A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga

Bibliographic Details
Main Author: Jeronymo, Aline Maria [UNESP]
Publication Date: 2014
Format: Bachelor thesis
Language: por
Source: Repositório Institucional da UNESP
Download full: http://hdl.handle.net/11449/123029
http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/capelo/2015-04-08/000821742.pdf
Summary: O poeta modernista Emílio Moura (1902-1971) incorpora uma linguagem estritamente moderna no que tange à sugestão imagética de uma poesia preponderantemente metalinguística. Dessa forma, é por meio das obras Canto da hora amarga (1936) e Cancioneiro (1945) que buscamos atestar, através de análises poemáticas, que a modernidade emiliana realiza-se em confluências com ideias que vão da tradição bíblica e chegam à despersonalização do eu moderno e questionador. Objetivamos, portanto, comprovar e explorar o caráter metalinguístico e intertextual que resulta na personificação da poesia, aclarada como musa. Para atingir tal intento, essa mesma poesia passa por um sentimento dualista e pessimista, barroco, do eu que se divide em vida e morte, em luz e sombra; passa por um sentimento romântico de angústia e desconsolo e chega à multiplicidade do eu poético, que promove uma constante luta com a linguagem. Mais do que traçar uma correlação entre ideias clássicas e modernas (no sentido em que o poeta cria a despersonalização e apropria-se dos versos livres, curtos ou prosaicos, típicos do modernismo), intencionamos suprir, ao menos em parte, a grande escassez de estudos sobre o poeta mineiro, que encontrou um terreno fértil para questionar e analisar internamente o papel da poesia na multiplicidade do homem e da sociedade moderna para, assim, concluir que o universalismo de Emílio Moura se faz distinto e maduro. Assim sendo, comprovaremos como os influxos poéticos de ambas as obras corroboram para a reavaliação e a inserção crítica da poética de Emílio Moura no contexto da literatura moderna/modernista brasileira
id UNSP_03f591dae005277b612ae4f21e342e19
oai_identifier_str oai:repositorio.unesp.br:11449/123029
network_acronym_str UNSP
network_name_str Repositório Institucional da UNESP
repository_id_str 2946
spelling Jeronymo, Aline Maria [UNESP]Universidade Estadual Paulista (Unesp)b47a7e22-03c5-4bad-be3e-658c57915984a6c32b0c-e3bf-4168-8b2d-3e8628cded39Pires, Antônio Donizeti [UNESP]2015-05-14T16:52:25Z2015-05-14T16:52:25Z2014-11-20JERONYMO, Aline Maria. A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga. 2014. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Letras) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras (Campus de Araraquara), 2014.http://hdl.handle.net/11449/123029000821742http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/capelo/2015-04-08/000821742.pdf3023104181714168O poeta modernista Emílio Moura (1902-1971) incorpora uma linguagem estritamente moderna no que tange à sugestão imagética de uma poesia preponderantemente metalinguística. Dessa forma, é por meio das obras Canto da hora amarga (1936) e Cancioneiro (1945) que buscamos atestar, através de análises poemáticas, que a modernidade emiliana realiza-se em confluências com ideias que vão da tradição bíblica e chegam à despersonalização do eu moderno e questionador. Objetivamos, portanto, comprovar e explorar o caráter metalinguístico e intertextual que resulta na personificação da poesia, aclarada como musa. Para atingir tal intento, essa mesma poesia passa por um sentimento dualista e pessimista, barroco, do eu que se divide em vida e morte, em luz e sombra; passa por um sentimento romântico de angústia e desconsolo e chega à multiplicidade do eu poético, que promove uma constante luta com a linguagem. Mais do que traçar uma correlação entre ideias clássicas e modernas (no sentido em que o poeta cria a despersonalização e apropria-se dos versos livres, curtos ou prosaicos, típicos do modernismo), intencionamos suprir, ao menos em parte, a grande escassez de estudos sobre o poeta mineiro, que encontrou um terreno fértil para questionar e analisar internamente o papel da poesia na multiplicidade do homem e da sociedade moderna para, assim, concluir que o universalismo de Emílio Moura se faz