Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental

Bibliographic Details
Main Author: MORAES, Dione Alves de
Publication Date: 2015
Format: Master thesis
Language: por
Source: Repositório Institucional da UFPA
Download full: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8168
Summary: Esta dissertação apresenta a pesquisa que desenvolvemos com alunos do 2º ano do Ensino Fundamental da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (UFPA), no período de abril de 2013 a fevereiro de 2014, e trata da leitura de crianças que já estão inseridas na escrita alfabética. Com esta pesquisa, buscamos discutir como a imagem e as narrativas lúdicas podem provocar a leitura em um nível inferencial, promovendo avanços nas habilidades de alunos que já são considerados “leitores” por estarem alfabetizados, mas apresentam comportamentos e desempenhos variados quando lidam com textos escritos. Para isso, fundamentamo-nos teoricamente em estudiosos como Lacan (1987), Lacan (1998), Belintane (2013), Riolfi e Magalhães (2008), Fairchild (2012), Pastorello (2010), entre outros. Desenvolvemos uma pesquisa qualitativo-interpretativa, que se configura como uma pesquisa-ação. Nossa intervenção em sala de aula consistiu em produção de atividades com textos lúdicos, trabalho em conjunto com a professora da sala base e atendimentos individualizados com as crianças (especialmente com três alunos cujos dados analisamos de forma mais detalhada). Para trabalharmos a heterogeneidade inerente em sala de aula de forma sistemática, fizemos - juntamente com os integrantes do projeto “Desafios” - reagrupamentos semanais com os alunos que estavam inseridos no projeto e apresentavam perfis semelhantes. Assim, pudemos produzir atividades mais voltadas para as habilidades mostradas daqueles alunos considerados leitores que foram inseridos no denominado Grupo 4 (que objetivava trabalhar a leitura silenciosa e compreensão de textos extensos) – posteriormente reconfigurado como Grupo 5 (que visava trabalhar a leitura inferencial). Os resultados demonstraram que a partir de um trabalho mais sistemático utilizando textos com imagem e narrativas, conseguimos auxiliar numa mudança de suas posições subjetivas frente aos textos escritos, ou seja, fazer com que apresentassem avanços em sua leitura e na compreensão inferencial. Com essa pesquisa, chegamos a quatro apontamentos principais. O primeiro diz respeito às discussões coletivas em que a fala do professor precisa ser clara quando o interesse for o texto trabalhado. O segundo, que é preciso trabalhar de formas específicas textos diferentes (curtos e densos ou extensos e mais explícitos), pois exigem habilidades diversas. O terceiro refere-se à necessidade de identificar e trabalhar a oralidade cotidiana do aluno para que seja mais claro em suas explicações. E o quarto aborda sobre o que significa dizer que um aluno alfabetizado “sabe ler”, pois entendemos que signifique decodificar, mas também compreender, produzir inferências e produzir considerações novas.
id UFPA_3647008b38d0c9041a57e4970c5d514f
oai_identifier_str oai:repositorio.ufpa.br:2011/8168
network_acronym_str UFPA
network_name_str Repositório Institucional da UFPA
spelling 2017-04-17T13:15:45Z2017-04-17T13:15:45Z2015-05-05MORAES, Dione Alves de. Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental. 2015. 153 f Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Letras e Comunicação, Belém, 2015. Programa de Pós-Graduação em Letras.http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8168Esta dissertação apresenta a pesquisa que desenvolvemos com alunos do 2º ano do Ensino Fundamental da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (UFPA), no período de abril de 2013 a fevereiro de 2014, e trata da leitura de crianças que já estão inseridas na escrita alfabética. Com esta pesquisa, buscamos discutir como a imagem e as narrativas lúdicas podem provocar a leitura em um nível inferencial, promovendo avanços nas habilidades de alunos que já são