Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas

Bibliographic Details
Main Author: Yerro, Jorge Hernán
Publication Date: 2013
Format: Doctoral thesis
Language: por
Source: Repositório Institucional da UFBA
Download full: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8488
Summary: Este trabalho pretende refletir sobre a forma como a Guerra das Malvinas foi traduzida para a literatura de ficção e a produção cinematográfica argentinas. Com base nos Estudos da Tradução, a pesquisa entende o ato de traduzir como uma constante no comportamento humano, não apenas de forma interlingual, como costuma ser compreendido, mas como uma manifestação externa do mundo não-verbal, ou seja, como sinônimo de (re)criação. Assim sendo, a reconstrução histórica é contemplada como um processo (re)criativo e, portanto,como uma tradução. Os fundamentos teóricos que sustentam o trabalho são a Teoria do Polissistema, de Itamar Even-Zohar, os conceitos de “domesticalição” e “estrangeirização”,de Lawrence Venuti e a noção de “equivalência” na tradução com base nos estudos pósestruturalistas. O corpus sobre o qual será feita a análise consta dos romances Los pichiciegos (1983), escrito por Rodolfo Enrique Fogwill, Las Islas (1998), de Carlos Gamerro e Cuando te vi caer (2008), de autoria de Sebastián Basualdo. E, também, dos longa-metragens Los chicos de la guerra (1984), dirigido por Bebe Kamin, Fuckland (2000), de José Luis Márques e Iluminados por el fuego (2005), que estreia sob a direção de Tristan Bauer, obras que reconstroem acontecimentos relacionados com a Guerra das Malvinas. O corpus foi observado através da análise de uma série de elementos encontrados na maioria das obras, que permitiram identificar as estratégias possivelmente utilizadas pelos autores/diretores/tradutores. Tais elementos são a figura do herói, o problema do retorno, o tempo da narrativa e a configuração do inimigo. O resultado da pesquisa constatou a maneira como que o contexto sócio-político afeta a interpretação de um fato histórico, como também a influência que tem toda tradução sobre o contexto sócio-pólitico em que se insere. Este mútuo jogo de forças introduz o histórico (re)construído, por sua vez, em uma rede de(re)significações em constante movimento.
id UFBA-2_cdbf1e4563ccef8a5b51ffcaae9d1728
oai_identifier_str oai:repositorio.ufba.br:ri/8488
network_acronym_str UFBA-2
network_name_str Repositório Institucional da UFBA
repository_id_str 1932
spelling Yerro, Jorge HernánYerro, Jorge HernánRamos, Elizabeth Santos2013-02-18T16:10:04Z2013-02-18T16:10:04Z2013-02-18http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8488Este trabalho pretende refletir sobre a forma como a Guerra das Malvinas foi traduzida para a literatura de ficção e a produção cinematográfica argentinas. Com base nos Estudos da Tradução, a pesquisa entende o ato de traduzir como uma constante no comportamento humano, não apenas de forma interlingual, como costuma ser compreendido, mas como uma manifestação externa do mundo