distinto e maduro. Assim sendo, comprovaremos como os influxos poéticos de ambas as obras corroboram para a reavaliação e a inserção crítica da poética de Emílio Moura no contexto da literatura moderna/modernista brasileiraThe modernist poet Emílio Moura (1902-1971) incorporates a strictly modern language regarding the imagistic suggesting a mainly poetry metalinguistic. That way, from the works Canto da hora amarga (1932) and Cancioneiro (1944) we attest, through the poetic analysis, that modernity Moura’s poetry takes place in confluences with ideas ranging from biblical tradition and come to the depersonalization of the modern I and questing. We objectify, therefore, demonstrate and explore the metalinguistic and intertextual character that results in the personification of poetry, as clarified muse. To achieve this, this same poetry undergoes a dualistic and pessimistic sentiment, baroque, the I that is divided into life and death, light and shadow; goes through a romantic feeling of anguish and desolation and reaches the multiplicity of the poetic speaker, which promotes a constant struggle with the language. More than draw a correlation between classical and modern ideas (in the sense that the poet creates depersonalization and appropriates of free, short prose or verse, typical of modernism), intend to supply, at least in part, the dearth of studies on the miner poet who has found fertile ground to question and analyze internally the role of poetry in the multiplicity of man and modern society to therefore conclude that universalism the Emílio Moura becomes distinctive and mature. Thus, we will check how poetic inflows corroborate both works for reevaluation and critical insertion of poetic the Emílio Moura in the context of modern/Modernist Brazilian literatureMade available in DSpace on 2015-05-14T16:52:25Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2014-11-20Bitstream added on 2015-05-14T17:00:00Z : No. of bitstreams: 1 000821742.pdf: 541225 bytes, checksum: f20db88f6baf40ce1cbbcc5b1721be00 (MD5)porUniversidade Estadual Paulista (Unesp)Alephreponame:Repositório Institucional da UNESPinstname:Universidade Estadual Paulista (UNESP)instacron:UNESPMoura, Emilio 1902-1971Modernismo (Literatura)Poesia brasileiraBrazilian poetryA multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amargainfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/bachelorThesisinfo:eu-repo/semantics/openAccessUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências e Letras, AraraquaraLetras - FCLAR3023104181714168[1]0000-0003-3366-1203[1]ORIGINAL000821742.pdfapplication/pdf541225https://repositorio.unesp.br/bitstream/11449/123029/1/000821742.pdff20db88f6baf40ce1cbbcc5b1721be00MD51TEXTTHUMBNAIL000821742.pdf.jpg000821742.pdf.jpgIM Thumbnailimage/jpeg4809https://repositorio.unesp.br/bitstream/11449/123029/3/000821742.pdf.jpgcb746984377ae25b214b171bc5be121bMD5311449/1230292022-05-06 16:46:51.541oai:repositorio.unesp.br:11449/123029Repositório InstitucionalPUBhttp://repositorio.unesp.br/oai/requestopendoar:29462022-05-06T19:46:51Repositório Institucional da UNESP - Universidade Estadual Paulista (UNESP)false
dc.title.pt.fl_str_mv A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga
title A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga
spellingShingle A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga
Jeronymo, Aline Maria [UNESP]
Moura, Emilio 1902-1971
Modernismo (Literatura)
Poesia brasileira
Brazilian poetry
title_short A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga
title_full A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga
title_fullStr A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga
title_full_unstemmed A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga
title_sort A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga
author Jeronymo, Aline Maria [UNESP]
author_facet Jeronymo, Aline Maria [UNESP]
author_role author
dc.contributor.institution.none.fl_str_mv Universidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.contributor.author.fl_str_mv Jeronymo, Aline Maria [UNESP]
dc.contributor.authorID.fl_str_mv b47a7e22-03c5-4bad-be3e-658c57915984
dc.contributor.advisor1ID.fl_str_mv a6c32b0c-e3bf-4168-8b2d-3e8628cded39