considerados “leitores” por estarem alfabetizados, mas apresentam comportamentos e desempenhos variados quando lidam com textos escritos. Para isso, fundamentamo-nos teoricamente em estudiosos como Lacan (1987), Lacan (1998), Belintane (2013), Riolfi e Magalhães (2008), Fairchild (2012), Pastorello (2010), entre outros. Desenvolvemos uma pesquisa qualitativo-interpretativa, que se configura como uma pesquisa-ação. Nossa intervenção em sala de aula consistiu em produção de atividades com textos lúdicos, trabalho em conjunto com a professora da sala base e atendimentos individualizados com as crianças (especialmente com três alunos cujos dados analisamos de forma mais detalhada). Para trabalharmos a heterogeneidade inerente em sala de aula de forma sistemática, fizemos - juntamente com os integrantes do projeto “Desafios” - reagrupamentos semanais com os alunos que estavam inseridos no projeto e apresentavam perfis semelhantes. Assim, pudemos produzir atividades mais voltadas para as habilidades mostradas daqueles alunos considerados leitores que foram inseridos no denominado Grupo 4 (que objetivava trabalhar a leitura silenciosa e compreensão de textos extensos) – posteriormente reconfigurado como Grupo 5 (que visava trabalhar a leitura inferencial). Os resultados demonstraram que a partir de um trabalho mais sistemático utilizando textos com imagem e narrativas, conseguimos auxiliar numa mudança de suas posições subjetivas frente aos textos escritos, ou seja, fazer com que apresentassem avanços em sua leitura e na compreensão inferencial. Com essa pesquisa, chegamos a quatro apontamentos principais. O primeiro diz respeito às discussões coletivas em que a fala do professor precisa ser clara quando o interesse for o texto trabalhado. O segundo, que é preciso trabalhar de formas específicas textos diferentes (curtos e densos ou extensos e mais explícitos), pois exigem habilidades diversas. O terceiro refere-se à necessidade de identificar e trabalhar a oralidade cotidiana do aluno para que seja mais claro em suas explicações. E o quarto aborda sobre o que significa dizer que um aluno alfabetizado “sabe ler”, pois entendemos que signifique decodificar, mas também compreender, produzir inferências e produzir considerações novas.This dissertation presents the research we have developed with students of the second year of “Ensino Fundamental” at the Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (UFPA), from April 2013 to February 2014, and discusses the reading of children who are already inserted in alphabetic writing. With this research, we discuss how images and playful narratives can provoke reading in an inferential level, promoting improvements in the skills of students who are already considered "readers" for being literate, but have different behaviors and performances when dealing with written texts . To this end, we base ourselves on scholars such as Lacan (1987), Lacan (1998), Belintane (2013), Riolfi e Magalhães (2008), Fairchild (2012), Pastorello (2010), among others. We developed a qualitative-interpretative research, which is configured as an action research. Our intervention in classroom activities consisted of designing activities based on playful texts, working together with the teacher and individual visits with children (especially three students whose data we analyzed in more detail). To deal with the inherent heterogeneity of the classroom in a systematic way, we - along with other members of the project – regrouped students who were being attendend by the project and had similar profiles on a weekly basis. Thus, we produced more activities tuned to the skills shown by those students considered readers and who were inserted into group 4-(work aimed at silent reading and understanding long texts) - later, group 5( work aimed at inferential reading) . The results showed that from a more systematic work using texts with images and narratives, we can assist in a change of their subjective positions opposite to written texts, or