não-verbal, ou seja, como sinônimo de (re)criação. Assim sendo, a reconstrução histórica é contemplada como um processo (re)criativo e, portanto,como uma tradução. Os fundamentos teóricos que sustentam o trabalho são a Teoria do Polissistema, de Itamar Even-Zohar, os conceitos de “domesticalição” e “estrangeirização”,de Lawrence Venuti e a noção de “equivalência” na tradução com base nos estudos pósestruturalistas. O corpus sobre o qual será feita a análise consta dos romances Los pichiciegos (1983), escrito por Rodolfo Enrique Fogwill, Las Islas (1998), de Carlos Gamerro e Cuando te vi caer (2008), de autoria de Sebastián Basualdo. E, também, dos longa-metragens Los chicos de la guerra (1984), dirigido por Bebe Kamin, Fuckland (2000), de José Luis Márques e Iluminados por el fuego (2005), que estreia sob a direção de Tristan Bauer, obras que reconstroem acontecimentos relacionados com a Guerra das Malvinas. O corpus foi observado através da análise de uma série de elementos encontrados na maioria das obras, que permitiram identificar as estratégias possivelmente utilizadas pelos autores/diretores/tradutores. Tais elementos são a figura do herói, o problema do retorno, o tempo da narrativa e a configuração do inimigo. O resultado da pesquisa constatou a maneira como que o contexto sócio-político afeta a interpretação de um fato histórico, como também a influência que tem toda tradução sobre o contexto sócio-pólitico em que se insere. Este mútuo jogo de forças introduz o histórico (re)construído, por sua vez, em uma rede de(re)significações em constante movimento.Submitted by Cynthia Nascimento (cyngabe@ufba.br) on 2013-02-18T15:54:58Z No. of bitstreams: 1 Jorge Hernan Yerro.pdf: 1214779 bytes, checksum: 223de0dd6a0806d3eb701e4ab7bfb73e (MD5)Approved for entry into archive by Fatima Cleômenis Botelho Maria (botelho@ufba.br) on 2013-02-18T16:10:04Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Jorge Hernan Yerro.pdf: 1214779 bytes, checksum: 223de0dd6a0806d3eb701e4ab7bfb73e (MD5)Made available in DSpace on 2013-02-18T16:10:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Jorge Hernan Yerro.pdf: 1214779 bytes, checksum: 223de0dd6a0806d3eb701e4ab7bfb73e (MD5)Literatura argentina. Cinema e história.Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinasinfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesisporreponame:Repositório Institucional da UFBAinstname:Universidade Federal da Bahia (UFBA)instacron:UFBAinfo:eu-repo/semantics/openAccessORIGINALJorge Hernan Yerro.pdfJorge Hernan Yerro.pdfapplication/pdf1214779https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/8488/1/Jorge%20Hernan%20Yerro.pdf223de0dd6a0806d3eb701e4ab7bfb73eMD51LICENSElicense.txtlicense.txttext/plain1762https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/8488/2/license.txt1b89a9a0548218172d7c829f87a0eab9MD52TEXTJorge Hernan Yerro.pdf.txtJorge Hernan Yerro.pdf.txtExtracted texttext/plain339668https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/8488/3/Jorge%20Hernan%20Yerro.pdf.txtc2625f496a6525d4cbfd9c329a5f9fa5MD53ri/84882022-07-05 