O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo

Detalhes bibliográficos
Autor(a) principal: Araujo, Denize Correa
Data de Publicação: 2006
Tipo de documento: Artigo
Idioma: por
Título da fonte: E-Compós
Texto Completo: https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/122
Resumo: A proposta deste artigo é dupla: em sentido mais amplo, analisar a representação da nova geração, tendo como embasamento teórico os conceitos da trivialidade da essência (Jameson) e do presenteísmo (Maffesoli); como objetivo mais específico, analisar o papel do mouse, do game e da animação no longa de Jorge Furtado Meu tio matou um cara (2004). Serão enfatizados o uso do virtual na construção da “cena do crime”, o desempenho do mouse implícito do protagonista e a estrutura de videogame que perpassa o texto, criando imagens híbridas. Tanto na reconstrução do crime como na seqüência de fotos que provariam a traição da namorada de seu tio, o protagonista, em seu enfoque de adolescente, imagina estar jogando um videogame no computador. Seu mouse parece querer clicar em ícones e abrir janelas a qualquer momento. A representação da interação dos três elementos —mouse, game e animação— retira do contexto o peso conteudístico do tema, que fica reduzido a um exercício de pseudo-detetive, e expõe, em primeiro plano, o universo juvenil, com sua familiaridade em interagir com games. O computador, além de suporte, é elemento essencial na vida da geração “clic-link” e ocupa lugar de destaque como coadjuvante do protagonista. Como referencial teórico, serão usados os conceitos de Vicente Gosciola relacionados aos roteiros nas novas mídias, comentários de Steven Johnson sobre benefícios dos videogames, e as idéias de Scott McCloud quanto à estética do desenho animado e sua relação com os conceitos de verossimilhança, representação e referencialidade, além dos já citados conceitos de Jameson e Maffesoli.
id ANPPC-1_96e37bebb8baa508a0e2ed0b0005395d
oai_identifier_str oai:ojs.www.e-compos.org.br:article/122
network_acronym_str ANPPC-1
network_name_str E-Compós
repository_id_str
spelling O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmoGeração digitalPresenteísmoTrivialidade da essênciaEstética so whatA proposta deste artigo é dupla: em sentido mais amplo, analisar a representação da nova geração, tendo como embasamento teórico os conceitos da trivialidade da essência (Jameson) e do presenteísmo (Maffesoli); como objetivo mais específico, analisar o papel do mouse, do game e da animação no longa de Jorge Furtado Meu tio matou um cara (2004). Serão enfatizados o uso do virtual na construção da “cena do crime”, o desempenho do mouse implícito do protagonista e a estrutura de videogame que perpassa o texto, criando imagens híbridas. Tanto na reconstrução do crime como na seqüência de fotos que provariam a traição da namorada de seu tio, o protagonista, em seu enfoque de adolescente, imagina estar jogando um videogame no computador. Seu mouse parece querer clicar em ícones e abrir janelas a qualquer momento. A representação da interação dos três elementos —mouse, game e animação— retira do contexto o peso conteudístico do tema, que fica reduzido a um exercício de pseudo-detetive, e expõe, em primeiro plano, o universo juvenil, com sua familiaridade em interagir com games. O computador, além de suporte, é elemento essencial na vida da geração “clic-link” e ocupa lugar de destaque como coadjuvante do protagonista. Como referencial teórico, serão usados os conceitos de Vicente Gosciola relacionados aos roteiros nas novas mídias, comentários de Steven Johnson sobre benefícios dos videogames, e as idéias de Scott McCloud quanto à estética do desenho animado e sua relação com os conceitos de verossimilhança, representação e referencialidade, além dos já citados conceitos de Jameson e Maffesoli.ABEC2006-06-26info:eu-repo/semantics/articleinfo:eu-repo/semantics/publishedVersionapplication/pdfhttps://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/12210.30962/ec.122E-Compós; Vol. 7 (2006)E-Compós; Vol. 7 (2006)E-Compós; v. 7 (2006)1808-2599reponame:E-Compósinstname:Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicaçãoinstacron:ANPPCporhttps://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/122/121Araujo, Denize Correainfo:eu-repo/semantics/openAccess2019-07-24T05:30:41Zoai:ojs.www.e-compos.org.br:article/122Revistahttps://www.e-compos.org.br/e-compos/PUBhttps://www.e-compos.org.br/e-compos/oairevistaecompos@gmail.com1808-25991808-2599opendoar:2019-07-24T05:30:41E-Compós - Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicaçãofalse
dc.title.none.fl_str_mv O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo
title O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo
spellingShingle O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo
Araujo, Denize Correa
Geração digital
Presenteísmo
Trivialidade da essência
Estética so what
title_short O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo
title_full O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo
title_fullStr O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo
title_full_unstemmed O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo
title_sort O papel do mouse, do game e da animação em Meu tio matou um cara: a geração digital e o culto ao presenteísmo
author Araujo, Denize Correa
author_facet Araujo, Denize Correa
author_role author
dc.contributor.author.fl_str_mv Araujo, Denize Correa
dc.subject.por.fl_str_mv Geração digital
Presenteísmo
Trivialidade da essência
Estética so what
topic Geração digital
Presenteísmo
Trivialidade da essência
Estética so what
description A proposta deste artigo é dupla: em sentido mais amplo, analisar a representação da nova geração, tendo como embasamento teórico os conceitos da trivialidade da essência (Jameson) e do presenteísmo (Maffesoli); como objetivo mais específico, analisar o papel do mouse, do game e da animação no longa de Jorge Furtado Meu tio matou um cara (2004). Serão enfatizados o uso do virtual na construção da “cena do crime”, o desempenho do mouse implícito do protagonista e a estrutura de videogame que perpassa o texto, criando imagens híbridas. Tanto na reconstrução do crime como na seqüência de fotos que provariam a traição da namorada de seu tio, o protagonista, em seu enfoque de adolescente, imagina estar jogando um videogame no computador. Seu mouse parece querer clicar em ícones e abrir janelas a qualquer momento. A representação da interação dos três elementos —mouse, game e animação— retira do contexto o peso conteudístico do tema, que fica reduzido a um exercício de pseudo-detetive, e expõe, em primeiro plano, o universo juvenil, com sua familiaridade em interagir com games. O computador, além de suporte, é elemento essencial na vida da geração “clic-link” e ocupa lugar de destaque como coadjuvante do protagonista. Como referencial teórico, serão usados os conceitos de Vicente Gosciola relacionados aos roteiros nas novas mídias, comentários de Steven Johnson sobre benefícios dos videogames, e as idéias de Scott McCloud quanto à estética do desenho animado e sua relação com os conceitos de verossimilhança, representação e referencialidade, além dos já citados conceitos de Jameson e Maffesoli.
publishDate 2006
dc.date.none.fl_str_mv 2006-06-26
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
format article
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/122
10.30962/ec.122
url https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/122
identifier_str_mv 10.30962/ec.122
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.relation.none.fl_str_mv https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/122/121
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv application/pdf
dc.publisher.none.fl_str_mv ABEC
publisher.none.fl_str_mv ABEC
dc.source.none.fl_str_mv E-Compós; Vol. 7 (2006)
E-Compós; Vol. 7 (2006)
E-Compós; v. 7 (2006)
1808-2599
reponame:E-Compós
instname:Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação
instacron:ANPPC
instname_str Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação
instacron_str ANPPC
institution ANPPC
reponame_str E-Compós
collection E-Compós
repository.name.fl_str_mv E-Compós - Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação
repository.mail.fl_str_mv revistaecompos@gmail.com
_version_ 1798045731821453312