A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80

Bibliographic Details
Main Author: Oliveira, Adriana Aparecida Almeida de [UNESP]
Publication Date: 2014
Format: Master thesis
Language: por
Source: Repositório Institucional da UNESP
Download full: http://hdl.handle.net/11449/110678
Summary: A contemporaneidade constitui-se como sendo o tempo atual no qual mudanças importantes e outras ainda em curso estão dando feições ao mundo, diferentes daquelas consagradas pela modernidade, seja pela intensificação e radicalização do processo de modernização ou pela eclosão de novos processos, dentre eles, inclusive, aqueles que foram situados como próprios da pós-modernidade. Esta se caracteriza, segundo Harvey (1998), pela incorporação e aceitação do efêmero e do provisório, tornando mundanas as imagens de aceleração, instabilidade, precariedade, metamorfose, fragmentação e outras que compõem a condição humana na atualidade. Nesse cenário da solidão, da indiferença e do vazio produzido pela velocidade, pelo distanciamento do outro e pela brandura das vinculações e relacionamentos destacam-se duas formas de subjetivação: a depressão e o tédio. A primeira tem forte presença nos dias atuais, porém esta pesquisa destacou o tédio como a subjetivação típica do contemporâneo pela sua íntima ligação com o tempo, especialmente, como expressão de uma tentativa de desaceleração do tempo ou de protesto contra o excesso e um ritmo de vida vertiginoso. O tédio caracteriza-se pelo cansaço de viver, uma despotencialização da vida. O objetivo principal e central da presente pesquisa foi identificar e analisar as expressões do tédio na cultura, tomando como corpus letras de músicas, do repertório Rock Nacional, da década de 80, que versem sobre o tédio. As produções artístico-culturais são consideradas um caminho seguro para se captar as subjetivações emergentes num dado tempo e lugar, visto que elas funcionam como expressão - como manifestação simbólica - da experiência humana ou da realidade vivida. Estas produções culturais foram tratadas mediante uma Análise de Conteúdo, na linha proposta por Bardin (2002). Tal método é bastante apropriado para a ...
id UNSP_2c9d69bbdd635e4fb10bb6ace55b08ca
oai_identifier_str oai:repositorio.unesp.br:11449/110678
network_acronym_str UNSP
network_name_str Repositório Institucional da UNESP
repository_id_str 2946
spelling Oliveira, Adriana Aparecida Almeida de [UNESP]Universidade Estadual Paulista (Unesp)4380dea3-c686-4174-869c-fed29d67f6e2c465f497-1fc1-4ba8-bbf8-f49cf6be3e1fJusto, José Sterza [UNESP]2014-11-10T11:09:57Z2014-11-10T11:09:57Z2014-01-23OLIVEIRA, Adriana Aparecida Almeida de. A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80. 2014. 151 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2014.http://hdl.handle.net/11449/110678000782128000782128.pdf33004048021P6A contemporaneidade constitui-se como sendo o tempo atual no qual mudanças importantes e outras ainda em curso estão dando feições ao mundo, diferentes daquelas consagradas pela modernidade, seja pela intensificação e radicalização do processo de modernização ou pela eclosão de novos processos, dentre eles, inclusive, aqueles que foram situados como próprios da pós-modernidade. Esta se caracteriza, segundo Harvey (1998), pela incorporação e aceitação do efêmero e do provisório, tornando mundanas as imagens de aceleração, instabilidade, precariedade, metamorfose, fragmentação e outras que compõem a condição humana na atualidade. Nesse cenário da solidão, da indiferença e do vazio produzido pela velocidade, pelo distanciamento do outro e pela brandura das vinculações e relacionamentos destacam-se duas formas de subjetivação: a depressão e o tédio. A primeira tem forte presença nos dias atuais, porém esta pesquisa destacou o tédio como a subjetivação típica do contemporâneo pela sua íntima ligação com o tempo, especialmente, como expressão de uma tentativa de desaceleração do tempo ou de protesto contra o excesso e um ritmo de vida vertiginoso. O tédio caracteriza-se pelo cansaço de viver, uma despotencialização da vida. O objetivo principal e central da presente pesquisa foi identificar e analisar as expressões do tédio na cultura, tomando como corpus letras de músicas, do repertório Rock Nacional, da década de 80, que versem sobre o tédio. As produções artístico-culturais são consideradas um caminho seguro para se