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Pires, Antônio Donizeti [UNESP]
contributor_str_mv Pires, Antônio Donizeti [UNESP]
dc.subject.por.fl_str_mv Moura, Emilio 1902-1971
Modernismo (Literatura)
Poesia brasileira
Brazilian poetry
topic Moura, Emilio 1902-1971
Modernismo (Literatura)
Poesia brasileira
Brazilian poetry
description O poeta modernista Emílio Moura (1902-1971) incorpora uma linguagem estritamente moderna no que tange à sugestão imagética de uma poesia preponderantemente metalinguística. Dessa forma, é por meio das obras Canto da hora amarga (1936) e Cancioneiro (1945) que buscamos atestar, através de análises poemáticas, que a modernidade emiliana realiza-se em confluências com ideias que vão da tradição bíblica e chegam à despersonalização do eu moderno e questionador. Objetivamos, portanto, comprovar e explorar o caráter metalinguístico e intertextual que resulta na personificação da poesia, aclarada como musa. Para atingir tal intento, essa mesma poesia passa por um sentimento dualista e pessimista, barroco, do eu que se divide em vida e morte, em luz e sombra; passa por um sentimento romântico de angústia e desconsolo e chega à multiplicidade do eu poético, que promove uma constante luta com a linguagem. Mais do que traçar uma correlação entre ideias clássicas e modernas (no sentido em que o poeta cria a despersonalização e apropria-se dos versos livres, curtos ou prosaicos, típicos do modernismo), intencionamos suprir, ao menos em parte, a grande escassez de estudos sobre o poeta mineiro, que encontrou um terreno fértil para questionar e analisar internamente o papel da poesia na multiplicidade do homem e da sociedade moderna para, assim, concluir que o universalismo de Emílio Moura se faz distinto e maduro. Assim sendo, comprovaremos como os influxos poéticos de ambas as obras corroboram para a reavaliação e a inserção crítica da poética de Emílio Moura no contexto da literatura moderna/modernista brasileira
publishDate 2014
dc.date.issued.fl_str_mv 2014-11-20
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2015-05-14T16:52:25Z
dc.date.available.fl_str_mv 2015-05-14T16:52:25Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/bachelorThesis
format bachelorThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.citation.fl_str_mv JERONYMO, Aline Maria. A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga. 2014. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Letras) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras (Campus de Araraquara), 2014.
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://hdl.handle.net/11449/123029
dc.identifier.aleph.none.fl_str_mv 000821742
dc.identifier.file.none.fl_str_mv http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/capelo/2015-04-08/000821742.pdf
dc.identifier.lattes.none.fl_str_mv 3023104181714168
identifier_str_mv JERONYMO, Aline Maria. A multiplicidade poética de Emílio Moura: o encanto da hora amarga. 2014. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Letras) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras (Campus de Araraquara), 2014.
000821742
3023104181714168
url http://hdl.handle.net/11449/123029
http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/capelo/2015-04-08/000821742.pdf
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Estadual Paulista (Unesp)
publisher.none.fl_str_mv Universidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.source.none.fl_str_mv Aleph
reponame:Repositório Institucional da UNESP
instname:Universidade Estadual Paulista (UNESP)
instacron:UNESP
instname_str Universidade Estadual Paulista (UNESP)
instacron_str UNESP
institution UNESP
reponame_str Repositório Institucional da UNESP
collection Repositório Institucional da UNESP
bitstream.url.fl_str_mv https://repositorio.unesp.br/bitstream/11449/123029/1/000821742.pdf
https://repositorio.unesp.br/bitstream/11449/123029/3/000821742.pdf.jpg
bitstream.checksum.fl_str_mv f20db88f6baf40ce1cbbcc5b1721be00
cb746984377ae25b214b171bc5be121b
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UNESP - Universidade Estadual Paulista (UNESP)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1748844299386093568