Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita

Detalhes bibliográficos
Autor(a) principal: Mattiuz, Ben-Hur [UNESP]
Data de Publicação: 2002
Tipo de documento: Tese
Idioma: por
Título da fonte: Repositório Institucional da UNESP
Texto Completo: http://hdl.handle.net/11449/105292
Resumo: Avaliou-se o efeito das injúrias mecânicas por impacto, compressão ou corte, e do processamento mínimo na fisiologia de goiabas 'Paluma' e 'Pedro Sato'. Na injúria por impacto, os frutos foram deixados cair, em queda livre, de uma altura de 1,20 m, sofrendo dois impactos, em lados opostos da porção equatorial do fruto. Na injúria por compressão, os frutos foram submetidos a um peso de 29,4 N, por 15 minutos. Para a injúria por corte, foram efetuados dois cortes, longitudinalmente, de 30 mm de comprimento por 2 mm de profundidade. Os frutos foram armazenados sob condições de ambiente (23,4l1 °C, 62l6 %UR). No processamento mínimo, frutos no estádio de vez foram descascados, cortados longitudinalmente ao meio, eliminando-se as sementes. Após enxágüe, foram embalados em contentores de tereftalato de polietileno e armazenados a 3 °C. Os frutos da 'Paluma' apresentaram-se significativamente mais resistentes que os da 'Pedro Sato' à injúria por impacto. O estresse físico causado por esta injúria produziu um colapso interno nos lóculos dos frutos e a área injuriada mostrou-se mais escurecida e com menor cromaticidade que as áreas não injuriadas, de ambas as cultivares. Os frutos injuriados sempre produziram maior quantidade de CO2 que os dos controles, sem que se detectasse a ocorrência de pico respiratório. Os teores de sólidos solúveis totais, açúcares redutores, acidez total titulável e ácido ascórbico dos frutos injuriados apresentaram-se menores que os dos controles, ao longo do período de armazenamento. No produto minimamente processado, a goiaba possibilitou o rendimento de 51%. A embalagem evitou a perda da massa fresca e possibilitou a modificação da atmosfera no seu interior, com manutenção dos níveis de O2 e CO2 em 16,60 % e 1,95 %, respectivamente. A coloração foi mantida e o conteúdo de ácido ascórbico reduziu-se, ao longo do período... .
id UNSP_d57d8e63f70f0e090fc453669e25f261
oai_identifier_str oai:repositorio.unesp.br:11449/105292
network_acronym_str UNSP
network_name_str Repositório Institucional da UNESP
repository_id_str 2946
spelling Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheitaGoiaba - Processamento - QualidadeGoiaba - Fisiologia pós-colheitaPsidium guajavaminimally processedAvaliou-se o efeito das injúrias mecânicas por impacto, compressão ou corte, e do processamento mínimo na fisiologia de goiabas 'Paluma' e 'Pedro Sato'. Na injúria por impacto, os frutos foram deixados cair, em queda livre, de uma altura de 1,20 m, sofrendo dois impactos, em lados opostos da porção equatorial do fruto. Na injúria por compressão, os frutos foram submetidos a um peso de 29,4 N, por 15 minutos. Para a injúria por corte, foram efetuados dois cortes, longitudinalmente, de 30 mm de comprimento por 2 mm de profundidade. Os frutos foram armazenados sob condições de ambiente (23,4l1 °C, 62l6 %UR). No processamento mínimo, frutos no estádio de vez foram descascados, cortados longitudinalmente ao meio, eliminando-se as sementes. Após enxágüe, foram embalados em contentores de tereftalato de polietileno e armazenados a 3 °C. Os frutos da 'Paluma' apresentaram-se significativamente mais resistentes que os da 'Pedro Sato' à injúria por impacto. O estresse físico causado por esta injúria produziu um colapso interno nos lóculos dos frutos e a área injuriada mostrou-se mais escurecida e com menor cromaticidade que as áreas não injuriadas, de ambas as cultivares. Os frutos injuriados sempre produziram maior quantidade de CO2 que os dos controles, sem que se detectasse a ocorrência de pico respiratório. Os teores de sólidos solúveis totais, açúcares redutores, acidez total titulável e ácido ascórbico dos frutos injuriados apresentaram-se menores que os dos controles, ao longo do período de armazenamento. No produto minimamente processado, a goiaba possibilitou o rendimento de 51%. A embalagem evitou a perda da massa fresca e possibilitou a modificação da atmosfera no seu interior, com manutenção dos níveis de O2 e CO2 em 16,60 % e 1,95 %, respectivamente. A coloração foi mantida e o conteúdo de ácido ascórbico reduziu-se, ao longo do período... .The present study examined the effects of mechanical injuries due to impact, compression and cuts, and of minimal processing in the physiology of guava fruit 'Paluma' and 'Pedro Sato.' In impact injury, fruit were allowed to fall freely from a height of 1.2 m, subjecting them to two impacts, on opposites sides of the equatorial portion of the fruit. In compression injury, fruit were submitted to a weight of 29.4 N for 15 min. For the cut injury, two longitudinal cuts were made, 30 mm in length and 2 mm deep. Fruit were stored under ambient conditions (23.4l1 °C, 62l6 % RH). In minimal processing, fruit at the stage of harvesting were cut longitudinally in the equatorial region and seeds were removed. After rinsing, fruit were packaged in polyethylene terephthalate containers and stored at 3 °C. 'Paluma' fruit showed a significantly greater resistance to impact injury compared to the Pedro Sato variety. Physical stresses associated with this type of injury produced an internal collapse of fruit locules. The injured area showed more darkening and less color development compared to non-injured areas, for both varieties. Bruised fruits usually produced a higher amount of CO2 compared to controls, without detecting the occurrence of a respiratory peak. Levels of total soluble solids, reducing sugars, total titratable acidity and ascorbic acid for bruised fruit were lower than those for controls, during the storage period. In the minimally processed product, guava fruit allowed a yield of 51%. Packaging prevented the loss of fresh mass and allowed the modification of the air in its interior. Levels of O2 and CO2 were maintained at 16.60 % and 1.95 %, respectively. Color remained about the same and ascorbic acid content was reduced, during the storage period. The content of total soluble solids and total titratable acid was not affected... (Complete abstract, click eletronic address below).Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)Universidade Estadual Paulista (Unesp)Durigan, José Fernando [UNESP]Universidade Estadual Paulista (Unesp)Mattiuz, Ben-Hur [UNESP]2014-06-11T19:34:56Z2014-06-11T19:34:56Z2002-02-04info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesisv, 120 f. : il.application/pdfMATTIUZ, Ben-Hur. Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita. 2002. v, 120 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2002.http://hdl.handle.net/11449/105292000155919mattiuz_bh_dr_jabo.pdf33004102001P4Alephreponame:Repositório Institucional da UNESPinstname:Universidade Estadual Paulista (UNESP)instacron:UNESPporinfo:eu-repo/semantics/openAccess2024-06-05T15:16:24Zoai:repositorio.unesp.br:11449/105292Repositório InstitucionalPUBhttp://repositorio.unesp.br/oai/requestopendoar:29462024-06-05T15:16:24Repositório Institucional da UNESP - Universidade Estadual Paulista (UNESP)false
dc.title.none.fl_str_mv Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita
title Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita
spellingShingle Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita
Mattiuz, Ben-Hur [UNESP]
Goiaba - Processamento - Qualidade
Goiaba - Fisiologia pós-colheita
Psidium guajava
minimally processed
title_short Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita
title_full Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita
title_fullStr Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita
title_full_unstemmed Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita
title_sort Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita
author Mattiuz, Ben-Hur [UNESP]
author_facet Mattiuz, Ben-Hur [UNESP]
author_role author
dc.contributor.none.fl_str_mv Durigan, José Fernando [UNESP]
Universidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.contributor.author.fl_str_mv Mattiuz, Ben-Hur [UNESP]
dc.subject.por.fl_str_mv Goiaba - Processamento - Qualidade
Goiaba - Fisiologia pós-colheita
Psidium guajava
minimally processed
topic Goiaba - Processamento - Qualidade
Goiaba - Fisiologia pós-colheita
Psidium guajava
minimally processed
description Avaliou-se o efeito das injúrias mecânicas por impacto, compressão ou corte, e do processamento mínimo na fisiologia de goiabas 'Paluma' e 'Pedro Sato'. Na injúria por impacto, os frutos foram deixados cair, em queda livre, de uma altura de 1,20 m, sofrendo dois impactos, em lados opostos da porção equatorial do fruto. Na injúria por compressão, os frutos foram submetidos a um peso de 29,4 N, por 15 minutos. Para a injúria por corte, foram efetuados dois cortes, longitudinalmente, de 30 mm de comprimento por 2 mm de profundidade. Os frutos foram armazenados sob condições de ambiente (23,4l1 °C, 62l6 %UR). No processamento mínimo, frutos no estádio de vez foram descascados, cortados longitudinalmente ao meio, eliminando-se as sementes. Após enxágüe, foram embalados em contentores de tereftalato de polietileno e armazenados a 3 °C. Os frutos da 'Paluma' apresentaram-se significativamente mais resistentes que os da 'Pedro Sato' à injúria por impacto. O estresse físico causado por esta injúria produziu um colapso interno nos lóculos dos frutos e a área injuriada mostrou-se mais escurecida e com menor cromaticidade que as áreas não injuriadas, de ambas as cultivares. Os frutos injuriados sempre produziram maior quantidade de CO2 que os dos controles, sem que se detectasse a ocorrência de pico respiratório. Os teores de sólidos solúveis totais, açúcares redutores, acidez total titulável e ácido ascórbico dos frutos injuriados apresentaram-se menores que os dos controles, ao longo do período de armazenamento. No produto minimamente processado, a goiaba possibilitou o rendimento de 51%. A embalagem evitou a perda da massa fresca e possibilitou a modificação da atmosfera no seu interior, com manutenção dos níveis de O2 e CO2 em 16,60 % e 1,95 %, respectivamente. A coloração foi mantida e o conteúdo de ácido ascórbico reduziu-se, ao longo do período... .
publishDate 2002
dc.date.none.fl_str_mv 2002-02-04
2014-06-11T19:34:56Z
2014-06-11T19:34:56Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv MATTIUZ, Ben-Hur. Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita. 2002. v, 120 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2002.
http://hdl.handle.net/11449/105292
000155919
mattiuz_bh_dr_jabo.pdf
33004102001P4
identifier_str_mv MATTIUZ, Ben-Hur. Injúrias mecânicas e processamento mínimo de goiabas: fisiologia e qualidade pós-colheita. 2002. v, 120 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2002.
000155919
mattiuz_bh_dr_jabo.pdf
33004102001P4
url http://hdl.handle.net/11449/105292
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv v, 120 f. : il.
application/pdf
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Estadual Paulista (Unesp)
publisher.none.fl_str_mv Universidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.source.none.fl_str_mv Aleph
reponame:Repositório Institucional da UNESP
instname:Universidade Estadual Paulista (UNESP)
instacron:UNESP
instname_str Universidade Estadual Paulista (UNESP)
instacron_str UNESP
institution UNESP
reponame_str Repositório Institucional da UNESP
collection Repositório Institucional da UNESP
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UNESP - Universidade Estadual Paulista (UNESP)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1803649476390289408