cause to present advances in their reading and inferential comprehension. With this research, we came to four main conclusions. The first concerns the collective discussions in that speech teacher needs to be clear when the interest is the text worked. Second, it takes work to specific texts different forms (short and thick or long and more explicit), as they require different skills. The third refers to the need to identify and work everyday orality the student to be more clear in his explanations. And the fourth discusses what it means to say that a literate student "can read", as we understand it means to decode, but also understand, make inferences and produce new considerations.CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível SuperiorporUniversidade Federal do ParáPrograma de Pós-Graduação em LetrasUFPABrasilInstituto de Letras e ComunicaçãoCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICALingüísticaLeitura -- Estudo e ensinoLeitura inferencialLetramentoEnsino fundamentalNarrativas lúdicasLeitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamentalinfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesisFAIRCHILD, Thomas Massaohttp://lattes.cnpq.br/1771292039081039http://lattes.cnpq.br/0407156147184123MORAES, Dione Alves deinfo:eu-repo/semantics/openAccessreponame:Repositório Institucional da UFPAinstname:Universidade Federal do Pará (UFPA)instacron:UFPAORIGINALDissertacao_LeituraInferencialTrabalhando.pdfDissertacao_LeituraInferencialTrabalhando.pdfapplication/pdf2716606http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/1/Dissertacao_LeituraInferencialTrabalhando.pdf0a253d38e5f48bbee3380fb73a0344ecMD51CC-LICENSElicense_urllicense_urltext/plain; charset=utf-849http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/2/license_url4afdbb8c545fd630ea7db775da747b2fMD52license_textlicense_texttext/html; charset=utf-80http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/3/license_textd41d8cd98f00b204e9800998ecf8427eMD53license_rdflicense_rdfapplication/rdf+xml; charset=utf-80http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/4/license_rdfd41d8cd98f00b204e9800998ecf8427eMD54LICENSElicense.txtlicense.txttext/plain; charset=utf-81866http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/5/license.txt43cd690d6a359e86c1fe3d5b7cba0c9bMD55TEXTDissertacao_LeituraInferencialTrabalhando.pdf.txtDissertacao_LeituraInferencialTrabalhando.pdf.txtExtracted texttext/plain375417http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/6/Dissertacao_LeituraInferencialTrabalhando.pdf.txt06c5aa15b4be80342891d948ea6f63bbMD562011/81682017-10-16 10:14:49.567TElDRU7Dh0EgREUgRElTVFJJQlVJw4fDg08gTsODTy1FWENMVVNJVkEKCkNvbSBhIGFwcmVzZW50YcOnw6NvIGRlc3RhIGxpY2Vuw6dhLCB2b2PDqiAobyBhdXRvciAoZXMpIG91IG8gdGl0dWxhciBkb3MgZGlyZWl0b3MgZGUgYXV0b3IpIGNvbmNlZGUgYW8gUmVwb3NpdMOzcmlvIApJbnN0aXR1Y2lvbmFsIG8gZGlyZWl0byBuw6NvLWV4Y2x1c2l2byBkZSByZXByb2R1emlyLCAgdHJhZHV6aXIgKGNvbmZvcm1lIGRlZmluaWRvIGFiYWl4byksIGUvb3UgZGlzdHJpYnVpciBhIApzdWEgcHVibGljYcOnw6NvIChpbmNsdWluZG8gbyByZXN1bW8pIHBvciB0b2RvIG8gbXVuZG8gbm8gZm9ybWF0byBpbXByZXNzbyBlIGVsZXRyw7RuaWNvIGUgZW0gcXVhbHF1ZXIgbWVpbywgaW5jbHVpbmRvIG9zIApmb3JtYXRvcyDDoXVkaW8gb3UgdsOtZGVvLgoKVm9jw6ogY29uY29yZGEgcXVlIG8gRGVwb3NpdGEgcG9kZSwgc2VtIGFsdGVyYXIgbyBjb250ZcO6ZG8sIHRyYW5zcG9yIGEgc3VhIHB1YmxpY2HDp8OjbyBwYXJhIHF1YWxxdWVyIG1laW8gb3UgZm9ybWF0byAKcGFyYSBmaW5zIGRlIHByZXNlcnZhw6fDo28uCgpWb2PDqiB0YW1iw6ltIGNvbmNvcmRhIHF1ZSBvIERlcG9zaXRhIHBvZGUgbWFudGVyIG1haXMgZGUgdW1hIGPDs3BpYSBkZSBzdWEgcHVibGljYcOnw6NvIHBhcmEgZmlucyBkZSBzZWd1cmFuw6dhLCBiYWNrLXVwIAplIHByZXNlcnZhw6fDo28uCgpWb2PDqiBkZWNsYXJhIHF1ZSBhIHN1YSBwdWJsaWNhw6fDo28gw6kgb3JpZ2luYWwgZSBxdWUgdm9jw6ogdGVtIG8gcG9kZXIgZGUgY29uY2VkZXIgb3MgZGlyZWl0b3MgY29udGlkb3MgbmVzdGEgbGljZW7Dp2EuIApWb2PDqiB0YW1iw6ltIGRlY2xhcmEgcXVlIG8gZGVww7NzaXRvIGRhIHN1YSBwdWJsaWNhw6fDo28gbsOjbywgcXVlIHNlamEgZGUgc2V1IGNvbmhlY2ltZW50bywgaW5mcmluZ2UgZGlyZWl0b3MgYXV0b3JhaXMgCmRlIG5pbmd1w6ltLgoKQ2FzbyBhIHN1YSBwdWJsaWNhw6fDo28gY29udGVuaGEgbWF0ZXJpYWwgcXVlIHZvY8OqIG7Do28gcG9zc3VpIGEgdGl0dWxhcmlkYWRlIGRvcyBkaXJlaXRvcyBhdXRvcmFpcywgdm9jw6ogZGVjbGFyYSBxdWUgCm9idGV2ZSBhIHBlcm1pc3PDo28gaXJyZXN0cml0YSBkbyBkZXRlbnRvciBkb3MgZGlyZWl0b3MgYXV0b3JhaXMgcGFyYSBjb25jZWRlciBhbyBEZXBvc2l0YSBvcyBkaXJlaXRvcyBhcHJlc2VudGFkb3MgCm5lc3RhIGxpY2Vuw6dhLCBlIHF1ZSBlc3NlIG1hdGVyaWFsIGRlIHByb3ByaWVkYWRlIGRlIHRlcmNlaXJvcyBlc3TDoSBjbGFyYW1lbnRlIGlkZW50aWZpY2FkbyBlIHJlY29uaGVjaWRvIG5vIHRleHRvIApvdSBubyBjb250ZcO6ZG8gZGEgcHVibGljYcOnw6NvIG9yYSBkZXBvc2l0YWRhLgoKQ0FTTyBBIFBVQkxJQ0HDh8ODTyBPUkEgREVQT1NJVEFEQSBURU5IQSBTSURPIFJFU1VMVEFETyBERSBVTSBQQVRST0PDjU5JTyBPVSBBUE9JTyBERSBVTUEgQUfDik5DSUEgREUgRk9NRU5UTyBPVSBPVVRSTyAKT1JHQU5JU01PLCBWT0PDiiBERUNMQVJBIFFVRSBSRVNQRUlUT1UgVE9ET1MgRSBRVUFJU1FVRVIgRElSRUlUT1MgREUgUkVWSVPDg08gQ09NTyBUQU1Cw4lNIEFTIERFTUFJUyBPQlJJR0HDh8OVRVMgCkVYSUdJREFTIFBPUiBDT05UUkFUTyBPVSBBQ09SRE8uCgpPIERlcG9zaXRhIHNlIGNvbXByb21ldGUgYSBpZGVudGlmaWNhciBjbGFyYW1lbnRlIG8gc2V1IG5vbWUgKHMpIG91IG8ocykgbm9tZShzKSBkbyhzKSBkZXRlbnRvcihlcykgZG9zIGRpcmVpdG9zIAphdXRvcmFpcyBkYSBwdWJsaWNhw6fDo28sIGUgbsOjbyBmYXLDoSBxdWFscXVlciBhbHRlcmHDp8OjbywgYWzDqW0gZGFxdWVsYXMgY29uY2VkaWRhcyBwb3IgZXN0YSBsaWNlbsOnYS4KRepositório de Publicaçõeshttp://repositorio.ufpa.br/jspui/PUB
dc.title.pt_BR.fl_str_mv Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental
title Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental
spellingShingle Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental
MORAES, Dione Alves de
CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Lingüística
Leitura -- Estudo e ensino
Leitura inferencial
Letramento
Ensino fundamental
Narrativas lúdicas
title_short Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental
title_full Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental
title_fullStr Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental
title_full_unstemmed Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental
title_sort Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental
author MORAES, Dione Alves de
author_facet MORAES, Dione Alves de
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv FAIRCHILD, Thomas Massao
dc.contributor.advisor1Lattes.fl_str_mv http://lattes.cnpq.br/1771292039081039
dc.contributor.authorLattes.fl_str_mv http://lattes.cnpq.br/0407156147184123
dc.contributor.author.fl_str_mv MORAES, Dione Alves de
contributor_str_mv FAIRCHILD, Thomas Massao
dc.subject.cnpq.fl_str_mv CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
topic CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Lingüística
Leitura -- Estudo e ensino
Leitura inferencial
Letramento
Ensino fundamental
Narrativas lúdicas
dc.subject.por.fl_str_mv Lingüística
Leitura -- Estudo e ensino
Leitura inferencial
Letramento
Ensino fundamental
Narrativas lúdicas
dc.description.sponsorship.fl_txt_mv CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.description.abstract.por.fl_txt_mv Esta dissertação apresenta a pesquisa que desenvolvemos com alunos do 2º ano do Ensino Fundamental da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (UFPA), no período de abril de 2013 a fevereiro de 2014, e trata da leitura de crianças que já estão inseridas na escrita alfabética. Com esta pesquisa, buscamos discutir como a imagem e as narrativas lúdicas podem provocar a leitura em um nível inferencial, promovendo avanços nas habilidades de alunos que já são considerados “leitores” por estarem alfabetizados, mas apresentam comportamentos e desempenhos variados quando lidam com textos escritos. Para isso, fundamentamo-nos teoricamente em estudiosos como Lacan (1987), Lacan (1998), Belintane (2013), Riolfi e Magalhães (2008), Fairchild (2012), Pastorello (2010), entre outros. Desenvolvemos uma pesquisa qualitativo-interpretativa, que se configura como uma pesquisa-ação. Nossa intervenção em sala de aula consistiu em produção de atividades com textos lúdicos, trabalho em conjunto com a professora da sala base e atendimentos individualizados com as crianças (especialmente com três alunos cujos dados analisamos de forma mais detalhada). Para trabalharmos