Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica

Detalhes bibliográficos
Autor(a) principal: Luciano Campos da Silva
Data de Publicação: 2007
Tipo de documento: Tese
Idioma: por
Título da fonte: Repositório Institucional da UFMG
Texto Completo: http://hdl.handle.net/1843/FAEC-7DAR7T
Resumo: A análise da literatura sobre a indisciplina escolar aponta para uma tendência, por parte dos investigadores, de estabelecer uma relação direta entre o incremento desse fenômeno na aula e o crescente acesso dos setores populares à escola. Essa visão, fracamente apoiada em base empírica, é também freqüentemente detectada nos depoimentos de professores e alunos, o que acaba contribuindo para uma espécie de desqualificação dos alunos e famílias dos setores populares. Acreditando, porém, que os alunos e as famílias dos setores populares não constituem uma realidade homogênea, esta pesquisa buscou investigar, numa perspectiva sociológica, a constituição da in/disciplina em duas salas de aula do ensino fundamental de uma escola da rede municipal de Belo Horizonte, localizada em um bairro da periferia dessa capital. O objetivo geral foi o de identificar algumas condições internas e externas à escola que pudessem explicar as diferentes condutas dos alunos provenientes de setores populares face à disciplina escolar. A coleta de dados foi realizada principalmente por meio da observação direta, ao longo de um ano, das duas turmas investigadas e da realização de entrevistas semi-estruturadas com alunos, professores e pais. A análise dos dados indica a possibilidade de uma distinção conceitual entre indisciplina e violência, e corrobora diversas investigações que têm enfatizado a natureza pouco grave e meramente perturbadora das condições de produção na aula, da maior parte dos comportamentos desviantes ocorridos em sala de aula. Salienta-se, entretanto que, embora intrinsecamente pouco graves, os comportamentos de indisciplina assumem, em circunstâncias específicas, formas altamente perturbadoras da relação pedagógica. Os resultados indicam, também, a existência de uma variação na freqüência com que os alunos participam dos eventos de indisciplina, tendo sido identificados três tipos gerais de aluno: os freqüentes na disciplina, os freqüentes na indisciplina e os ocasionais na indisciplina. Cada um desses tipos sendo afetado de uma forma singular pelas mudanças ocorridas no contexto escolar, em função das características disciplinares, pedagógicas e relacionais de seus professores. A análise da vida familiar de alguns alunos-caso e das características dos docentes indica que os comportamentos de indisciplina ocorridos em sala de aula encontram suas condições de possibilidade no cruzamento de fatores familiares e escolares.
id UFMG_838a79f5fe8a3c72416a91c36114d2ac
oai_identifier_str oai:repositorio.ufmg.br:1843/FAEC-7DAR7T
network_acronym_str UFMG
network_name_str Repositório Institucional da UFMG
repository_id_str
spelling Maria Alice de Lima Gomes NogueiraJoão da Silva AmadoMarília Pinto CarvalhoLuiz Alberto de Oliveira GonçalvesTânia de Freitas ResendeLuciano Campos da Silva2019-08-12T11:32:42Z2019-08-12T11:32:42Z2007-09-21http://hdl.handle.net/1843/FAEC-7DAR7TA análise da literatura sobre a indisciplina escolar aponta para uma tendência, por parte dos investigadores, de estabelecer uma relação direta entre o incremento desse fenômeno na aula e o crescente acesso dos setores populares à escola. Essa visão, fracamente apoiada em base empírica, é também freqüentemente detectada nos depoimentos de professores e alunos, o que acaba contribuindo para uma espécie de desqualificação dos alunos e famílias dos setores populares. Acreditando, porém, que os alunos e as famílias dos setores populares não constituem uma realidade homogênea, esta pesquisa buscou investigar, numa perspectiva sociológica, a constituição da in/disciplina em duas salas de aula do ensino fundamental de uma escola da rede municipal de Belo Horizonte, localizada em um bairro da periferia dessa capital. O objetivo geral foi o de identificar algumas condições internas e externas à escola que pudessem explicar as diferentes condutas dos alunos provenientes de setores populares face à disciplina escolar. A coleta de dados foi realizada principalmente por meio da observação direta, ao longo de um ano, das duas turmas investigadas e da realização de entrevistas semi-estruturadas com alunos, professores e pais. A análise dos dados indica a possibilidade de uma distinção conceitual entre indisciplina e violência, e corrobora diversas investigações que têm enfatizado a natureza pouco grave e meramente perturbadora das condições de produção na aula, da maior parte dos comportamentos desviantes ocorridos em sala de aula. Salienta-se, entretanto que, embora intrinsecamente pouco graves, os comportamentos de indisciplina assumem, em circunstâncias específicas, formas altamente perturbadoras da relação