GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA

Bibliographic Details
Main Author: REZENDE, CLAUDINEI CÁSSIO DE
Access Level: Open Access
Publication Date: 2008
Format: Article
Language: por
Defense institution: Faculdade de Filosofia e Ciências
Source: Revista Aurora (Online)
Portuguese Subjects:
Download full: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/1180
Summary: Em uma de suas categorias centrais, Gramsci estabelece uma identidade direta entre as politicidades maquiaveliana e marxiana, de sorte que cada um escreve para a classe da vanguarda política de sua época. No entanto, uma crítica mais rigorosa aos escritos marxianos nos revela que o proletariado não é somente a classe progressista de sua época, da maneira que a burguesia fora no iluminismo, como quer Gramsci, mas é, em verdade, a esfera universal e a única capaz de levar a cabo uma emancipação humana total. Doravante, a identidade entre Marx e Maquiavel inexiste na medida em que o primeiro, de magnitude filosófica distinta, concebe o trabalho ontologicamente como atributo central da humanização, apreendendo a política como uma figura transitória superável, enquanto o segundo concebe a política como o ato fundador de toda sociabilidade.
id UNESP-32_940ca77913ffd1e8de8244b1ab7ff060
oai_identifier_str oai:ojs.www2.marilia.unesp.br:article/1180
network_acronym_str UNESP-32
network_name_str Revista Aurora (Online)
repository_id_str
spelling GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICAGramsciMaquiavelMarxontonegatividade da política.Em uma de suas categorias centrais, Gramsci estabelece uma identidade direta entre as politicidades maquiaveliana e marxiana, de sorte que cada um escreve para a classe da vanguarda política de sua época. No entanto, uma crítica mais rigorosa aos escritos marxianos nos revela que o proletariado não é somente a classe progressista de sua época, da maneira que a burguesia fora no iluminismo, como quer Gramsci, mas é, em verdade, a esfera universal e a única capaz de levar a cabo uma emancipação humana total. Doravante, a identidade entre Marx e Maquiavel inexiste na medida em que o primeiro, de magnitude filosófica distinta, concebe o trabalho ontologicamente como atributo central da humanização, apreendendo a política como uma figura transitória superável, enquanto o segundo concebe a política como o ato fundador de toda sociabilidade.Faculdade de Filosofia e Ciências2008-06-10info:eu-repo/semantics/articleinfo:eu-repo/semantics/publishedVersionapplication/pdfhttps://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/118010.36311/1982-8004.2008.v1n2.1180Revista Aurora; v. 1 n. 2 (2008)1982-80042177-0484reponame:Revista Aurora (Online)instname:Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)instacron:UNESPporhttps://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/1180/1054Copyright (c) 2011 Revista Aurorahttps://creativecommons.org/licenses/by/4.0/info:eu-repo/semantics/openAccessREZENDE, CLAUDINEI CÁSSIO DE2020-07-29T09:13:35ZRevistahttps://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/indexPUB
dc.title.none.fl_str_mv GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA
title GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA
spellingShingle GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA
REZENDE, CLAUDINEI CÁSSIO DE
Gramsci
Maquiavel
Marx
ontonegatividade da política.
title_short GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA
title_full GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA
title_fullStr GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA
title_full_unstemmed GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA
title_sort GRAMSCI ENTRE MAQUIAVEL E MARX DA NEGATIVIDADE DO HOMEM À ONTONEGATIVIDADE DA POLÍTICA
author REZENDE, CLAUDINEI CÁSSIO DE
author_facet REZENDE, CLAUDINEI CÁSSIO DE
author_role author
dc.contributor.author.fl_str_mv REZENDE, CLAUDINEI CÁSSIO DE
dc.subject.por.fl_str_mv Gramsci
Maquiavel
Marx
ontonegatividade da política.
topic Gramsci
Maquiavel
Marx
ontonegatividade da política.
dc.description.none.fl_txt_mv Em uma de suas categorias centrais, Gramsci estabelece uma identidade direta entre as politicidades maquiaveliana e marxiana, de sorte que cada um escreve para a classe da vanguarda política de sua época. No entanto, uma crítica mais rigorosa aos escritos marxianos nos revela que o proletariado não é somente a classe progressista de sua época, da maneira que a burguesia fora no iluminismo, como quer Gramsci, mas é, em verdade, a esfera universal e a única capaz de levar a cabo uma emancipação humana total. Doravante, a identidade entre Marx e Maquiavel inexiste na medida em que o primeiro, de magnitude filosófica distinta, concebe o trabalho ontologicamente como atributo central da humanização, apreendendo a política como uma figura transitória superável, enquanto o segundo concebe a política como o ato fundador de toda sociabilidade.
description Em uma de suas categorias centrais, Gramsci estabelece uma identidade direta entre as politicidades maquiaveliana e marxiana, de sorte que cada um escreve para a classe da vanguarda política de sua época. No entanto, uma crítica mais rigorosa aos escritos marxianos nos revela que o proletariado não é somente a classe progressista de sua época, da maneira que a burguesia fora no iluminismo, como quer Gramsci, mas é, em verdade, a esfera universal e a única capaz de levar a cabo uma emancipação humana total. Doravante, a identidade entre Marx e Maquiavel inexiste na medida em que o primeiro, de magnitude filosófica distinta, concebe o trabalho ontologicamente como atributo central da humanização, apreendendo a política como uma figura transitória superável, enquanto o segundo concebe a política como o ato fundador de toda sociabilidade.
publishDate 2008
dc.date.none.fl_str_mv 2008-06-10
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
format article
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/1180
10.36311/1982-8004.2008.v1n2.1180
url https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/1180
identifier_str_mv 10.36311/1982-8004.2008.v1n2.1180
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.relation.none.fl_str_mv https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/1180/1054
dc.rights.driver.fl_str_mv Copyright (c) 2011 Revista Aurora
https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
info:eu-repo/semantics/openAccess
rights_invalid_str_mv Copyright (c) 2011 Revista Aurora
https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv application/pdf
dc.publisher.none.fl_str_mv Faculdade de Filosofia e Ciências
publisher.none.fl_str_mv Faculdade de Filosofia e Ciências
dc.source.none.fl_str_mv Revista Aurora; v. 1 n. 2 (2008)
1982-8004
2177-0484
reponame:Revista Aurora (Online)
instname:Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)
instacron:UNESP
instname_str Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)
instacron_str UNESP
institution UNESP
reponame_str Revista Aurora (Online)
collection Revista Aurora (Online)
repository.name.fl_str_mv
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1727298263703355392