captar as subjetivações emergentes num dado tempo e lugar, visto que elas funcionam como expressão - como manifestação simbólica - da experiência humana ou da realidade vivida. Estas produções culturais foram tratadas mediante uma Análise de Conteúdo, na linha proposta por Bardin (2002). Tal método é bastante apropriado para a ...Contemporaneity consists of the current time in which important changes and ongoing influences give the world new forms different from those canonized by the modernity due either to the intensification or radicalization of the modernization process or to the appearance of new process, among which those processes categorized as related to the postmodernity are also found. As per Harvey (1998), postmodernity is characterized by the association and acceptance of ephemeral things and temporary things, making the ideas of acceleration, instability, precariousness, metamorphosis, fragmentation futile, as well as other ideas that compose the human condition in the current time. In this scenario of loneliness, indifference and emptiness caused by velocity, distance from the other, and weakness of relationships, two forms of subjeticvation are highlighted: depression and boredom. The first one is largely found in the current times. However this research has pointed out boredom as a subjectivation typical of the contemporaneity due to its close relation with time, particularly as the expression of an attempt of time deceleration or protest against excessive things and a vertiginous lifestyle. Boredom is characterized by tiredness of living, depotentiation of life. The main purpose of this paper was to identify and analyze expressions of boredom in Brazilian culture, and its corpus consists of lyrics from Brazilian rock in the 80s that deal with boredom. Artistic and cultural productions are considered a safe way for capturing subjectivations emerging in a given time and space, since they act out as expression – symbolic manifestation – of human experience or the experienced reality. These cultural productions were addressed through content analysis, as per Bardin (2002). This method is quite proper for textual analysis, and it induces a systematic treatment of texts which allows the extraction of significat ...Made available in DSpace on 2014-11-10T11:09:57Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2014-01-23Bitstream added on 2014-11-10T11:57:28Z : No. of bitstreams: 1 000782128.pdf: 1493285 bytes, checksum: ebf611f1858a923709f49207a1b15246 (MD5)151 f.porUniversidade Estadual Paulista (Unesp)Alephreponame:Repositório Institucional da UNESPinstname:Universidade Estadual Paulista (UNESP)instacron:UNESPTedioCulturaMúsicaBoredomA vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis-1-1info:eu-repo/semantics/openAccessPsicologia - FCLASPsicologia e sociedadeProcessos psicossociais e de subjetivação na contemporaneidadeUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências e Letras, AssisORIGINAL000782128.pdfapplication/pdf1493285https://repositorio.unesp.br/bitstream/11449/110678/1/000782128.pdfebf611f1858a923709f49207a1b15246MD51TEXTTHUMBNAIL000782128.pdf.jpg000782128.pdf.jpgIM Thumbnailimage/jpeg3973https://repositorio.unesp.br/bitstream/11449/110678/3/000782128.pdf.jpg796db6d24482de4e904791d83f895978MD5311449/1106782022-05-06 14:56:29.004oai:repositorio.unesp.br:11449/110678Repositório InstitucionalPUBhttp://repositorio.unesp.br/oai/requestopendoar:29462022-05-06T17:56:29Repositório Institucional da UNESP - Universidade Estadual Paulista (UNESP)false
dc.title.pt.fl_str_mv A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80
title A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80
spellingShingle A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80
Oliveira, Adriana Aparecida Almeida de [UNESP]
Tedio
Cultura
Música
Boredom
title_short A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80
title_full A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80
title_fullStr A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80
title_full_unstemmed A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80
title_sort A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80
author Oliveira, Adriana Aparecida Almeida de [UNESP]
author_facet Oliveira, Adriana Aparecida Almeida de [UNESP]
author_role author