14:03:49.521oai:repositorio.ufba.br:ri/8488VGVybW8gZGUgTGljZW7vv71hLCBu77+9byBleGNsdXNpdm8sIHBhcmEgbyBkZXDvv71zaXRvIG5vIHJlcG9zaXTvv71yaW8gSW5zdGl0dWNpb25hbCBkYSBVRkJBCgogICAgUGVsbyBwcm9jZXNzbyBkZSBzdWJtaXNz77+9byBkZSBkb2N1bWVudG9zLCBvIGF1dG9yIG91IHNldQpyZXByZXNlbnRhbnRlIGxlZ2FsLCBhbyBhY2VpdGFyIGVzc2UgdGVybW8gZGUgbGljZW7vv71hLCBjb25jZWRlIGFvClJlcG9zaXTvv71yaW8gSW5zdGl0dWNpb25hbCBkYSBVbml2ZXJzaWRhZGUgRmVkZXJhbCBkYSBCYWhpYSBvIGRpcmVpdG8KZGUgbWFudGVyIHVtYSBj77+9cGlhIGVtIHNldSByZXBvc2l077+9cmlvIGNvbSBhIGZpbmFsaWRhZGUsIHByaW1laXJhLCAKZGUgcHJlc2VydmHvv73vv71vLiBFc3NlcyB0ZXJtb3MsIG7vv71vIGV4Y2x1c2l2b3MsIG1hbnTvv71tIG9zIGRpcmVpdG9zIGRlIAphdXRvci9jb3B5cmlnaHQsIG1hcyBlbnRlbmRlIG8gZG9jdW1lbnRvIGNvbW8gcGFydGUgZG8gYWNlcnZvIGludGVsZWN0dWFsIGRlc3NhIFVuaXZlcnNpZGFkZS4gCgogICAgUGFyYSBvcyBkb2N1bWVudG9zIHB1YmxpY2Fkb3MgY29tIHJlcGFzc2UgZGUgZGlyZWl0b3MgZGUgZGlzdHJpYnVp77+977+9bywgZXNzZSB0ZXJtbyBkZSBsaWNlbu+/vWEgZW50ZW5kZSBxdWU6IAoKICAgIE1hbnRlbmRvIG9zICBkaXJlaXRvcyBhdXRvcmFpcywgcmVwYXNzYWRvcyBhIHRlcmNlaXJvcywgZW0gY2FzbyAKZGUgcHVibGljYe+/ve+/vWVzLCBvIHJlcG9zaXTvv71yaW8gcG9kZSByZXN0cmluZ2lyIG8gYWNlc3NvIGFvIHRleHRvIAppbnRlZ3JhbCwgbWFzIGxpYmVyYSBhcyBpbmZvcm1h77+977+9ZXMgc29icmUgbyBkb2N1bWVudG8gKE1ldGFkYWRvcyBkZXNjcml0aXZvcykuCgogRGVzdGEgZm9ybWEsIGF0ZW5kZW5kbyBhb3MgYW5zZWlvcyBkZXNzYSB1bml2ZXJzaWRhZGUgCmVtIG1hbnRlciBzdWEgcHJvZHXvv73vv71vIGNpZW5077+9ZmljYSBjb20gYXMgcmVzdHJp77+977+9ZXMgaW1wb3N0YXMgcGVsb3MgCmVkaXRvcmVzIGRlIHBlcmnvv71kaWNvcy4gCgogICAgUGFyYSBhcyBwdWJsaWNh77+977+9ZXMgZW0gaW5pY2lhdGl2YXMgcXVlIHNlZ3VlbSBhIHBvbO+/vXRpY2EgZGUgCkFjZXNzbyBBYmVydG8sIG9zIGRlcO+/vXNpdG9zIGNvbXB1bHPvv71yaW9zIG5lc3NlIHJlcG9zaXTvv71yaW8gbWFudO+/vW0gCm9zIGRpcmVpdG9zIGF1dG9yYWlzLCBtYXMgbWFudO+/vW0gbyBhY2Vzc28gaXJyZXN0cml0byBhbyBtZXRhZGFkb3MgCmUgdGV4dG8gY29tcGxldG8uIEFzc2ltLCBhIGFjZWl0Ye+/ve+/vW8gZGVzc2UgdGVybW8gbu+/vW8gbmVjZXNzaXRhIGRlIApjb25zZW50aW1lbnRvIHBvciBwYXJ0ZSBkZSBhdXRvcmVzL2RldGVudG9yZXMgZG9zIGRpcmVpdG9zLCBwb3IgCmVzdGFyZW0gZW0gaW5pY2lhdGl2YXMgZGUgYWNlc3NvIGFiZXJ0by4KCiAgICBFbSBhbWJvcyBvIGNhc28sIGVzc2UgdGVybW8gZGUgbGljZW7vv71hLCBwb2RlIHNlciBhY2VpdG8gcGVsbyAKYXV0b3IsIGRldGVudG9yZXMgZGUgZGlyZWl0b3MgZS9vdSB0ZXJjZWlyb3MgYW1wYXJhZG9zIHBlbGEgCnVuaXZlcnNpZGFkZS4gRGV2aWRvIGFvcyBkaWZlcmVudGVzIHByb2Nlc3NvcyBwZWxvIHF1YWwgYSBzdWJtaXNz77+9byAKcG9kZSBvY29ycmVyLCBvIHJlcG9zaXTvv71yaW8gcGVybWl0ZSBhIGFjZWl0Ye+/ve+/vW8gZGEgbGljZW7vv71hIHBvciAKdGVyY2Vpcm9zLCBzb21lbnRlIG5vcyBjYXNvcyBkZSBkb2N1bWVudG9zIHByb2R1emlkb3MgcG9yIGludGVncmFudGVzIApkYSBVRkJBIGUgc3VibWV0aWRvcyBwb3IgcGVzc29hcyBhbXBhcmFkYXMgcG9yIGVzdGEgaW5zdGl0dWnvv73vv71vLgo=Repositório InstitucionalPUBhttp://192.188.11.11:8080/oai/requestopendoar:19322022-07-05T17:03:49Repositório Institucional da UFBA - Universidade Federal da Bahia (UFBA)false
dc.title.pt_BR.fl_str_mv Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas
title Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas
spellingShingle Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas
Yerro, Jorge Hernán
Literatura argentina. Cinema e história.