a heterogeneidade inerente em sala de aula de forma sistemática, fizemos - juntamente com os integrantes do projeto “Desafios” - reagrupamentos semanais com os alunos que estavam inseridos no projeto e apresentavam perfis semelhantes. Assim, pudemos produzir atividades mais voltadas para as habilidades mostradas daqueles alunos considerados leitores que foram inseridos no denominado Grupo 4 (que objetivava trabalhar a leitura silenciosa e compreensão de textos extensos) – posteriormente reconfigurado como Grupo 5 (que visava trabalhar a leitura inferencial). Os resultados demonstraram que a partir de um trabalho mais sistemático utilizando textos com imagem e narrativas, conseguimos auxiliar numa mudança de suas posições subjetivas frente aos textos escritos, ou seja, fazer com que apresentassem avanços em sua leitura e na compreensão inferencial. Com essa pesquisa, chegamos a quatro apontamentos principais. O primeiro diz respeito às discussões coletivas em que a fala do professor precisa ser clara quando o interesse for o texto trabalhado. O segundo, que é preciso trabalhar de formas específicas textos diferentes (curtos e densos ou extensos e mais explícitos), pois exigem habilidades diversas. O terceiro refere-se à necessidade de identificar e trabalhar a oralidade cotidiana do aluno para que seja mais claro em suas explicações. E o quarto aborda sobre o que significa dizer que um aluno alfabetizado “sabe ler”, pois entendemos que signifique decodificar, mas também compreender, produzir inferências e produzir considerações novas.
This dissertation presents the research we have developed with students of the second year of “Ensino Fundamental” at the Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (UFPA), from April 2013 to February 2014, and discusses the reading of children who are already inserted in alphabetic writing. With this research, we discuss how images and playful narratives can provoke reading in an inferential level, promoting improvements in the skills of students who are already considered "readers" for being literate, but have different behaviors and performances when dealing with written texts . To this end, we base ourselves on scholars such as Lacan (1987), Lacan (1998), Belintane (2013), Riolfi e Magalhães (2008), Fairchild (2012), Pastorello (2010), among others. We developed a qualitative-interpretative research, which is configured as an action research. Our intervention in classroom activities consisted of designing activities based on playful texts, working together with the teacher and individual visits with children (especially three students whose data we analyzed in more detail). To deal with the inherent heterogeneity of the classroom in a systematic way, we - along with other members of the project – regrouped students who were being attendend by the project and had similar profiles on a weekly basis. Thus, we produced more activities tuned to the skills shown by those students considered readers and who were inserted into group 4-(work aimed at silent reading and understanding long texts) - later, group 5( work aimed at inferential reading) . The results showed that from a more systematic work using texts with images and narratives, we can assist in a change of their subjective positions opposite to written texts, or cause to present advances in their reading and inferential comprehension. With this research, we came to four main conclusions. The first concerns the collective discussions in that speech teacher needs to be clear when the interest is the text worked. Second, it takes work to specific texts different forms (short and thick or long and more explicit), as they require different skills. The third refers to the need to identify and work everyday orality the student to be more clear in his explanations. And the fourth discusses what it means to say that a literate student "can read", as we understand it means to decode, but also understand, make inferences and produce new considerations.