pedagógica. Os resultados indicam, também, a existência de uma variação na freqüência com que os alunos participam dos eventos de indisciplina, tendo sido identificados três tipos gerais de aluno: os freqüentes na disciplina, os freqüentes na indisciplina e os ocasionais na indisciplina. Cada um desses tipos sendo afetado de uma forma singular pelas mudanças ocorridas no contexto escolar, em função das características disciplinares, pedagógicas e relacionais de seus professores. A análise da vida familiar de alguns alunos-caso e das características dos docentes indica que os comportamentos de indisciplina ocorridos em sala de aula encontram suas condições de possibilidade no cruzamento de fatores familiares e escolares.The analysis of the literature on school indiscipline points to a trend, on the part of the investigators, to establish a direct relationship between an increase in this phenomenon in the classroom and the growing access of the lower socioeconomic classes to schools. This view, which is weakly supported by empirical evidence, is also frequently detected in statements made by teachers and students, which ends up contributing to a kind of disqualification of the students and families from these socioeconomic sectors. In the belief, however, that students and families from the lower socioeconomic rungs do not constitute a homogenous reality, this research sought to investigate, from a sociological perspective, the constitution of in/discipline in two classrooms at a municipal elementary school in Belo Horizonte, located in a district on the outskirts of the capital. The general purpose was to identify some internal and external conditions at the school that could explain the different behaviors of students from the lower socioeconomic class in view of school discipline. The collection of data was done mainly through direct observation, over a period of one year, of the two classrooms that were investigated and by conducting semi-structured interviews of students, teachers, and parents. The analysis of the data indicates the possibility of a conceptual distinction between indiscipline and violence and corroborates other investigations that have emphasized the not very serious nature and merely perturbing of the conditions of production in the class of the greater part of the deviant behavior occurring in the classroom. However, it should be pointed out that, although not very serious, behavioral incidents of indiscipline take on, in specific circumstances, highly disturbing forms from a pedagogical viewpoint. The results further indicate the existence of a variation in the frequency with which students participate in episodes of indiscipline, with three general types of students having been identified: frequently disciplined, frequently undisciplined and occasionally undisciplined. Each one of these types is affected in a singular manner by changes that occur in the school context in relation to disciplinary and pedagogical characteristics and by the relationship with their teachers. An analysis of the family life of some case-students and the characteristics of the teaching staff indicates that incidents of indiscipline in the classroom find their conditions of possibility in an admixture of family and school factorsUniversidade Federal de Minas GeraisUFMGSociologia educacionalEducaçãoAmbiente de sala de aulaDisciplina escolarSociologiaSala de aulaDisciplina e indisciplinaDisciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológicainfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesisinfo:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Repositório Institucional da UFMGinstname:Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)instacron:UFMGORIGINALtese_em_pdf_luciano_campos_da_silva.pdfapplication/pdf1935246https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/FAEC-7DAR7T/1/tese_em_pdf_luciano_campos_da_silva.pdffd39ed1a55ae8cd844200980d440fce1MD51TEXTtese_em_pdf_luciano_campos_da_silva.pdf.txttese_em_pdf_luciano_campos_da_silva.pdf.txtExtracted texttext/plain811695https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/FAEC-7DAR7T/2/tese_em_pdf_luciano_campos_da_silva.pdf.txt614b8ee96c634fca4a33532f30cb0595MD521843/FAEC-7DAR7T2019-11-14 17:41:46.437oai:repositorio.ufmg.br:1843/FAEC-7DAR7TRepositório de PublicaçõesPUBhttps://repositorio.ufmg.br/oaiopendoar:2019-11-14T20:41:46Repositório Institucional da UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)false
dc.title.pt_BR.fl_str_mv Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica
title Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica
spellingShingle Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica
Luciano Campos da Silva
Sociologia
Sala de aula
Disciplina e indisciplina
Sociologia educacional
Educação
Ambiente de sala de aula
Disciplina escolar
title_short Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica
title_full Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica
title_fullStr Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica
title_full_unstemmed Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica
title_sort Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica
author Luciano Campos da Silva
author_facet Luciano Campos da Silva
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Maria Alice de Lima Gomes Nogueira
dc.contributor.referee1.fl_str_mv João da Silva Amado
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Marília Pinto Carvalho
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Luiz Alberto de Oliveira Gonçalves
dc.contributor.referee4.fl_str_mv Tânia de Freitas Resende
dc.contributor.author.fl_str_mv Luciano Campos da Silva
contributor_str_mv Maria Alice de Lima Gomes Nogueira
João da Silva Amado
Marília Pinto Carvalho
Luiz Alberto de Oliveira Gonçalves
Tânia de Freitas Resende
dc.subject.por.fl_str_mv Sociologia
Sala de aula
Disciplina e indisciplina
topic Sociologia
Sala de aula
Disciplina e indisciplina
Sociologia educacional
Educação
Ambiente de sala de aula
Disciplina escolar
dc.subject.other.pt_BR.fl_str_mv Sociologia educacional
Educação
Ambiente de sala de aula
Disciplina escolar
description A análise da literatura sobre a indisciplina escolar aponta para uma tendência, por parte dos investigadores, de estabelecer uma relação direta entre o incremento desse fenômeno na aula e o crescente acesso dos setores populares à escola. Essa visão, fracamente apoiada em base empírica, é também freqüentemente detectada nos depoimentos de professores e alunos, o que acaba contribuindo para uma espécie de desqualificação dos alunos e famílias dos setores populares. Acreditando, porém, que os alunos e as famílias dos setores populares não constituem uma realidade homogênea, esta pesquisa buscou investigar, numa perspectiva sociológica, a constituição da in/disciplina em duas salas de aula do ensino fundamental de uma escola da rede municipal de Belo Horizonte, localizada em um bairro da periferia dessa capital. O objetivo geral foi o de identificar algumas condições internas e externas à escola que pudessem explicar as diferentes condutas dos alunos provenientes de setores populares face à disciplina escolar. A coleta de dados foi realizada principalmente por meio da observação direta, ao longo de um ano, das duas turmas investigadas e da realização de entrevistas semi-estruturadas com alunos, professores e pais. A análise dos dados indica a possibilidade de uma distinção conceitual entre indisciplina e violência, e corrobora diversas investigações que têm enfatizado a natureza pouco grave e meramente perturbadora das condições de produção na aula, da maior parte dos comportamentos desviantes ocorridos em sala de aula. Salienta-se, entretanto que, embora intrinsecamente pouco graves, os comportamentos de indisciplina assumem, em circunstâncias específicas, formas altamente perturbadoras da relação pedagógica. Os resultados indicam, também, a existência de uma variação na freqüência com que os alunos participam dos eventos de indisciplina, tendo sido identificados três tipos gerais de aluno: os freqüentes na disciplina, os freqüentes na indisciplina e os ocasionais na indisciplina. Cada um desses tipos sendo afetado de uma forma singular pelas mudanças ocorridas no contexto escolar, em função das características disciplinares, pedagógicas e relacionais de seus professores. A análise da vida familiar de alguns alunos-caso e das características dos docentes indica que os comportamentos de indisciplina ocorridos em sala de aula encontram suas condições de possibilidade no cruzamento de fatores familiares e escolares.
publishDate 2007
dc.date.issued.fl_str_mv 2007-09-21
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2019-08-12T11:32:42Z
dc.date.available.fl_str_mv 2019-08-12T11:32:42Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://hdl.handle.net/1843/FAEC-7DAR7T
url http://hdl.handle.net/1843/FAEC-7DAR7T
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de Minas Gerais
dc.publisher.initials.fl_str_mv UFMG
publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de Minas Gerais
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UFMG
instname:Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
instacron:UFMG
instname_str Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
instacron_str UFMG
institution UFMG
reponame_str Repositório Institucional da UFMG
collection Repositório Institucional da UFMG
bitstream.url.fl_str_mv https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/FAEC-7DAR7T/1/tese_em_pdf_luciano_campos_da_silva.pdf
https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/FAEC-7DAR7T/2/tese_em_pdf_luciano_campos_da_silva.pdf.txt
bitstream.checksum.fl_str_mv fd39ed1a55ae8cd844200980d440fce1
614b8ee96c634fca4a33532f30cb0595
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1797971353268125696