title_short Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas
title_full Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas
title_fullStr Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas
title_full_unstemmed Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas
title_sort Traduzindo a história: a guerra das malvinas na literatura e na cinematografia argentinas
author Yerro, Jorge Hernán
author_facet Yerro, Jorge Hernán
author_role author
dc.contributor.author.fl_str_mv Yerro, Jorge Hernán
Yerro, Jorge Hernán
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Ramos, Elizabeth Santos
contributor_str_mv Ramos, Elizabeth Santos
dc.subject.por.fl_str_mv Literatura argentina. Cinema e história.
topic Literatura argentina. Cinema e história.
description Este trabalho pretende refletir sobre a forma como a Guerra das Malvinas foi traduzida para a literatura de ficção e a produção cinematográfica argentinas. Com base nos Estudos da Tradução, a pesquisa entende o ato de traduzir como uma constante no comportamento humano, não apenas de forma interlingual, como costuma ser compreendido, mas como uma manifestação externa do mundo não-verbal, ou seja, como sinônimo de (re)criação. Assim sendo, a reconstrução histórica é contemplada como um processo (re)criativo e, portanto,como uma tradução. Os fundamentos teóricos que sustentam o trabalho são a Teoria do Polissistema, de Itamar Even-Zohar, os conceitos de “domesticalição” e “estrangeirização”,de Lawrence Venuti e a noção de “equivalência” na tradução com base nos estudos pósestruturalistas. O corpus sobre o qual será feita a análise consta dos romances Los pichiciegos (1983), escrito por Rodolfo Enrique Fogwill, Las Islas (1998), de Carlos Gamerro e Cuando te vi caer (2008), de autoria de Sebastián Basualdo. E, também, dos longa-metragens Los chicos de la guerra (1984), dirigido por Bebe Kamin, Fuckland (2000), de José Luis Márques e Iluminados por el fuego (2005), que estreia sob a direção de Tristan Bauer, obras que reconstroem acontecimentos relacionados com a Guerra das Malvinas. O corpus foi observado através da análise de uma série de elementos encontrados na maioria das obras, que permitiram identificar as estratégias possivelmente utilizadas pelos autores/diretores/tradutores. Tais elementos são a figura do herói, o problema do retorno, o tempo da narrativa e a configuração do inimigo. O resultado da pesquisa constatou a maneira como que o contexto sócio-político afeta a interpretação de um fato histórico, como também a influência que tem toda tradução sobre o contexto sócio-pólitico em que se insere. Este mútuo jogo de forças introduz o histórico (re)construído, por sua vez, em uma rede de(re)significações em constante movimento.
publishDate 2013
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2013-02-18T16:10:04Z
dc.date.available.fl_str_mv 2013-02-18T16:10:04Z
dc.date.issued.fl_str_mv 2013-02-18
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8488
url http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8488
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UFBA
instname:Universidade Federal da Bahia (UFBA)
instacron:UFBA
instname_str Universidade Federal da Bahia (UFBA)
instacron_str UFBA
institution UFBA
reponame_str Repositório Institucional da UFBA
collection Repositório Institucional da UFBA
bitstream.url.fl_str_mv https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/8488/1/Jorge%20Hernan%20Yerro.pdf
https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/8488/2/license.txt
https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/8488/3/Jorge%20Hernan%20Yerro.pdf.txt
bitstream.checksum.fl_str_mv 223de0dd6a0806d3eb701e4ab7bfb73e
1b89a9a0548218172d7c829f87a0eab9
c2625f496a6525d4cbfd9c329a5f9fa5
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UFBA - Universidade Federal da Bahia (UFBA)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1748239377904959488