimento precisa ser um dos pilares, na formação do cuidador. Nesse contexto, as práticas utilizadas pela equipe podem atuar como recurso de incentivo e facilitação à sua subjetivação e configuram fontes de saber-poder que interfiram em sua constituição produtiva. Objetivo: este estudo objetiva analisar processos de subjetivação do cuidador inserido em programa de atenção domiciliar em saúde. Metodologia: trata-se de uma pesquisa qualitativa. O cenário foi o Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) de Belo Horizonte - em especial a equipe de cuidados prolongados do Hospital Odilon Behrens. Foram pesquisados cuidadores, familiares e profissionais. Os dados foram obtidos da observação do trabalho da equipe, do cotidiano dos cuidadores e usuários e de entrevistas com os participantes. O material foi analisado da perspectiva da Análise do Discurso, tendo como referência o autor Michel Foucault. Resultados: os resultados indicam o predomínio de cuidadores informais, do sexo feminino e com vínculo parental. Encontram-se na faixa etária entre 20 e 59 anos, realizam os cuidados de vida diária e assistenciais, de higiene e administrativos relativos ao paciente. A constituição do cuidador está associada às suas dimensões psicoafetiva, cognitiva e moral, à intensidade do cuidado que realiza e ao quadro clínico do paciente – sua instabilidade ou agravamento. Avaliou-se que o processo de trabalho do cuidador é desgastante e ocasiona a abdicação de seu “eu” e de sua qualidade de vida, e que a rede de apoio constituída em torno do paciente contribui para a redução da sobrecarga gerada para o cuidador, nesse processo. Foram identificados como atributos do cuidador o agir de forma sábia e tolerante, o escutar para captar os sentimentos do usuário, o falar para expor à equipe de atendimento o que absorveu de sua comunicação e o olhar atento para acompanhar o usuário, o tempo todo. No campo das práticas estabelecidas na relação entre equipe assistencial e cuidador, foram identificadas pedagogias prescritivas, de negociação, de adaptação, de invisibilidade, de adaptação e de problematização. Conclusão: a constituição do cuidador ocorre na vivência de sua tarefa, as experiências pelas quais passa, as inquietações despertadas, as vibrações percebidas, favorecida pelo trabalho da equipe assistencial. Este último é produtor de diversas experiências e tem a potência de possibilitar ao cuidador ver-se de forma crítica, perceber seus sentimentos e transformar-se, em um processo de subjetivação.
publishDate 2020
dc.date.issued.fl_str_mv 2020-05-06
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2021-10-29T15:31:10Z
dc.date.available.fl_str_mv 2021-10-29T15:31:10Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://hdl.handle.net/1843/38552
url http://hdl.handle.net/1843/38552
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/pt/
info:eu-repo/semantics/openAccess
rights_invalid_str_mv http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/pt/
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de Minas Gerais
dc.publisher.program.fl_str_mv Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
dc.publisher.initials.fl_str_mv UFMG
dc.publisher.country.fl_str_mv Brasil
dc.publisher.department.fl_str_mv ENFERMAGEM - ESCOLA DE ENFERMAGEM
publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de Minas Gerais
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UFMG
instname:Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
instacron:UFMG
instname_str Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
instacron_str UFMG
institution UFMG
reponame_str Repositório Institucional da UFMG
collection Repositório Institucional da UFMG
bitstream.url.fl_str_mv https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/38552/1/TESE-final-revisada%2016-07-2020%20%283%29.pdf
https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/38552/2/license_rdf
https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/38552/3/license.txt
bitstream.checksum.fl_str_mv 4ea2815d33bba6404b90ee9a60344dd7
cfd6801dba008cb6adbd9838b81582ab
cda590c95a0b51b4d15f60c9642ca272
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1737532170007740416