O roteiro como gênero literário : uma análise do discurso narrativo do texto cinematográfico

Esse trabalho se divide em duas partes, sendo a primeira de caráter teórico e a segunda um romance de ficção. A primeira parte, busca responder a seguinte pergunta: pode o roteiro de cinema ser visto como um gênero literário? Para isso, usa-se a teoria estruturalista de Gerard Genette com o intuito...

Full description

Access type:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Esteves, Lucas Furtado
Advisor: Silva, Márcia Ivana de Lima e
Document type: Master thesis
Language:por
Portuguese subjects:
English subjects:
Online Access:http://hdl.handle.net/10183/197473
Portuguese abstract:Esse trabalho se divide em duas partes, sendo a primeira de caráter teórico e a segunda um romance de ficção. A primeira parte, busca responder a seguinte pergunta: pode o roteiro de cinema ser visto como um gênero literário? Para isso, usa-se a teoria estruturalista de Gerard Genette com o intuito de analisar roteiros de cinema a luz daquilo que se pensou sobre a estrutura literária. Dessa forma, se faz possível estreitar os limites entre a prosa e o texto cinematográfico para compreender suas semelhanças e diferenças. Já a segunda parte do trabalho, diz respeito a um texto ficcional que, entre outras coisas, tem como objetivo trazer para a prática os aspectos trabalhados na teoria. Isso ocorre fazendo com que formalmente o romance flerte com a prosa literária e com o texto do roteiro de cinema.
English abstract:This work is divided in two parts, the first of theoretical character and the second a novel of fiction. The first part seeks to answer the following question: Can the movie script be seen as a literary genre? For this, the structuralist theory of Gerard Genette is used in order to analyze cinema scripts in light of what one has thought about the literary structure. In this way, it is possible to narrow the boundaries between prose and the cinematographic text to understand their similarities and differences. Already the second part of the work, concerns a fictional text that, among other things, aims to bring to practice the aspects worked on the theory. This occurs by making the novel formally flirt with literary prose and with the text of the screenplay.