MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE

Bibliographic Details
Main Author: Zamboni, Jésio
Publication Date: 2012
Other Authors: Barros, Maria Elizabeth Barros de
Format: Article
Language: por
Source: Barbarói (Online)
Download full: https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/2442
Summary: Trata-se, nesse ensaio teórico, de retomar o conceito de atividade desenvolvido por algumas máquinas de análise dos processos de trabalho. A saber, a ergonomia, a ergologia e a clínica da atividade. Tal abordagem caracteriza-se como micropolítica por privilegiar as dimensões éticas e políticas de tais dispositivos tomados no contexto das lutas coletivas no capitalismo. Define-se atividade como um conceito inacabável em função da sua consideração das variações incessantes no trabalho. Discute-se, ainda, o problema da atividade como uma função no campo científico e como um conceito no campo filosófico, destacando suas relações como instrumentos analíticos. Também se discute a relação entre condições de trabalho e sua organização pela problematização promovida pela ergonomia. A partir daí, acompanha-se o desenvolvimento do conceito de atividade desde o conceito de trabalho real, definido por seu deslocamento contínuo em relação às prescrições. Tal deslocamento permitirá, a seguir, conceituar a atividade como devir do trabalho, redefinindo a ferramenta analítica. Logo, define-se a atividade como sempre situada, destacando que a situação é marcada por um movimento abstrato que possibilita produzir transversalidade entre casos diversos vividos no trabalho em função da construção de um problema a viver. Partindo da situação de trabalho do motorista de ônibus coletivo urbano, discute-se as linhas micropolíticas de análise da atividade: a linha dura que separa trabalho prescrito e trabalho real em contraste com a linha vibratória que se privilegia pela análise da atividade situada.
id UNISC-2_10ba24a1ff8a8cec17b50df2ca259b62
oai_identifier_str oai:ojs.online.unisc.br:article/2442
network_acronym_str UNISC-2
network_name_str Barbarói (Online)
repository_id_str
spelling MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADEatividademicropolíticaergonomiaclínica da atividadeTrata-se, nesse ensaio teórico, de retomar o conceito de atividade desenvolvido por algumas máquinas de análise dos processos de trabalho. A saber, a ergonomia, a ergologia e a clínica da atividade. Tal abordagem caracteriza-se como micropolítica por privilegiar as dimensões éticas e políticas de tais dispositivos tomados no contexto das lutas coletivas no capitalismo. Define-se atividade como um conceito inacabável em função da sua consideração das variações incessantes no trabalho. Discute-se, ainda, o problema da atividade como uma função no campo científico e como um conceito no campo filosófico, destacando suas relações como instrumentos analíticos. Também se discute a relação entre condições de trabalho e sua organização pela problematização promovida pela ergonomia. A partir daí, acompanha-se o desenvolvimento do conceito de atividade desde o conceito de trabalho real, definido por seu deslocamento contínuo em relação às prescrições. Tal deslocamento permitirá, a seguir, conceituar a atividade como devir do trabalho, redefinindo a ferramenta analítica. Logo, define-se a atividade como sempre situada, destacando que a situação é marcada por um movimento abstrato que possibilita produzir transversalidade entre casos diversos vividos no trabalho em função da construção de um problema a viver. Partindo da situação de trabalho do motorista de ônibus coletivo urbano, discute-se as linhas micropolíticas de análise da atividade: a linha dura que separa trabalho prescrito e trabalho real em contraste com a linha vibratória que se privilegia pela análise da atividade situada.Unisc2012-09-17info:eu-repo/semantics/articleinfo:eu-repo/semantics/publishedVersionapplication/pdfhttps://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/244210.17058/barbaroi.v0i0.2442Barbarói; Nº 36 ANO 2012/1; 113-1371982-2022reponame:Barbarói (Online)instname:Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)instacron:UNISCporhttps://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/2442/2949Zamboni, JésioBarros, Maria Elizabeth Barros deinfo:eu-repo/semantics/openAccess2022-11-08T15:07:14Zoai:ojs.online.unisc.br:article/2442Revistahttp://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroihttp://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/oaibarbaroi@unisc.br||sareosa@unisc.br||bernard@unisc.br1982-20220104-6578opendoar:2022-11-08T15:07:14Barbarói (Online) - Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)false
dc.title.none.fl_str_mv MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE
title MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE
spellingShingle MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE
Zamboni, Jésio
atividade
micropolítica
ergonomia
clínica da atividade
title_short MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE
title_full MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE
title_fullStr MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE
title_full_unstemmed MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE
title_sort MICROPOLÍTICA DA ATIVIDADE
author Zamboni, Jésio
author_facet Zamboni, Jésio
Barros, Maria Elizabeth Barros de
author_role author
author2 Barros, Maria Elizabeth Barros de
author2_role author
dc.contributor.author.fl_str_mv Zamboni, Jésio
Barros, Maria Elizabeth Barros de
dc.subject.por.fl_str_mv atividade
micropolítica
ergonomia
clínica da atividade
topic atividade
micropolítica
ergonomia
clínica da atividade
description Trata-se, nesse ensaio teórico, de retomar o conceito de atividade desenvolvido por algumas máquinas de análise dos processos de trabalho. A saber, a ergonomia, a ergologia e a clínica da atividade. Tal abordagem caracteriza-se como micropolítica por privilegiar as dimensões éticas e políticas de tais dispositivos tomados no contexto das lutas coletivas no capitalismo. Define-se atividade como um conceito inacabável em função da sua consideração das variações incessantes no trabalho. Discute-se, ainda, o problema da atividade como uma função no campo científico e como um conceito no campo filosófico, destacando suas relações como instrumentos analíticos. Também se discute a relação entre condições de trabalho e sua organização pela problematização promovida pela ergonomia. A partir daí, acompanha-se o desenvolvimento do conceito de atividade desde o conceito de trabalho real, definido por seu deslocamento contínuo em relação às prescrições. Tal deslocamento permitirá, a seguir, conceituar a atividade como devir do trabalho, redefinindo a ferramenta analítica. Logo, define-se a atividade como sempre situada, destacando que a situação é marcada por um movimento abstrato que possibilita produzir transversalidade entre casos diversos vividos no trabalho em função da construção de um problema a viver. Partindo da situação de trabalho do motorista de ônibus coletivo urbano, discute-se as linhas micropolíticas de análise da atividade: a linha dura que separa trabalho prescrito e trabalho real em contraste com a linha vibratória que se privilegia pela análise da atividade situada.
publishDate 2012
dc.date.none.fl_str_mv 2012-09-17
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
format article
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/2442
10.17058/barbaroi.v0i0.2442
url https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/2442
identifier_str_mv 10.17058/barbaroi.v0i0.2442
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.relation.none.fl_str_mv https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/2442/2949
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv application/pdf
dc.publisher.none.fl_str_mv Unisc
publisher.none.fl_str_mv Unisc
dc.source.none.fl_str_mv Barbarói; Nº 36 ANO 2012/1; 113-137
1982-2022
reponame:Barbarói (Online)
instname:Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)
instacron:UNISC
instname_str Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)
instacron_str UNISC
institution UNISC
reponame_str Barbarói (Online)
collection Barbarói (Online)
repository.name.fl_str_mv Barbarói (Online) - Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)
repository.mail.fl_str_mv barbaroi@unisc.br||sareosa@unisc.br||bernard@unisc.br
_version_ 1748942756703633408