dc.contributor.institution.none.fl_str_mv Universidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.contributor.author.fl_str_mv Oliveira, Adriana Aparecida Almeida de [UNESP]
dc.contributor.authorID.fl_str_mv 4380dea3-c686-4174-869c-fed29d67f6e2
dc.contributor.advisor1ID.fl_str_mv c465f497-1fc1-4ba8-bbf8-f49cf6be3e1f
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Justo, José Sterza [UNESP]
contributor_str_mv Justo, José Sterza [UNESP]
dc.subject.por.fl_str_mv Tedio
Cultura
Música
Boredom
topic Tedio
Cultura
Música
Boredom
description A contemporaneidade constitui-se como sendo o tempo atual no qual mudanças importantes e outras ainda em curso estão dando feições ao mundo, diferentes daquelas consagradas pela modernidade, seja pela intensificação e radicalização do processo de modernização ou pela eclosão de novos processos, dentre eles, inclusive, aqueles que foram situados como próprios da pós-modernidade. Esta se caracteriza, segundo Harvey (1998), pela incorporação e aceitação do efêmero e do provisório, tornando mundanas as imagens de aceleração, instabilidade, precariedade, metamorfose, fragmentação e outras que compõem a condição humana na atualidade. Nesse cenário da solidão, da indiferença e do vazio produzido pela velocidade, pelo distanciamento do outro e pela brandura das vinculações e relacionamentos destacam-se duas formas de subjetivação: a depressão e o tédio. A primeira tem forte presença nos dias atuais, porém esta pesquisa destacou o tédio como a subjetivação típica do contemporâneo pela sua íntima ligação com o tempo, especialmente, como expressão de uma tentativa de desaceleração do tempo ou de protesto contra o excesso e um ritmo de vida vertiginoso. O tédio caracteriza-se pelo cansaço de viver, uma despotencialização da vida. O objetivo principal e central da presente pesquisa foi identificar e analisar as expressões do tédio na cultura, tomando como corpus letras de músicas, do repertório Rock Nacional, da década de 80, que versem sobre o tédio. As produções artístico-culturais são consideradas um caminho seguro para se captar as subjetivações emergentes num dado tempo e lugar, visto que elas funcionam como expressão - como manifestação simbólica - da experiência humana ou da realidade vivida. Estas produções culturais foram tratadas mediante uma Análise de Conteúdo, na linha proposta por Bardin (2002). Tal método é bastante apropriado para a ...
publishDate 2014
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2014-11-10T11:09:57Z
dc.date.available.fl_str_mv 2014-11-10T11:09:57Z
dc.date.issued.fl_str_mv 2014-01-23
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.citation.fl_str_mv OLIVEIRA, Adriana Aparecida Almeida de. A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80. 2014. 151 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2014.
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://hdl.handle.net/11449/110678
dc.identifier.aleph.none.fl_str_mv 000782128
dc.identifier.file.none.fl_str_mv 000782128.pdf
dc.identifier.capes.none.fl_str_mv 33004048021P6
identifier_str_mv OLIVEIRA, Adriana Aparecida Almeida de. A vida nunca esteve tão insuportável: reflexões sobre o tédio contemporâneo e as músicas de rock da década de 80. 2014. 151 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2014.
000782128
000782128.pdf
33004048021P6
url http://hdl.handle.net/11449/110678
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.relation.confidence.fl_str_mv -1
-1
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv 151 f.
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Estadual Paulista (Unesp)
publisher.none.fl_str_mv Universidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.source.none.fl_str_mv Aleph
reponame:Repositório Institucional da UNESP
instname:Universidade Estadual Paulista (UNESP)
instacron:UNESP
instname_str Universidade Estadual Paulista (UNESP)
instacron_str UNESP
institution UNESP
reponame_str Repositório Institucional da UNESP
collection Repositório Institucional da UNESP
bitstream.url.fl_str_mv https://repositorio.unesp.br/bitstream/11449/110678/1/000782128.pdf
https://repositorio.unesp.br/bitstream/11449/110678/3/000782128.pdf.jpg
bitstream.checksum.fl_str_mv ebf611f1858a923709f49207a1b15246
796db6d24482de4e904791d83f895978
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UNESP - Universidade Estadual Paulista (UNESP)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1748844219381841920