description Esta dissertação apresenta a pesquisa que desenvolvemos com alunos do 2º ano do Ensino Fundamental da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (UFPA), no período de abril de 2013 a fevereiro de 2014, e trata da leitura de crianças que já estão inseridas na escrita alfabética. Com esta pesquisa, buscamos discutir como a imagem e as narrativas lúdicas podem provocar a leitura em um nível inferencial, promovendo avanços nas habilidades de alunos que já são considerados “leitores” por estarem alfabetizados, mas apresentam comportamentos e desempenhos variados quando lidam com textos escritos. Para isso, fundamentamo-nos teoricamente em estudiosos como Lacan (1987), Lacan (1998), Belintane (2013), Riolfi e Magalhães (2008), Fairchild (2012), Pastorello (2010), entre outros. Desenvolvemos uma pesquisa qualitativo-interpretativa, que se configura como uma pesquisa-ação. Nossa intervenção em sala de aula consistiu em produção de atividades com textos lúdicos, trabalho em conjunto com a professora da sala base e atendimentos individualizados com as crianças (especialmente com três alunos cujos dados analisamos de forma mais detalhada). Para trabalharmos a heterogeneidade inerente em sala de aula de forma sistemática, fizemos - juntamente com os integrantes do projeto “Desafios” - reagrupamentos semanais com os alunos que estavam inseridos no projeto e apresentavam perfis semelhantes. Assim, pudemos produzir atividades mais voltadas para as habilidades mostradas daqueles alunos considerados leitores que foram inseridos no denominado Grupo 4 (que objetivava trabalhar a leitura silenciosa e compreensão de textos extensos) – posteriormente reconfigurado como Grupo 5 (que visava trabalhar a leitura inferencial). Os resultados demonstraram que a partir de um trabalho mais sistemático utilizando textos com imagem e narrativas, conseguimos auxiliar numa mudança de suas posições subjetivas frente aos textos escritos, ou seja, fazer com que apresentassem avanços em sua leitura e na compreensão inferencial. Com essa pesquisa, chegamos a quatro apontamentos principais. O primeiro diz respeito às discussões coletivas em que a fala do professor precisa ser clara quando o interesse for o texto trabalhado. O segundo, que é preciso trabalhar de formas específicas textos diferentes (curtos e densos ou extensos e mais explícitos), pois exigem habilidades diversas. O terceiro refere-se à necessidade de identificar e trabalhar a oralidade cotidiana do aluno para que seja mais claro em suas explicações. E o quarto aborda sobre o que significa dizer que um aluno alfabetizado “sabe ler”, pois entendemos que signifique decodificar, mas também compreender, produzir inferências e produzir considerações novas.
publishDate 2015
dc.date.issued.fl_str_mv 2015-05-05
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2017-04-17T13:15:45Z
dc.date.available.fl_str_mv 2017-04-17T13:15:45Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
status_str publishedVersion
format masterThesis
dc.identifier.citation.fl_str_mv MORAES, Dione Alves de. Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental. 2015. 153 f Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Letras e Comunicação, Belém, 2015. Programa de Pós-Graduação em Letras.
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8168
identifier_str_mv MORAES, Dione Alves de. Leitura inferencial: trabalhando com textos narrativos e mediados pela imagem no 2º ano do Ensino Fundamental. 2015. 153 f Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Letras e Comunicação, Belém, 2015. Programa de Pós-Graduação em Letras.
url http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8168
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal do Pará
dc.publisher.program.fl_str_mv Programa de Pós-Graduação em Letras
dc.publisher.initials.fl_str_mv UFPA
dc.publisher.country.fl_str_mv Brasil
dc.publisher.department.fl_str_mv Instituto de Letras e Comunicação
publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal do Pará
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UFPA
instname:Universidade Federal do Pará (UFPA)
instacron:UFPA
instname_str Universidade Federal do Pará (UFPA)
instacron_str UFPA
institution UFPA
reponame_str Repositório Institucional da UFPA
collection Repositório Institucional da UFPA
bitstream.url.fl_str_mv http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/1/Dissertacao_LeituraInferencialTrabalhando.pdf
http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/2/license_url
http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/3/license_text
http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/4/license_rdf
http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/5/license.txt
http://repositorio.ufpa.br/oai/bitstream/2011/8168/6/Dissertacao_LeituraInferencialTrabalhando.pdf.txt
bitstream.checksum.fl_str_mv 0a253d38e5f48bbee3380fb73a0344ec
4afdbb8c545fd630ea7db775da747b2f
d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e
d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e
43cd690d6a359e86c1fe3d5b7cba0c9b
06c5aa15b4be80342891d948ea6f63bb
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
MD5
MD5
MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1724386108608872448